Cinema #35 - Final Fantasy VII: Advent Children!


Dois anos se passaram desde que as ruínas de Midgar permaneceram como um atestado dos sacrifícios realizados para que a paz fosse mantida. Entretanto, o mundo irá enfrentar em breve uma nova ameaça. Uma misteriosa doença está se espalhando rapidamente. Antigos inimigos estão ativos. E Cloud, que se afastou da vida de herói para viver em solidão, deve se apresentar mais uma vez.













**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************
★★★★★

Lifestream! Isso é o que chamamos de fonte da vida, que circula pelo nosso planeta dando vida ao mundo e tudo aquilo que há nele. A companhia Shinra encontrou uma maneira de usá-lo como energia. Graças à energia da Shinra nós éramos capazes de viver confortavelmente, mas não seria porque estávamos roubando a vida do planeta? Muitas pessoas pensaram assim. Então, a Shinra usou seu poder na tentativa de parar todos que entrassem em seu caminho. Ela tinha uma força especial de guerreiros chamada SOLDIER. Todos esses guerreiros possuíam células Jenova em seus organismos, uma calamidade que veio dos céus, há muito, muito tempo atrás e tentou destruir o planeta. Havia um SOLDIER chamado Sephirot, considerado o mais poderoso entre seus semelhantes, que quando descobriu que havia sido criado a partir de terríveis experimentos, passou a odiar a companhia Shinra, responsável por sua criação. E então, com o tempo, passou a odiar tudo, sua criadora e todos os que o desafiavam. Sephirot, consumido por ódio pelo planeta, desejava destruir tudo, inclusive aqueles que tentavam o impedir. Foram muitas batalhas. A cada uma, havia mais tristeza. Uma das pessoas que eu amava também se tornou parte do Lifestream. E por fim, chegou o dia. O dia do juízo, e no final, o próprio planeta teve de cessar as batalhas. Ele usou o Lifestream como uma arma, surgindo de todas as partes. Pegou todos os confrontos, ambição e tristeza, e os consumiu. “Tristeza foi o preço pago, para que houvesse um fim”. Já fazem dois anos que me contaram isso. Mas o planeta aparenta estar mais furioso do que pensávamos. Eles chamam de Geostigma (uma doença que passa a consumir parte da população. Os corpos dos infectados começam a apresentar manchas negras que vão se alastrando na pele, como se estivesse apodrecendo). - (Final Fantasy, Monologo Inicial – Marlene Wallace)




Assim começa a história de Final Fantasy, Advent Children, um dos únicos filmes da franquia de jogos de mesmo nome. Nesta história nos deparamos com Cloud, um SOLDIER renegado que junto com outras pessoas, tentava impedir Sephirot de destruir o planeta. Desta vez ele terá que enfrentar outro grupo de SOLDIER’s, denominados “gangue do Kadal. Obcecados em despertar Jenova, e concluir os interesses de Sephirot que aparentemente conseguira sobreviver ao dia juízo e seria o causador do tão temido geostigma.

Advent Children, conta com um projeto de animação excelente, tanto de personagens quanto de cenários e monstros. A história que observamos se passa em um período aparentemente pós-apocalíptico e futurístico, e em momento nenhum seu enredo deixa a desejar em suas cenas de lutas que tornam-se ainda mais extraordinárias com a trilha sonora criada especialmente para o filme (pra falar a verdade, você pode experimentar inclusive aquela sensação de arrepio em algumas delas), mas este filme não se resume apenas a batalhas, algumas cenas são realmente emocionantes. Infelizmente, apesar de bem planejados a franquia de jogos rendeu apenas dois filmes, dos quais, Advent Children é sem duvidas o melhor. Deste ultimo, foram lançadas duas versões, a primeira bem mais resumida, e a segunda, mais estendida, oferecendo cenas inéditas, mas que não acrescentam muito a história. Mesmo assim, independente da versão a qual você tiver acesso, este filme não deixa de transmitir uma sensação única, além de uma grande mensagem de companheirismo.





 

Nenhum comentário

Postar um comentário

Expresse-se