Resenha #19 - O Restaurante no Fim do Universo (O Guia do Mochileiro da Galáxia Vol 2 )!



O que você pretende fazer quando chegar ao Restaurante do Fim do Universo? Devorar o suculento bife de um boi que se oferece como jantar ou apenas se embriagar com a poderosa Dinamite Pangaláctica, assistindo de camarote ao momento em que tudo se acaba numa explosão falta? A continuação das aventuras de Arthur Dent e seus quatro amigos através da Galáxia começa a bordo da nave Coração de Ouro, rumo ao restaurante mais próximo. Mal sabem eles que farão uma viagem no tempo!










**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************
★★☆☆☆



O livro começou muito promissor e tinha tudo para me agradar muito mais do que o primeiro, até a história caiu num verdadeiro redemoinho de repetições, viagens temporais e loucas aventuras, que eu nem pude entender direito. Certo, todos sabemos que a genialidade e a sanidade de Douglas Adams são bem questionáveis  porque sério, ele inventa uns nomes bem bizarros para os personagens, nomes esses que ainda tenho dificuldade para falar, mas  confesso que desta vez ele me pegou de jeito e o livro que tinha tudo para ser uma boa leitura ficou monótomo e muito parado.

No segundo volume da sério "O Guia Mochileiro da Galaxia", Arthur, Ford, Zaphod, Trillian e Marvin embarcam numa jornada confusa pela linha do espaço-tempo, conhecendo os lugares mais remotos da galaxia e observando a história e a evolução da forma mais impressionante possivel. Adams nos guia para um novo modo de observar as raízes do universo, desde o Restaurante mais badalado, a momentos tristes e reflexivos, vendo de perto a evolução da humanidade.

Como era esperado, o volume tem tantas críticas internas quanto o anterior, desta vez muito mais visíveis, bem ao estilo Adams de se expressar. Se a sociedade estiver precisando se tocar de alguns pontos bem chatos a seu respeito, que melhor maneira de fazer isto do que lendo O Restaurante no Fim do Universo. As críticas são tão bem acentuadas ao enredo da história que as vezes fica difícil você distinguir se aquilo é realmente verdade ou se não passa de mais uma mítica ilusão do autor. Claro que grande parte das sociedades aliens arquitetadas por Douglas Adams são inspiradas na nossa sociedade cotidiana. E isso é genial. A forma como ele descreve tão bem cada ente que aparece na história, destacando suas características centrais, é realmente genial!

O enredo em si é muito bom, para os apreciadores de uma ficção cientifica/comédia, mas o chato em si foi a repetição. As viagens no tempo acontecem por todo o livro e isso deixou a leitura monótona  Por exemplo, os personagens mal entravam numa enrascada e já vinha a certeza de que outra viagem temporal estava para acontecer. Ficou meio previsível demais. Além disso, tenho certeza que boa parte dos leitores não vão se agradar muito do final. Ficou muito triste. E claro, uma opinião pessoal, a participação do robô Marvin durante a história. Foi muito pouco. Eu ja tava imaginando que quando ele apareceu as coisas iam mudar, e de repente... Bem, foi digamos, trágico!

Sinceramente, eu espero que o terceiro volume seja melhor e que os personagens que eu penso que não vão voltar, voltem, porque se as coisas continuarem nessa leitura tediosa, acredito que eu vá desistir da série. No entanto, sempre é bom lembrar, experimente vocês também a leitura! Isto é uma opinião pessoal! Talvez você tenha outra experiencia com a história. 


Nenhum comentário

Postar um comentário

Expresse-se