Resenha #17 - Jogos Vorazes!



Após o fim da América do Norte, uma nova nação chamada Panem surge. Formada por doze distritos, é comandada com mão de ferro pela Capital. Uma das formas com que demonstram seu poder sobre o resto do carente país é com Jogos Vorazes, uma competição anual transmitida ao vivo pela televisão, em que um garoto e uma garota de doze a dezoito anos de cada distrito são selecionados e obrigados a lutar até a morte! Para evitar que sua irmã seja a mais nova vítima do programa, Katniss se oferece para participar em seu lugar. Vinda do empobrecido distrito 12, ela sabe como sobreviver em um ambiente hostil. Peeta, um garoto que ajudou sua família no passado, também foi selecionado. Caso vença, terá fama e fortuna. Se perder, morre. Mas para ganhar a competição, será preciso muito mais do que habilidade. Até onde Katniss estará disposta a ir para ser vitoriosa nos Jogos Vorazes?


********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
********************************************************************
★★★★★


Mergulhe numa leitura de tirar o fôlego e prepare-se para emoções fortes, pois é isto que encontrará enquanto estiver preso no universo de Jogos Vorazes... Que a sorte esteja sempre com vocês!

Minha história com esse livro é um pouco longa. Na verdade, assisti ao filme primeiro e sai xingando porque ele me decepcionou porque não entendia nada, e pior ainda, ficavam citando na blogesfera que ele era idêntico a Harry Potter, e eu não podia suportar. Até claro, conhecer a história de cima para baixo depois que uma amiga me incentivou (influenciou na realidade) a ler. Ganhei os dois primeiros volumes e posso ser sincero quanto a minha experiência com este primeiro livro? Eu preciso saber mais! Quero mais! Não consigo parar! Estou sem ar! Suzanne Collins misturou com sua escrita pra lá de maravilhosa uma boa dose de momentos de ação, com personagens verdadeiros e chocantes. O que posso dizer? Até eu senti pena de Katniss enquanto estava na arena, ou dos outros tributos que foram sacrificados, ou da enorme intolerância para com a vida de pobres adolescentes. O enredo é chocante e possuem traços que fazem você ficar imaginando “E se isso fosse real, você teria coragem de enfrentar? Conseguiria sobreviver”. Acreditem, fiquei arrepiado em vários momentos da história, não só pela tensão, mas pela repentina reviravolta que acontece quase sempre enquanto Peeta e Katniss estão no jogo.

Panem, uma nova civilização, tão parecida com a nossa quanto você possa acreditar, apesar das pessoas parecerem bem mais fúteis lá. Collins nos trás não só uma aventura eletrizante de tirar o fôlego, mas críticas bem acentuadas a toda sociedade, como por exemplo, sobre a vaidade humana, ou a incrível influencia que as televisões e reality show tem sobre nós. Imagine só, um show onde o espetáculo principal é ver dois adolescentes se mutilando enquanto você aposta quem vai ganhar. É bastante maquiavélica a visão dessa perspectiva. Me trás um lado da personalidade humana que eu gostaria de acreditar que não existe, que não pode ser baseada em fatos reais. Mas pode, infelizmente.

Pessoalmente não gosto muito do Peeta, sou mais do time Gale, mas claro, percebe-se que os dois vão ficar juntos. Mas se você é fã de romance e não gosta de leituras cheias de adrenalinas e com muitos fatos chocantes, então não leia. Apesar de ter uma romance bem sutil, a história principal centraliza a vida de Katniss, um pobre moradora do Distrito 12, que teve sua vida modificada de forma inacreditável quando o nome de sua irmã, Prim, foi selecionado como tributo para a 74ª edição dos Jogos Vorazes, um torneio brutal que seleciona dois jovens de cada um dos doze distrito para que lutem pela sua própria sobrevivência, dentro de uma arena, cercada de perigos e câmeras, enquanto a população da Capital (País central) se diverti a custa de suas duras batalhas.

Um dos momentos mais triste foi a morte da pequena Rue. É tocante o esforço que Katniss faz para não fazê-la ser apenas mais um tributo morto, de não esquecida como uma perdedora. Na verdade, essa morte que desencadeia a primeira investida da Garota quente contra Capital.

Se você está procurando uma leitura cheia de ação, emoção e realidade, então recomendo muito que você abra as páginas deste livro e penetre profundamente em seu mundo. Como diz na contra capa:

Matar ou morrer. Não há escolha. Na arena, o mais capaz vence. Que os Jogos Vorazes comecem!”

Nenhum comentário

Postar um comentário

Expresse-se