Resenha #1 - Indomada (The House Of Night Vol 4)!




A vida é uma droga quando seus amigos estão chateados com você. Basta perguntar a Zoey Redbird – ela se tornou uma perita no assunto. Em uma semana ela passou de três namorados a nenhum, e de ter um grupo íntimo de amigos que confiavam nela e a apoiavam, para ser uma rejeitada. Falando de amigos, só sobraram dois. Neferet declarou guerra aos seres humanos, Zoey sente em seu coração que está errado. Mas será que alguém a escutará? As aventuras de Zoey na escola de aperfeiçoamento de vampiros da uma reviravolta selvagem e perigosa, lealdades são testadas, enquanto chocantes e verdadeiras intenções vem a luz, e um mal antigo é despertado no quarto volume fascinante da série Casa da Noite.



********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
********************************************************************
★★★★★


Uma sequencia extremamente imprevista para Escolhida, que teve um tema tão diferenciado. Sinceramente, vemos com muita clareza a escrita de P.C e de Kristin se afortalecerem nesta obra, e não só nos argumentos, mas seus personagens, estão maduros e deixam um pouco de lado aquele lance tão superficial que todos tinham nos livro anteriores.

Eu diria sedutor. Indomada tem um ritmo gostoso que prende o leitor, até suas páginas finais. Vemos isso com clareza já lendo os primeiros capítulos quando a história de Zoey Redbird começa a tomar um rumo muito mais sombrio. Forças novas estão operando na Morada da Noite, e você vai se surpreender com a tensão que todo esse mal vai jogar na vida de nossos mocinhos. É hora de firmar alianças, e acreditem, você realmente não acredita nas alianças que Zoey vai formular. Sua batalha contra sua pior inimiga se aproxima cada vez mais e um grande mistério envolve os estranhos poderes de Neferet. 

Nesta sequencia digna de aplausos, vemos um pouco da mitologia grega misturando-se com a realidade. Apesar de muitas pessoas discordarem, acho inacreditável a forma como P.C e Kristin criaram esse universo vampiresco tão ligado ao nosso. Os vampiros são aquelas criaturas temíveis  mas ainda sim, são moradores da civilização como qualquer mortal. É como ligar vampirismo a uma espécie de vida nova, ou jeito de viver. E claro, sempre existira o preconceito para tudo que é diferente, e isso era de se esperar. Seu misto entre realidade e ficção é fascinantemente brilhante, principalmente quando somamos seu alto conhecimento religioso e sua   sabedoria inacreditável na mitologia greco-romana.

O que mais gostei nessa continuação, foi poder ver o retorno de personagens que adorava, e que realmente mudaram. Vejam, por exemplo, Aphrodite, a antiga vilã de Zoey e sua arqui-inimiga no amor. Cara ela se transformou numa personagem notável demais, muito mais aceitável do qualquer outro amigo de nossa protagonista. Além disso, podemos excluir um pouco mais daquela Zoey tão cachorra e atirada. Neste livro ela esta mais guardada e apesar dos eventos que se procedem em Escolhida (Livro anterior) Zoey mostra muito mais inteligência na hora de escolher como deve agir dali em diante. Posso presumir que a chegada de Stark, um cara bem misterioso, vai gerar, durante a série, algum laço romântico (e bem forte, diferente dos anteriores, coisa que você só descobre lendo), com Zoey. A autora deixa essa dica, e resta ficar ansioso pela sequencia.



Nenhum comentário

Postar um comentário

Expresse-se