Resenha #25 - Crepúsculo (A Mediadora Vol 6)!



Sexto e último volume da saga "A Mediadora". Suzannah Simons, uma adolescente nova-iorquina que poderia ser tachada de comum se não tivesse o dom --ou seria a sina?-- de falar com os mortos, terá que tomar uma difícil decisão.
Suzannah já se acostumou com os fantasmas em sua vida. Eles a acordam no meio da noite, reviram seu armário e aprontam coisas ainda mais sinistras. Como mediadora, pode não somente ver fantasmas, como também interagir com eles. E foi assim que se apaixonou por Jesse, um gato do século 19.
Mas suas questões vão muito além de assuntos do coração: sua função é entender as mágoas dos mortos e ajudá-los a resolver os problemas com os vivos. Quando ela e Paul Slater --mediador de força inegável e intenções dúbias-- descobrem que seus poderes vão muito além de ajudar fantasmas a resolver seus problemas terrenos, Suze pira de vez. É muito aterrorizante ter o destino dos fantasmas em mãos, podendo alterar o curso da história, principalmente porque Paul também sabe como fazer isso.
E ele adoraria evitar o assassinato de Jesse, impedindo-o de virar fantasma e lhe garantindo uma vida tranquila, finalmente... mas no século 19. Isso significaria que Jesse e Suzannah jamais se conheceriam.


*********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
*********************************************************************
★★★★★


CONTÉM SPOILERS

E finalmente acabou! E que triste porque acabou! Mas eu precisava terminar essa série que tanto me conquistou, e que fez meu coração acelerar em tantos momentos. A Mediadora entrou para minha lista de sagas mais bem elaboradas que já li! Com um toque genial, Meg Cabot formou um desfecho que nem eu mesmo esperava, não depois de atingir os primeiros 4 capítulos. 

No último volume da série, Crepúsculo, Suze esta aprendendo mais sobre seus dons, mas Paul continua a lhe provocar, mexendo com seus desejos mais profundos. Por um lado, o sombrio e irônico Paul, por outro, o bondoso e amado Jesse. A quem ela deve ceder? Quem ela deve sacrificar? Depois de tantas reviravoltas em Assombrado (5º volume), Suze está mais confusa que nunca, e com muito medo de perder quem mais ama: Jesse, o menino fantasma por quem se apaixonou. E as coisas não ficam mais fáceis, pois Paul Slater se apaixonou por ela, e seu desejo insano de consegui-la vai levá-lo aos extremos para ter o que tanto quer: o coração de Suze. Nesse misto entre romance, suspense e sobrenatural, Suze fará novas descobertas sobre seus poderes de mediadora e desvendará que sacrifícios são necessários. Um final tocante, emocionante e inesperado aguarda os leitores que se deliciarem com este livro! 

Nunca perca as esperanças".

Eu realmente gostei desse volume. Não foi assim como outros volumes que me prenderam na leitura, no entanto, me afeiçoei ao fim que ele teve. Fiquei um tanto chocado com os eventos que marcaram o desfecho da série. Esperava outro rumo para a história, principalmente depois que Suze pensou em utilizar seus dons como deslocadora para salvar seu pai. Eu imaginava um final diferente, mas ai os fatos começaram a saltar da folha para mim, e sinceramente foi imprevisível como tudo se procedeu. Claro que Paul ainda continuava aterrorizando Suze como no livro anterior, mas desta vez, ela não tinha mais tanto medo dele. Sua maior apreensão era pelo fato de que Jesse, talvez, estivesse correndo um risco que representaria o fim de seu relacionamento com ele... Para sempre.

Quando o livro começou, imaginei que seria o mesmo drama do volume anterior, contudo, a história foi tomando outro rumo e saiu me conquistando a cada folha que eu passava. Os personagens não só amadureceram, como o final não ficou aquela coisa forçada que muitos outros fins (principalmente de sagas) tendem a fazer. Se você está procurando uma série (e sim, eu fiquei apreensivo como tudo ia acabar, porque tive experiências bem ruins com outras séries) com um final muito legal e inesquecível, ta ai! E pra finalizar uma frase muito linda, uma das passagens que mais amei no livro!  

Se você ama algo, deixe-o ir. Se for para ser seu, ele voltará.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Expresse-se