Resenha #122 - A Biblioteca Mágica de Bibbi Boken!




Ficha Técnica
Título: A Biblioteca Mágica de Bibbi Boken
Autor: Jostein Gaarder, Klaus Hagerup
Tradução: Sonali Bertuol
Capa: Silvia Ribeiro
Editora: Cia. das Letras
Ano: 2003
Idioma: Português
Especificações: Brochura | 180 páginas
ISBN: 978-85-3590-370-6
Peso: 240g
Dimensões: 210mm x 140mm
 Sinopse
Quando Nils e sua prima, Berit, voltam de férias, os dois decidem escrever um diário conjunto para manter contato, que seria mandado pelo correio sucessivamente, já que moram em cidades diferentes.
Quando Nils vai comprar o livro, ele tem um estranho encontro com uma mulher que ambos conheceram nas férias, e que faz questão de ajudá-lo a escolher o diário certo.
Intrigado, Nils começa a seguir a mulher e "furta" uma carta de sua caixa de correio que menciona um sebo em Roma. O estabelecimento guardaria não apenas livros raros, mas também livros ainda não escritos. E um desses livros se refere a uma certa "biblioteca mágica".
A aventura mal começou, mas o leitor já se vê mergulhado num grande mistério. Quem é Bibbi e que biblioteca mágica é essa? É um caso para os pequenos detetives Nils e Berit investigarem a fundo - e tudo aquilo de que o leitor precisa para se divertir pelas páginas restantes.


**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************


Passeio pelas estantes da biblioteca. Os livros me dão as costas. Não para me rejeitar, como as pessoas: são convidativos, querendo apresentar-se a mim. Metros e mais metros de livros que nunca poderei ler. E sei: o que aqui se oferece é a vida, são complementos à minha própria vida que esperam ser postos em uso. Mas os dias passam rápidos e deixam para trás as possibilidades. Um único desses livros talvez bastasse para mudar completamente a minha vida.


A Biblioteca Mágica de Bibbi Bokken é um livro que fala sobre... Livros. Esta é mais uma daquelas obras que você abraça e não larga mais, não só pela história engraçada, como também pela gostosura que ela transmite em suas 179 páginas.

Nils e sua prima Berit estão tentando matar a saudade correspondendo-se através de um livro de cartas. A idéia surgiu numa bela tarde enquanto Berit conversava com uma amiga, e tem se tornado uma boa maneira de desabafar as últimas loucuras que tem acontecido em sua vida. Desde as últimas férias de verão, quando encontraram uma estranha mulher que parecia querer devorá-los com os olhos, as coisas andam meio estranho. Bibbi Bokken esconde muito segredos, e um deles é a biblioteca mágica, um lugar onde, supostamente, haveria até mesmo livros que ainda nem foram lançados. Seria possível isso realmente existir? Enquanto Nils e Berit investigam sobre a biblioteca, mais entrelaçado nessa história vão ficando e diversas outras dúvidas vão surgindo. Um desfecho surpreendente aguarda esses dois pequenos detetives.

A aventura desse livro nasce nas belas ruas da Noruega, nas mais inestimáveis paisagens que fazem o leitor viajar juntamente com todo o enredo. Dividido em dois momentos, a obra trás em sua primeira parte um monólogo de cada protagonista, centrando-se em forma de carta, como se os protagonistas estivessem escrevendo-a enquanto te contam o que está se passando. Por isso, os capítulos vão se alternando entre Nils e Berit, para que cada um conte sua experiência ao leitor (bem parecido com o esquema de As Vantagens de Ser Invisível para quem já leu). Entretanto, essa primeira parte não é das mais instigantes. Mesmo com um mistério bem “legalzinho”, o livro possui pontos bem chatos, como por exemplo, o excesso de narrativa e pouco diálogo. A coisa acaba ficando bem monótona e pode ser tomada como um tédio.

Agora estou sentado aqui, tentando organizar meus pensamentos. O que nem sempre é tão fácil, principalmente quando tem alguém tentando roubá-los.


De repente senti muita fome. Não de comida, mas de todas as palavras escondidas naquelas estantes. Mas eu sabia que por mais que eu lesse durante toda minha vida, nunca conseguiria ler um milésimo de todas as frases que já foram escritas. Sim, pois há tantas frases no mundo quanto há estrelas no céu. E elas se multiplicam e se expandem continuamente, como o espaço infinito. Mas ao mesmo tempo eu sabia que, a cada vez que eu abrisse um livro, eu veria um pedacinho desse céu. Sempre que lesse uma frase, saberia um pouco mais do que antes. E tudo o que leio faz o mundo ficar maior, ficando maior eu também. Por um momento, eu contemplei o fantástico, o mágico mundo dos livros.

Contudo, a segunda parte tende a melhorar. Nessa parte em questão, deixamos o formato de cartas e vamos à narrativa normal. Dá página 112 a 179 é um imenso único capítulo que vai se alternando entre os dois primos conforme seus pontos de visão colidem numa única solução. Essa parte é a mais legal e as coisas melhoram bem mais quando a história perde um pouco da infantilidade e se transforma em algo mais “adulto”.

Uma coisa a se saber sobre A Biblioteca Mágica é que este é um livro que fala de livros, ou seja, espere diversas informações relacionadas a questões administrativas ou até preceitos fundamentais que todo leitor provavelmente sabe. Por outro lado, é um livro doce e meio engraçado, com fortes citações que com toda certeza você irá se identificar.


Nenhum comentário

Postar um comentário

Expresse-se