Resenha #82 - A Seleção!



Título: A Seleção
Autor: Kiera Cass
Editora: Seguinte
Edição: 1 
Ano: 2012
Idioma: Português 
Especificações: Brochura | 361 páginas 
ISBN: 978-85-6576-501-5 
Peso: 420g 
Dimensões: 230mm x 160mm

Ganhei um exemplar da prova do livro de A Seleção no evento de lançamento do selo Seguinte da Companhia das Letras. Diana, Mídias Sociais da editora, explicou bem o livro e disse uma realidade: não leia esperando um distópico. Quando eu o li logo que lançou nos Estados Unidos, era isso o que eu esperava e foi uma decepção, foi quase impossível não ficar com raiva do infeliz que fez o marketing de The Selection dizendo que a obra era "um encontro de Jogos Vorazes com The Bachelor". Besteira. Não é! Segundo a autora, o objetivo não é escrever um distópico. Mas se você gosta de romances onde a mocinha tem pinta de Cinderella, esse é seu livro.
Em uma sociedade dividida por oito castas, a fome assola as mais baixas e preocupa os privilegiados e os rebeldes estão cada vez mais violentos. Nesse mundo assolado pela desesperança, trinta e cinco garotas terão sua chance de conhecer a família real e tornar-se princesa, basta fazer que o príncipe Maxon fique caidinho por ela. America, nossa protagonista, não quer ser uma dessas garotas mas as coisas não estão fáceis para sua família e com a pressão aumentando ela decide se inscrever. Quais as chances de ela ser selecionada? Para ela, é impossível. Ledo engano. Ela não só foi chamada como teve seu amor posto a prova. Mas quem será que ela realmente ama?


*********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
*********************************************************************
★★★☆




America Singer não é uma garota peculiar como todas as outras da sua cidade ou do seu mundo. Diferentemente de todas as outras ela nunca sonhou em ser princesa e viver no imenso castelo com o príncipe. Ela só quer ser feliz, dentro de uma pequena casinha, ao lado de seu amado Aspen. Mas com A Seleção chegando, e sua mãe, uma alpinista social, creditando todas suas esperanças na filha, será ela capaz de não se render aos encantos do Príncipe Maxon?

Em uma sociedade futurística onde fomos divididos por castas do 1 ao 8, Kiera Cass remonta uma história com enredo bastante envolvente, com delicadeza e muita destreza. A narrativa não só é muito boa de ler, como as descrições possuem um alto grau de detalhes, mesmo que não enrolem tanto como em outros livros (codinome Instrumentos Mortais). Gostei principalmente da forma de separar os capítulos. Cass não só é bem direto em suas palavras, como não deixa passar detalhe algum ao leitor, de forma que você sempre tem as mais diversas cenas para ler e apreciar. Em alguns momentos, raros, ela acabou perdendo um pouco esse ritmo, mas nada muito escandaloso, para se criticar.



A Seleção possui tantas críticas implícitas em suas paginas quanto Jogos Vorazes, e apesar de ser claramente uma distopia bem mais voltada para o público feminino, também é capaz de agradar leitores masculinos, caso você não de muita importância a capa altamente “mulherzinha” que tem. Sou sincero a dizer que acabei imaginando o livro de forma bem diferente. Na realidade, achei que provavelmente não ia gostar, porque achava que viria recheado das mais inacreditáveis futilidades, mas no fim, me surpreendi. America não tem nada de semelhança com a garota da capa que você possa imaginar, além da aparência. Como já disse acima, ela não gosta de atenção, não tem amigas, nem só pensa em roupas. Ela é basicamente uma pessoa “que voa abaixo do radar”, mesmo com sua beleza estonteante. Além disso, quando entra na Seleção, acaba entrando apenas por um mero engano do destino. Seus planos nunca foram ser princesa. Ela queria era viver do jeito que sempre viveu, portanto que continuasse a ser feliz. Lógico que com sua ida a essa espécie de reality show, onde 35 cinco garotas lutaram pela coroa e por um casamento com o príncipe, mudanças vão ocorrer, e para descobrir essas mudanças você tem que ler. Aguardem porque eu quero ler a seqüência, sem dúvidas.


Espero que encontre uma pessoa sem a qual não possa viver. E desejo que nunca precise saber como é tentar viver sem ela.” (Pag: 213)


Se tiver algo que eu realmente não curti foi à ausência de ação no livro. A autora soube expressar muito bem várias cenas engraçadas e românticas, o que não deixa o livro batido (apesar de conter o velho clichê do triangulo amoroso, que eu num curto muito), mas achei que poderia ter sido explorado mais também, o lado “interessante” da história, citando mais momentos da guerra que acontece fora dos muros do castelo, ou alongado mais as invasões que ocorrem no decorrer dos capítulos. Houve muita centralização em coisas banais que os personagens faziam; detalhes estes que poderia ser passado facilmente. Talvez seja uma jogada da autora para deixar mais informação para os próximos volumes. Por hora, vamos esperar pelo resultado de A Elite quando o tiver em minhas mãos para ler. Mas que fique claro: Kiera Cass é uma fofa, e pelo pouco que conheço dela, mas pelo muito que escreveu nos agradecimentos, ela possui um imenso carinho pelos leitores. Espero retribuir :)

Dedicatória muito fofa da Kiera :3




 

Um comentário

  1. Olá, David Andrade.

    Eu estava na livraria um dia desses procurando alguns livros que eu queria comprar, e perguntei à ajudante da loja um livro que ela achasse bom.
    Ela me falou dessa série, no início não me interessei muito, justamente por ter pensado que era feminino demais (julgando pela capa), mas depois de algumas resenhas eu me interessei, e principalmente essa, é bom saber de uma opinião masculina quanto a estes tipos de livros, e agora, me interessei.

    Obrigado pela resenha
    - Magno Nascimento | Clube das 6 (Participações especiais)

    ResponderExcluir

Expresse-se