Resenha #107 - O Caçador: As Trevas da Verdade!



Adrian é um jovem que sem saber, possuía o sangue sagrado dos caçadores em suas veias, nascido e criado na Romênia, por seu avô Bernard, seu único companheiro e mentor, que lhe ensinou todos os valores que precisava aprender para ser um bom caçador, um homem honrado e benevolente. Foram longos anos de paz, tudo caminhava para que se tornasse apenas um homem que vivia com o que a mãe natureza tinha a oferecer... Até o momento em que um misterioso viajante, traz notícias de seu pai, há muito tempo desaparecido. A verdade obscura que lhe fora escondida será finalmente revelada.

Criaturas que habitavam os seus piores pesadelos viriam à tona. Estava na hora de abraçar seu destino. Seus dons adormecidos seriam usados novamente para combater as trevas que reinavam sobre a humanidade. A guerra está apenas começando.


*********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
*********************************************************************



Formulado em uma época medieval, Adrian e seu avô Bernard guiaram os leitores por uma emocionante e feroz aventura através dos territórios romenos.

Adrian é um rapaz como qualquer outro, vivendo afastado do vilarejo juntamente ao seu avô, sobrevivendo sempre de caças que executa ao lado do mesmo. Contudo, isto está prestes a mudar. Adrian não sabe mais sua família descende de uma importante linhagem de caçadores, que buscam concretizar um único objetivo: eliminar a praga do século, os vampiros. Para isto, porém, o rapaz vai precisar da ajuda de seu avô, Bernard e de um amigo improvável, o primeiro lorde vampiro, Demetrius. Junto, se arriscarão em uma perigosa viagem rumo a Alexandria para derrotar o Conde Aldern e restabelecer a paz novamente em seu território.

O Caçador, As Trevas da Verdade é uma emocionante aventura que te guia por uma época sombria e altamente sedutora, repleto de cenários que fazem não só o leitor viajar, mas se imaginar lá! Victor Bulhões trouxe aos seus leitores as velhas histórias dos vampiros, onde nunca se podia confiar numa criatura desta (mesmo aqueles que parecem amigo). Queriam livros de vampiros autênticos? Pois ai está! Leia! A obra não só envolve um elaborado enredo que mistura história fictícia com realidade bíblica, mas também reforça conceitos fortes como, destino e laços e heranças familiares. É um prato cheio para quem senti falta dos velhos contos vampirescos, com direito a Drácula e tudo!

Um dos pontos mais fraco que considerei foi o protagonista, Adrian. Apesar de no começo se mostrar um bom rapaz e possuir um senso de justiça inabalável, achei ele muito cheio de si, mesmo quando não mostrava experiência alguma em combater vampiros. Certo, ele tinha experiência em caça, mas as batalhas que enfrenta no decorrer do enredo não são nada semelhante às caças que executou, até porque, está matando coisas vivas que andam e falam como gente (mesmo não sendo, tem aparência). Achei-o muito frio na realidade, meio vazio de sentimentos. Não sei dizer se foi pouco o que conheci dele ou se essa é realmente sua personalidade. O fato que posso ressaltar é que esperava vê-lo tremer em alguns momentos, principalmente pelo fato de carregar nos ombros um peso enorme. Mas sempre manteve-se firme e metido quanto a “ser o todo poderoso”. Se vamos falar de personagem bem elaborada, então vamos falar de Bernard, o MELHOR PERSONAGEM PRA MIM. Ele não só é “fodastico” como também não deixa o leitor a desejar em quesito algum. Apesar de ser velho (e eu tenho a mera impressão que ele vai morrer, porque isso sempre acontece com os personagens que gosto, e não isto não é spoler, é só uma visão minha), com certeza é o personagem mais bem estruturado, tanto fisicamente descrito quanto psicologicamente. O cara é tipo um mestre no raciocínio, e nem vou mencionar ele lutando.

Pude identificar também alguns pontos de referencia que remetem as paixões do autor em relação a Harry Potter. Tiveram momentos que, eu, pelo menos, encontrei certas semelhanças. Semelhanças, claro, do tipo que passam sutilmente disfarçadas! Nada extravagante! É só porque eu também sou fã demais pra não notar.

No mais, acho que só uma advertência a editora para com a revisão. Tem uns erros ortográficos bem chatos, sem contar na sinalização, com excesso de vírgulas no lugar de pontos finais. Mas nada que prejudique a leitura. O Caçador, As Trevas da Verdade é um livro legal para se curtir numa tarde de descanso ou para abstrair-se da realidade.



2 comentários

  1. Só por ter referencias a Harry Potter já parece valer a pena *-*
    Parece ser um bom livro!
    Abraços, Uma vida nos livros

    ResponderExcluir
  2. Valeu David, vi que você gostou do livro e espero lê-lo o quanto antes, não sei se tem realmente referências com HP, mas vamos ler e ver o que a história nos trás.

    Abraço,
    Diego de França
    Leitor Sagaz | Participe do Top Comentarista | Grupo Amantes da Literatura no Facebook

    ResponderExcluir

Expresse-se