Cinema #31 - Sucker Punch: Mundo Surreal!



Esta fantasia épica de ação traz a garota Baby Doll (Emily Browning), que é internada em uma instituição mental por seu perverso padrasto, na qual passará por uma lobotomia em cinco dias. Enquanto o dia não chega, a garota cria um mundo alternativo, onde precisa roubar cinco objetos para fugir de um homem que pretende estuprá-la.













*********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
*********************************************************************
★★★★☆


Filme do diretor Zack Snyder, Sucker Punch traz um enredo que mistura ficção, drama e ação mesclados a um visual steampunk (um visual que sempre remete a épocas passadas onde o avanço tecnológico teria chegado precariamente, mas sem perder aquele toque antiguinho) impecável. Traz em si, ainda, alguns pontos de vista psicológicos, que dão a atmosfera do filme um ar de “Alice no País das Maravilhas”, como o próprio diretor chega a afirmar em seus depoimentos sobre o roteiro.

O enredo ambientado nos anos 50 retrata a história de uma garota que é injustamente acusada por seu ganancioso pai, de ter assassinado, tanto sua mãe quanto sua irmã mais nova, quando na verdade o verdadeiro criminoso é próprio homem, que tentara a força bruta conseguir a herança de sua esposa. A pobre jovem acaba sendo mandada a um sanatório para garotas, onde sofre abusos e espera por uma lobotomia dentro de uma semana (também por causa de seu pai, que pretende assim, se livrar das pistas dos crimes que cometeu e ficar com toda a herança pra si).




Lá, passa a ser chamada de baby doll, e aprende a se desvencilhar do horror e da dor que lhe são causados, através da dança. Quando a música começa a tocar, ela se transporta para um mundo completamente seu, onde sem perceber arquiteta sua fuga do lugar. Ela supostamente recebe a missão de liderar o plano que vai tirar ela e suas amigas deste terrível lugar, mas apesar de bem armadas (eu diria que armadas até demais), nada será tão simples quanto parece, e algumas das garotas poderão ser deixadas pra trás.

O filme é recheado de cenas de ação e de drama, e em algumas cenas faz lembrar inclusive jogos de videogame, contendo o que parecem os chefões que temos que enfrentar para superar as fases do jogo. Apesar de ser muito bem planejado e ambientado, o enredo parece não agradar a todos, talvez por sua temática difícil e complicada de se acompanhar, mas pode ser realmente fascinante quando se presta atenção. De fato o filme traz referencias a Alice no País das Maravilhas, como a aparente corrida contra o tempo, e a presença de uma lagarta azul que indica o caminho a ser seguido por nossa loira heroína, quando esta parece sem rumo.



Eu na verdade sou bastante suspeita pra falar de Sucker Punch, pois sou apaixonada por essa temática de filme, histórias que se passam em uma época futurística ou antiga, principalmente dramas, mesmo que seus finais nem sempre sejam felizes, então se gostaria de se aventurar por um mundo completamente novo e enfrentar os desafios nele impostos junto com nossa heroína baby doll, este é o filme indicado para ocupar sua noite.



 

Nenhum comentário

Postar um comentário

Expresse-se