Resenha #5 - Queimada (The House Of Night Vol 7)!




As coisas se tornaram negras na Morada da Noite. A alma de Zoey Redbird se despedaçou. Com o coração partido, vendo tudo ao seu redor desmoronar e com vontade de ficar para sempre no mundo dos mortos, Zoey está sumindo a olhos vistos. Parece cada vez mais difícil ela se recuperar a tempo de reencontrar seus amigos e recolocar as coisas em seus devidos lugares. Sendo a única pessoa viva que consegue alcançá-la, Stark, seu guerreiro, deve achar uma forma de ir até ela. Mas como? Segundo o Conselho Supremo dos Vampiros, ele teria de morrer para isso. E então Zoey desistirá, com certeza. Só restam mais 7 dias… Stevie Rae, melhor amiga de Zoey, quer ajudá-la, mas está enfrentando problemas seríssimos. Os Novatos Vermelhos do Mal estão pisando na bola e, dessa vez, nem Stevie Rae poderá protegê-los das consequências. O quase-namorado dela, Dallas, é um doce, mas muito enxerido pro seu próprio bem. A verdade é que Stevie Rae está escondendo um segredo que pode ser a chave para conseguir trazer Zoey de volta, mas também ameaça explodir seu mundo inteiro. No meio desta confusão está Aphrodite: ex-novata, patricinha podre de rica, bruxa do inferno convicta (e com muito orgulho), tendo visões que revelam o futuro e, para piorar, com Nyx resolvendo falar por meio dela, quer ela queira ou não. A lealdade de Aphrodite pode oscilar em várias direções, mas, no momento, é o destino de Zoey que está em jogo. Três garotas… Brincando com fogo… Se elas não se cuidarem, todos irão se queimar.



**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************
★★★★★


O 8º volume de House Of Night é um dos melhores que compõem a série até o momento. Seguindo uma linhagem onde vários personagens narram a história, o enredo deixa de centrar a protagonista, Zoey Redbird para visualizar outros campos desse universo magnifico criado por P.C e Kristin Cast. Devo admitir que a leitura desse volume foi pra lá de empolgante. Não tinha drama como nos anteriores, mas pelo contrário, trazia uma tonalidade diferenciada dos demais, pois os personagens figurantes passam a ser mais importantes que a protagonista. É claro que a história ainda centra Zoey, mas não da maneira como os primeiros livros da série. Desta vez ela sai um pouco de cena para poder dar lugar a Stevie Rae e Aphrodite, coadjuvantes que para mim, assumiriam o papel principal sem nenhum problema. 

A centralização de Stevie Rae não é nada incomum. Assumindo seu novo posto como Grande Sacerdotisa dos Novatos Vermelhos, ela prova na pele o que era parte da vida de Zoey antes da amiga ter sua alma despedaçada após visualizar uma grande tragédia. E isso deixa a história com um ar muito mais legal, dando um toquezinho. Diferente de alguns dos livros da série, onde a enrolação é gigantesca e o final bem previsível, Queimada quebra esse monótono ritmo e da novos ares ao futuro enredo que vai se desenvolver. Os personagens parecem mais vivos. Eles deixam o posto de "estatuas" (pois é assim que eu via todos os outros personagens antes do 6º livro, quando a narração fica variada, porque tipo, tudo era Zoey... Tudo Zoey estava certa, e eles pareciam não ter opinião própria) e passam a "figurões", dotados de suas próprias vidas, com seus próprios problemas e suas próprias vidas. E claro, com tanto próprio, era normal você começar a enxergar novas possibilidades nesses novos figurantes que assim, sem mais nem menos, adquirem personalidade, o que sinceramente faltava para todos. Quem ai vai dizer que Aphrodite não tem personagem? Ela é tipo a personagem mais verdadeira, descontraída, metida e engraçada da série (e para ressaltar, eu me apaixonei por ela).

A mudança de visão foi meu ponto de mais agrado. A história saiu daqueles dramas românticos nada românticos (porque tipo, você não pode amar 3 caras de uma vez, série, se isso acontecer, você tem problema. Não era um triângulo amoroso, mas sim um quadrado), e adentrou num universo mais mitológico  sombrio e as vezes empolgante. Você começa a ler e não consegue mais parar. Simplesmente você fica apaixonado e curioso para saber o que vai acontecer na próxima página, de forma que a leitura acontece e acaba quando você menos esperar, deixando você com aquele gostinho de quero mais. 

Aconselho que leia a série. Se leu os primeiros volumes e não lhe pareceram chamativos, aguente mais um pouco. Do 4º Volume em diante o rumo do enredo começa a tomar novas proporções e você se apega a muitos desses personagens fantásticos e ao universo vampiresco criado por PC e Kristin. 

PS: Mas ainda não gosto da Zoey. TEAM APHRODITE!



Nenhum comentário

Postar um comentário

Expresse-se