Resenha #108 - Chá de Sumiço!



Título: Chá De Sumiço
Autor: Marian Keyes
Editora: Bertrand Brasil
Edição: 1
Ano: 2013
Idioma: Português
Especificações: Brochura | 644 páginas
ISBN: 978-85-2861-838-9
Peso: 900g
Dimensões: 230mm x 160mm
 Helen Walsh não vive um bom momento. O trabalho como detetive particular não vai bem, o apartamento foi tomado por falta de pagamento e um ex-namorado surge com uma proposta de trabalho: encontrar o desaparecido músico da Laddz, a boy band do momento. Precisando do dinheiro, ela se vê forçada a aceitar, o que causa uma confusão em sua cabeça ao conviver com o ex e precisar acalmar o atual namorado. Ao tentar seguir suas próprias regras, Helen será arrastada para o mundo complexo, perigoso e glamoroso do showbiz, percebendo que seu pior inimigo ainda está por surgir. Irresistível, comovente e muito engraçado, Chá de sumiço é diferente de todos os romances do gênero, e a protagonista – corajosa, vulnerável e dona de uma língua afiadíssima – é a heroína perfeita para os novos tempos.
Livro cedido pela Editora Bertrand Brasil


************************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
************************************************************************
 



E mais uma vez Marian Keyes prova que ainda tem assunto de sobra pra falar, em sua mais típica receita, com quantidades generosas de humor, sarcasmo e uma pitada de sensualidade. Suas críticas mais do que atuais tornam-se cômicas na língua de sua personagem Helen Walsh.

Em uma conturbada guinada de vida, a jovem Helen acaba perdendo seu amado e terrível apartamento por não conseguir pagar as prestações de sua hipoteca. Depois de longos meses sem conseguir um único trabalho decente e acaba sendo obrigada a retornar a casa dos pais. Mas a vida está prestes a lhe sorrir (um belo sorriso amarelo), quando ela é contratada para encontrar um superastro desaparecido de uma boyband que esta prestes a voltar aos palcos depois de longos anos separados, e estaria tudo muito bem se quem a tivesse contratado não fosse um ex-namorado do qual ainda guarda certas mágoas. Sem alternativas, nossa heroína acaba aceitando o trabalho, obrigando-lhe a reviver facetas inglórias (porém divertidas) de sua vida como investigadora particular.

A caçula da família Walsh mostrou-se uma pessoa extremamente cativante apesar de ter capacidade de parecer rude mesmo quando está falando normalmente. Convenhamos, eu me identifiquei bastante. Sua forma irônica de se relacionar com as pessoas que a cercam e sua singela lista da pá (sim, ela elenca todos os itens em que um dia gostaria de tacar uma bela pá, sejam pessoas, objetos ou formas de expressão, uma ideia incrível que pretendo por em prática).

O cômico parece perseguir a vida de nossa personagem até mesmo em suas crises de depressão, seus fracassos pessoais que incluem dentre tantos outros vexames e duas tentativas de suicídio frustradas. E apesar de todo o humor, o tema da depressão de nossa personagem é abordado de forma direta e sem rodeios, a dificuldade da aceitação da doença e o distanciamento das pessoas tidas como amigas, mas que não conseguem conviver com a situação.

Não era culpa de ninguém. Na verdade, a culpa era da minha própria ignorância e das minhas expectativas elevadas demais.Chá de sumiço (pag. 435, 436)



O livro inteiro é composto desta montanha-russa de emoções, momentos de decadência, tomados por comicidade, e momentos de adrenalina tomadas por sensualidade. Quem já teve o prazer de ler alguma outra obra da autora sabe bem do que estou falando. É impossível não amar a história e seus personagens surpreendentemente reais e fascinantes como a jovem Bronagh ou a filha mais nova de Artie, a pequena e rosa Bella, incrivelmente perspicaz para sua pouca idade.

"Ás vezes os homens choram, isso não É ilegal." Chá de sumiço (pag. 275)

Uma curiosidade para quem não é fã de Marian Keyes: a família Walsh marca bastante presença em seus livros, pra ser mais específica, a autora dedicou cinco livros (o ultimo, este que vos indico) a vida das garotas desta família. Claire é a protagonista de Melancia; Rachel é a protagonista de Férias; Margaret a protagonista de Los Angeles; Anna aparece como protagonista de Tem Alguém Aí? E por fim, temos Helen como protagonista de Chá de Sumiço.


E a escolha de Keyes por escrever histórias distintas é muito interessante, pois podemos vislumbrar como anda a vida das demais personagens já que estão constantemente interagindo umas com as outras. Quem nunca se perguntou como andaria a vida e as aventuras vividas por determinado personagem depois que o livro ou saga chegou ao fim?

O livro Chá de Sumiço ainda conta com um bônus em seu final, uma breve sessão de perguntas e respostas feita com a autora, uma surpresa mais do que agradável.


3 comentários

  1. Marian Keys divando, como sempre.
    http://agalileu.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Aaai gente, eu amoooo Marian Keyes!!! Só falta ler "A estrela mais brilhante do céu" mas os livros da família Walsh são demais!! Esse eu amei de paixão porque a personagem fala sobre depressão também, me encontrei no livro!!!!
    *-*
    Obrigada por compartilhar uma das minhas escritoras favoritas!!!
    <3

    ResponderExcluir
  3. Sempre quis ler este livro ! Depois desta resenha, lerei com certeza ! Ouço falar muito bem desta autora e não li nada dela... AINDA ! haha.

    Abraços !

    Wesley Lennox - Estante das Fadas
    http://www.estantedasfadas.com.br

    ResponderExcluir

Expresse-se