Cinema #41 - Dragon Ball Z: A Batalha dos Deuses!



Depois da batalha de Majin Buu, o universo está em equilíbrio, mantido pelas ações simultâneas do Deus da Criação e do Deus da Destruição. Quando um poderoso Deus da galáxia é derrotado pelo estudante Goku, o jovem decide que seu próximo adversário deve ser o Deus da Destruição. Mas todos tem medo que o universo entre em colapso com essa batalha.












*******************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
*******************************************************************
☆☆☆☆


Em Dragon Ball Z a Batalha dos Deuses temos uma nova franquia cinematográfica para fazer com que os fãs gastem seus preciosos centavos no cinema, aguardando um ótimo filme. Mas, por favor, não faça isto. Se você não foi iludido pelo trailer deste filme, então, comemore, porque, não havia maneira pior de afundar Dragoon Ball. E eu achando que o final do anime GT já tinha sido cagado.


Após derrotar Majin Boo, Goku foi ao planeta do Kaio do Norte, fortalecer seus poderes. E o momento não poderia ser mais oportuno. Um novo e poderoso inimigo está despertando. O conhecido como Grande Bill, deus da destruição, despertou, depois de longos trinta e nove anos em sono profundo, e está sedento por uma boa batalha. Mas não qualquer batalha. Ele quer enfrentar o deus dos Sayajins. E durante uma expedição a Terra, os rumos de um simples dia podem modificar todo o futuro dos humanos, tendo como controlar dos fios do tempo, este mimado alienígena que anseia pela batalha de sua vida.

O que falar desse filme? Aposto que a crítica vai ficar curta, porque o filme é uma porcaria fechada. Sinceramente, depois de tantos anos, esperava mais de um anime que foi tão adorado por jovens como eu. Mas não. A coisa ficou pior. Eles me trazem um filme, onde jogam tudo assim, sem mais nem menos, elaborando um enredo pra lá de idiota e me adicionando pequenas batalhas sem sentido para complementar, como dizemos no ditado popular, a cereja do bolo. Pode ficar pior? A julgar pelo rumo como as coisas vão, eu responderia, sim, pode! Vai que eles decidem trazer uma seqüência. Rezemos a partir de hoje que não. O filme não é totalmente sem nexo, porque o enredo central é montado em cima da história original, contudo, isto não muda a carência de falta de assunto e dinâmica entre os personagens. Senti-me assistindo aquelas animações, produzidas por fãs, que nem sabem por que estão fazendo isso, muitas vezes, apenas pelo prazer de fazer algo “produtivo” e ao mesmo tempo, tão tosco.




O curta perde em todos os termos, menos em computação gráfica, onde a diligente se altera. Tirando os magníficos cenários que marcam os lugares onde as batalhas e brigas (o deus da destruição ameaça destruir a Terra porque não comeu pudim... Poupem-me) acontecem. Pelo visto, é o único ponto favorável.

Sinceramente, se você está buscando matar a saudade de Dragoon Ball, e quer rever as boas lutas que vimos no anime, por longos e longos anos, por favor, não assista a esse filme. É um desperdício de tempo do mundo e seu! Faça algo mais produtivo, como olhar para o teto ou até mesmo dormir. Vai se surpreender muito mais (Exagerado Modo On)





Um comentário

  1. Olá, tudo joia?!
    Está lindo seu blog, já estou te seguindo...
    Segue o meu tbm, eu iria adorar!!!
    http://manyelly.blogspot.com.br/
    http://www.pinterest.com/manyelly/
    Sucesso para você!!!
    Bjo

    ResponderExcluir

Expresse-se