Cinema #80 - A Culpa é das Estrelas!





Ficha Técnica
Gênero: Drama
Direção: Josh Boone
Roteiro: Michael H. Weber, Scott Neustadter
Elenco: Allegra Carpenter, Amber Myers, Ana Dela Cruz, Ansel Elgort, Apurva Padubidri, Bethany Leo, Camera Chatham Bartolotta, David Whalen, Emily Bach, Emily Peachey, Eric Filo, Frankie Palombi, Garit Rathmell, Jean Brassard, Johanna McGinley, Laura Dern, Lotte Verbeek, Maddox Rathmell, Mike Birbiglia, Milica Govich, Nat Wolff, Randy Kovitz, Sam Trammell, Shailene Woodley, Silvio Wolf Busch, Viviana Cardenas, Willem Dafoe, Wyatt McClure
 Sinopse
A Culpa é das Estrelas acompanha a jovem Hazel Grace, uma menina que tem um tipo complexo de câncer. Em uma de suas idas a um grupo de apoio ela conhece Augustus Waters, um jovem bonito com quem ela vai viver uma grande história de amor - e aprender que a vida é cheia de novas possibilidades.


*********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
*********************************************************************


"As marcas que os seres humanos deixam são, com frequência, cicatrizes - (Hazel)


Como definir essa adaptação? Eu poderia dizer que foi perfeita, fiel ou até mesmo inesquecível, mas nem mesmo estas palavras seriam suficientes para definir o sentimento atual que tenho pelo filme. A Culpa é das Estrelas é sem sombras de dúvidas meu melhor filme de 2014, e digo isso com a maior convicção sabendo que nenhum outro filme este ano será tão emocionante quanto este. Duas sessões não foram suficientes para matar minha emoção.

Hazel é uma garota com um câncer terminal nos pulmões. Sua vida nunca foi muito emocionante e os últimos anos de sua existência tem sido os mais longos que ela pode imaginar, principalmente porque ela não sabe se amanhã ainda irá acordar. Mas Augustus Waters pode transformar essa breve existência em um pequeno infinito. Em uma verdadeira missão de vida, ambos juntam-se para realizar um o desejo do outro, e nesse aparente pequeno envolvimento, os dois vão acabar descobrindo o doce prazer de um amor verdadeiro, mesmo que não possam contar com um para sempre ou com o final feliz.

okay Ana Maria Braga entrevista o escritor John Green

Existem gostos e mais gostos. Muitas pessoas criticam ao mesmo tempo em que outras glorificam. Eu estou do lado das que glorificam. No meio globalizado em que vivemos, as empresas atuais de cinematografia querem apenas viciar as pessoas nas mais diversas baboseiras. A Culpa é das Estrelas não é uma baboseira. Você pode até muito bem não aceitar que seja um filme aceitável (como eu disse, opiniões são coisas pessoais), mas não pode negar a emoção e a forte história que permeia todo o enredo. Por trás de todo esse fundo teen, existe uma trama muito mais arquitetada, repleta de veracidade e não de clichês bobos que você encontra em cada esquina. Acha idiota ou até sem graça falar sobre o câncer? Então experimente sentir na pele apenas uma vez na vida o que é lidar com pessoas com essa doença, sabendo diariamente que estão mais destinadas a morrer do que a maioria da população. Então não venha falar de sentimentalismo nesse filme. Não é sentimentalismo. É a dura realidade, fria e crua, exposta para que todos tenham um mínimo desse gostinho para provar. O lado bom de A Culpa é das Estrelas é que ela não tem um final feliz, não é um conto de fadas e muito menos espera ser. Ele é mais um livro que surpreende não só pela ironia de seus personagens, mas também pela eficácia que o autor John Green teve em se expressar. Vi críticas falando sobre a linguagem adolescente. GENTE, PELO AMOR DE DEUS, LEIA O PÚBLICO AO QUAL O FILME ESTÁ VOLTADO. É VOLTADO PARA TODAS AS IDADES, MAS TEM SEU PÚBLICO ALVO QUE É: ADOLESCENTES! ENTÃO PAREM DE RECLAMAR DA LINGUAGEM ADOLESCENTE QUANDO O FILME TEM QUE TER ESSA LINGUAGEM!

 



 

Desculpa gente, me exaltei, mas eu tinha que me pronunciar. Já não bastasse Crepúsculo que o povo mete o pau, ai agora, por causa do sensacionalismo em A Culpa é das Estrelas, o povo quer aparecer. O filme não deixa ponta solta em nenhum momento, sendo idêntico ao livro nos mínimos detalhes, então espere ver Gus sem perna e o Isaac sem olhos. Super bem produzido, é aquele filme para se assistir rodeado de amigos para compartilhar a dor que lhe espera conforme a trama vai se desenrolando. Nada de adoçar a vida de ninguém. Os roteiristas foram bem fieis quando colocaram tudo em pratos limpos. Com interpretações perfeitas e totalmente de se deslumbrar, se você leu o livro, vai ver seus personagens ganharem vida cada vez mais. Além disso, dêem atenção para os cenários! Amsterdã! AHHH! Quem não quer ir lá?

Admito que a escolha dos protagonistas me deixou inquieto logo que foi divulgado. Mas sem sombra de dúvidas Shailene Woodley e Ansel Elgort são Hazel e o Gus perdido! E que foram encontrados. Eu ficava de boca aberta com a interpretação que ela fez. Já não deve ter sido nada fácil filmar o filme todo com aqueles canudos no nariz, imagine fingir que estava realmente sentindo falta de ar. A cena na casa da Anne Frank, com aquelas citações sendo ressaltadas, MEU, CORTA CORAÇÃO E FAZ VOCÊ SE DESMANCHAR EM LÁGRIMAS. E a trilha sonora D: Ai você vai chorar muito mais. Leitores do livro esperem muitas emoções e o máximo de detalhes possíveis. E se você estiver na dúvida devido ao fato das modinhas, bem, vá assistir ao filme sem olhar por esse lado, mas avaliando que seja um filme de qualidade (para adolescente ok) e com bons momentos de emoção. No mais, dica que quem for assistir tem que seguir: LEVE UM SACO DE LENÇOS!

tumblr n0e2jfrdej1ravtxfo3 5001 O que esperar de A Culpa é das Estrelas


Nenhum comentário

Postar um comentário

Expresse-se