Resenha #6 - Despertada (The House Of Night Vol 8)!



Exonerada pelo Conselho Supremo dos Vampiros e retornando a sua posição de Grande Sacerdotisa da Morada da Noite de Tulsa, Neferet jurou vingança contra Zoey. Seu domínio sobre Kalona é apenas uma das armas que ela pretende usar. Mas Zoey encontrou um santuário na Ilha de Skye e está sendo protegida pela Rainha Sgiach, que espera que ela possa assumir o reinado. Tornar-se a rainha seria legal, não seria? Por que ela deveria retornar à Tulsa? 
Depois de perder Heath, seu consorte humano, Zoey nunca mais será a mesma - e seu relacionamento com o supersexy guerreiro Stark pode também nunca mais ser o mesmo. E Stevie Rae e Rephaim? O Raven Mocker se recusa a ser usado contra Stevie Rae, mas que chances ele tem quando ninguém no mundo, incluindo Zoey, estaria feliz com este relacionamento? Ele deve trair seu pai ou seu coração? 
Em Despertada, emocionante oitavo livro da série House of Night, até onde irão os vínculos da amizade e quão forte são as amarras que prendem o coração de uma garota?




**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************
 ★★☆☆☆


Um dos volumes mais complexos e chatos de toda a série até o momento. Sério, quando você fica apreensivo pensando que tudo vai finalmente melhorar, as autores arrumam uma maneira de deixar a história tragicamente dramática mais uma vez. Depois das experiencias com Marcada, Traída e Caçada, eu meio que já estava habituado a esses momentos "dramas" da série. O que realmente me irritou, foi porque os livros tiraram essa característica pra lá de chata da protagonista, Zoey, para colocar sobre a secundarista e minha personagem favorita, Stevie Rae.

O livro todo segue uma linha nada emocionante, e a leitura dificilmente vai prender o leitor. Depois dos acontecimentos finais de Queimada, você espera que a sequencia seja de tirar o fôlego pois a história terminou de uma forma que dava aparentar que Despertada seria digno, e muito mais emocionante. Erro trágico. P.C e Kristin abandonam um pouco a luta e a mitologia, e retrocedem para o começo, quando a história não passava do drama diário de uma adolescente pra lá de safada e altamente mesquinha. Essa característica fica clara em Zoey logo no começo, quando ela se nega a voltar para a Morada da Noite e enfrentar Neferet, preferindo a segurança da Ilha de Skye, lar de Sgiach, rainha vampira. Ao lado de Stark, os dois passam metade do livro questionando-se se vão realmente fazer sexo ou não. Sério, é um porre essa parte. Esperava muito mais. Mas como se não bastasse, as autores trazem outro drama para a história, colocando Stevie Rae, numa posição semelhante a de Zoey nos livros anteriores, o que me fez odiar muito mais esse volume. Sério, Stevie Rae não é atirada como Zoey. Não adicionem essa personalidade para uma personagem tão meiga e legal.

Bem, depois de tanta enrolação, é de se esperar que Zoey finalmente de uma boa lição em Neferet, a vilão pra la de macabra que assombra a série desde o primeiro livro, e que nunca, levou nem um tapa. Como eu disse, era de se esperar. Não acontece. Ficamos apreensivo para este momento, mas nada acontece. Neferet continua impune e Zoey ainda é uma fraca, sempre fugindo.

Posso afirmar que minha experiencia com esse volume não foi muito bom. A leitura fica cansativa e você tem vontade de desistir da leitura. Eu realmente espero que o volume seguinte seja mais dinâmico e sem tantos dramas. Diferenciado dos demais, nem o final de Despertada é muito chamativo. Os outros, pelo menos, possuem um fim que deixa o leitor preso para ler o próximo volume. Este não. O fim e tão ruim quanto o começo. Mas não se deixem influenciar pela minha opinião. Sugiro que tenham sua própria experiencia com o livro e vejam como reagem, afinal, leituras acontecem de forma diferenciada para cada pessoa.


Nenhum comentário

Postar um comentário

Expresse-se