Cinema #29 - Em Busca da Terra do Nunca!


 
O filme de Marc Foster (A Última Ceia) retrata a vida de J. M. Barrie (Johnny Depp), autor do clássico da Literatura infantilPeter Pan. A partir de seu convívio com quatro crianças órfãs, Barrie escreveu a história de um grupo de meninos que morava em um mundo de fantasia e não queria crescer.















********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
********************************************************************
★★★★★


De uma simplicidade assustadora, Em Busca da Terra do Nunca seria um filme ao qual eu jamais depositaria qualquer tipo de expectativa, mas ai o enredo começou a se desenvolver, e quando você se pega entendendo o que tudo aquilo realmente significa, acaba se apaixonado profundamente por esse filme (Spoiler: Principalmente se você for fã de Peter Pan)

J.M. Barrie (Johnny Depp) é um bem-sucedido autor de peças teatrais, que apesar da fama que possui está enfrentando problemas com seu trabalho mais recente, que não foi bem recebido pelo público. Em busca de inspiração para uma nova peça, Barrie a encontra ao fazer sua caminhada diária pelos jardins Kensington, em Londres. É lá que ele conhece a família Davies, formada por Sylvia (Kate Winslet), que enviuvou recentemente, e seus quatro filhos. Barrie logo se torna amigo da família, ensinando às crianças alguns truques e criando histórias fantásticas para eles, envolvendo castelos, reis, piratas, vaqueiros e naufrágios. Inspirado por esta convivência, Barrie cria seu trabalho de maior sucesso: Peter Pan.




É possível não enxergar uma filosofia muito forte assistindo a este filme. Recomendaria principalmente a todos os amantes de leitura, que gostem de escrever, ou planejem fazer isto. Em Busca da Terra do Nunca, remonta a história de Peter Pan como jamais vimos. Nada de ser apresentado a Sininho ou Gancho outra vez.  Os personagens dessa vez são pessoas reais (é verídico o filme) de carne e osso, que como nós, amou conhecer a Terra do Nunca.

O diretor nos trás não um enredo voltado para a história em si, no entanto, para além dela. O filme é praticamente uma biografia do autor da obra (Peter Pan), mostrando detalhadamente como a história veio a nascer ressaltando as inspirações de J. M. Barrie, o transformando, no personagem principal... Suas influencias e suas decisões são citadas. Para qualquer fã do inestimável garoto que nunca cresce, é uma ótima pedida, porque, felizmente veremos como o publico reagiu à primeira menção de Peter Pan, uma simples peça de teatro, de um escritor criticado, por quem ninguém dava nada. Mas não se deixe enganar. Em sua primeira apresentação, Barrie mostrará que não se precisa de muito para se ter uma peça genial... Precisa apenas: guiar-se pelas emoções.

Fascinantemente, o ponto alto da adaptação é quando retrata o modo de onde J.M. Barrie retira suas referencias para criar os personagens, como por exemplo, dar vida a Peter Pan (Que surge de uma amizade de um garoto totalmente contrário a Peter Pan, que tem o mesmo primeiro nome), ou no nascimento do Capitão Gancho (imaginado pelo autor após ver a avó do garoto). Em poucas palavras, os sentidos que o filme vai atribuir ao seu modo de ver o universo Disney jamais irá se comparar a maneira como via. Não só vai lhe render algumas boas gargalhadas (o filme tem um lado muito cômico) como também uma grande história, que a primeira vista vai parecer fraca e chata, mas que possui um significado muito mais profundo do que você pode imaginar.




 

Nenhum comentário

Postar um comentário

Expresse-se