Cinema #27 - Carros 2!



Após ganhar a Copa Pistão pela quarta vez, Relâmpago McQueen (Owen Wilson) e sua equipe retornam a Radiator Springs para descansar. Lá ele reencontra Mate (Larry the Cable Guy), seu maior amigo, que aguarda ansioso pelo retorno. Pouco após sua chegada Relâmpago toma conhecimento do Grand Prix Mundial, evento organizado pelo empresário Miles Eixodarroda (Eddie Izzard) onde todos os competidores usarão Alinol, um combustível alternativo. Após ser provocado em um programa de TV por Francesco Bernouilli (John Turturro), um adversário, Relâmpago resolve também competir. Ele decide levar Mate para acompanhá-lo nas corridas, mas logo ele é confundido com um espião americano. Desta forma Mate precisa lidar com Finn McMíssil (Michael Caine) e Holly Caixadibrita (Emily Mortimer), que tentam descobrir qual é o plano do professor Z (Thomas Kretschmann) e seu enigmático chefe para a competição.


*********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
*********************************************************************
☆☆☆☆


Carros Dois não foi uma animação da Pixar que eu vá considerar excelente ou razoável. Pelo contrário o enredo fraco não foi compensado pelas cenas de ação implantadas num filme, que pessoalmente acredito já ter uma história definida, com personagens fixos e marcantes. 

Relâmpago Mcqueen está de volta. Desta vez, sendo desafiado para um corria mundial, o carro de corrida mais famoso vai preparar-se para enfrentar um novo e perigoso inimigo. Em vista disto, o amigo desprezado, Mate, acabará sendo confundido com um famoso agente secreto, disposto a assumir esta missão de capturar uma quadrilha de carros que querem destruir todos os competidores.

O filme prometida dar continuidade ao primeiro, mas infelizmente isto não aconteceu. Na verdade, achei a coisa bem repetida, mostrando intertextos do primeiro filme, como a cena de Mate no final. O enredo foi fraco e um tanto apressado. A história ganhou um tom dramático, o que não se via no primeiro volume, e apesar de ter um tom de ação maior, isso não compensou a expectativa dos fãs que esperavam bem mais. O enredo central, que fala da aprendizagem de Mcqueen não só foi modificado, como a animação em si não passou nenhuma novidade, ficando presa ao mesmo lengalenga sobre o valor da amizade. Claro que isto é um conceito importante para se exibir numa animação, todavia, depois de ter sido visto no último longa, esperávamos que a Pixar inovasse com outras reflexões filosóficas, e infelizmente não aconteceu.


Como disse acima, pessoalmente, esta animação da Pixar não está aprovada. O filme em si faltou conteúdo e exagerarão na ação para, re-elaborando uma animação onde este tipo de coisas ficaria meio fora de contexto. 





 

Nenhum comentário

Postar um comentário

Expresse-se