Resenha #10 - A Hora Mais Sombria (A Mediadora Vol 4)!



A mediadora Suzannah está de volta em mais uma aventura com os fantasmas que a perseguem.
Em "A Hora Mais Sombria", ela recebe uma visita um tanto quanto inusitada: o espírito de Maria de Silva, ninguém menos do que a noiva de Jesse, o fantasma bonitão pelo qual Suze é apaixonada e que, vira e mexe, ronda o quarto dela. 
Maria ameaça Suze dizendo que a construção no quintal da casa da garota deve ser interrompida. Há algo ou alguém enterrado lá. Mas quem Maria não quer que seja encontrado? Será que Suzanna deve parar suas investigações sobre a morte de seu amado? 
Em uma divertida leitura, a mediadora precisa resolver seus problemas com a rival e ainda lidar com as situações típicas de uma adolescente. Ainda mais uma que acaba de se mudar para a Califórnia e, como se não bastasse, fala com os mortos.

**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************
★★★★★


Tal como era esperada da sequencia de uma série magnifica, cheia de terror, romance e muita, mas muita comédia. A Mediadora é uma das poucas sagas literárias que eu realmente tenho amado sem sombra de dúvidas todos os livros, não sabendo escolher qual seria o melhor. É aquele típico livro, que você pega numa tarde, e devora do dia para o outro, sem nem mesmo notar. A história te suga para o seu universo e logo você está cercado de personagens magníficos que adquirem vida assim, de forma mágica, saltando das páginas como loucos, e misturando-se com a sua realidade. 

Nesse 4 volume da série, as coisas tomam rumos sombrios, e a história de Suzanna e Jessie começa a se intensificar. Sentimentos são postos a prova, e quando tantas emoções vem a tona, uma perigosa junção pode acontecer. Maria da Silva, antiga noiva do fantasma Jessie, está na área e promete trazer consigo o doce desejo de vingança, atormentando a vida de Suze mais do que deveria. Além disso, novos personagens entram em cena, como Jack, o pequeno mediador, e seu irmão, Paul, que só Deus sabe o que é. Admito que fiquei chocado com o final. Muitas coisas aconteceram e ficaram diversos mistérios que eu estou morrendo de curiosidade de solucionar, mas é claro, tudo tinha que acabar na melhor parte. Isto é bem clássico, e julgando como Meg elabora seus livros, eu sabia que o fim ia ser marcante, mesmo antes de chegar lá. 

Uma das partes que mais amei em A Hora Mais Sombria foi porque Suze, realmente demonstrou seus sentimentos, e aquele lado durão dela desmoronou quando ela se viu prestes a ficar sem seu Jessie, entendendo o quanto ele era essencial para sua vida. Foi legal experimentar essas novas sensações. Geralmente, ela, como protagonista, consegue sem sombra de dúvidas variar bem entre a hora de chorar e a hora de meter a porrada. E é disso que mais gosto! Porque ela não é aquela típicas personagens "garotinhas" que sempre são indefesas e precisam de alguém para protegê-la. Pelo contrário, ela é durona. O embate entre ela e Maria foi tipo, muito irado. Eu fiquei imaginando cada palavra que era descrita na cena. Suze sem sombra de dúvidas detona com meu pobre coração.

O que tenho a salientar é o seguinte... Leiam A Mediadora! Vale muito a pena. Sinceramente, estou tentando encontrar qual o melhor volume até o momento, mas ainda não cheguei a uma conclusão. Quando chegar, aviso. E para os fãs de Suze e Jessie, aviso, cara, vocês vão amar o final!


Nenhum comentário

Postar um comentário

Expresse-se