Cinema #7 - A Arte da Conquista!




Acreditando na citação que nascemos sozinhos, morremos sozinhos e tudo o mais é uma ilusão, George (Freddie Highmore) não vê sentido na vida, na escola ou em sua família. Até que ele conhece Sally (Emma Roberts) e encontra nela uma razão para ir à escola e fazer amigos. Entretanto, apesar disso, ainda não está pronto para admitir que gosta dela. O diretor da escola e professor de arte apresenta-o a um ex-aluno e artista de sucesso, Dustin (Michael Angarano), que procura orientá-lo, mas outras distrações começam a vir à tona e ele pode não ser capaz de se formar.









********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
********************************************************************
★★★★★




Um filme MAGNIFICO! Apesar de ser um drama, eu sinceramente amei! Já entrou diretamente para minha lista de favoritos. Apesar de tudo, eu geralmente me identifico com personagens como Jorge. Eles fazem eu me enxergar sabe, como estivesse vendo parte de mim sendo contada naquela história. E apesar de ser um drama, você se envolve pela história e acaba se apaixonado pelo enredo. É simplesmente reflexivo, e as questões levantadas por Jorge são relevantes para nossa dia-a-dia. Nascemos para morrer! Este é o destino de todos, mesmo que não convenhamos em querer. Mas é nosso destino. Não podemos mudar isso. Nascemos sozinhos... Morremos sozinho.. 

Jorge seria o típico cara que teria tudo para jamais se sair bem em nada. Ele estava perdido na vida. Não sabia qual rumo tomar e não encontrava inspiração nem significado para isso. Vemos o mundo de forma diferente, e isso faz de nós os "nerds", os estranhos e como sempre, os excluído. O que somos? Para onde vamos? Não sabemos, mas podemos aprender muito assistindo esse filme. Sentimentos são coisas dificies de entender, e o protagonista dessa adaptação demonstra isso de forma excepcional. Bem parecido com As Vantagens de Ser Invisível

Além disso, temos um romance pra lá de fofo entre Cassi e Jorge. Amigos que aprendem a ser amar... Melhor amigos que se tornam namorados. Nada melhor! O filme fica ainda mais legal quando Jorge começa a demonstrar seus sentimentos para com a pessoa que reconheceu sua existência... Que tornou ele algo. Que virou sua inspiração. 



Exposto a esses sentimentos, ele se vê perdido. Sabe, era novidade para ele, se atrair por uma pessoa dessa forma, então de repente, se perder nessas emoções, gera mais dúvidas em sua cabeça, o que sinceramente, o autor e o ator interpretaram com perfeição.


Outra parte super interessante, é a questão da direção. Eles souberam interpretar com divindade as preocupações, fases e dúvidas da adolescência  É tão perfeito que você se julga se não é real. Eu tipo, me apaixonei pelo filme e recomendo demais. 



 

Nenhum comentário

Postar um comentário

Expresse-se