Cinema #86 - Guardiões da Galáxia!



Gênero: Ação
Direção: James Gunn
Roteiro: Chris McCoy, Nicole Perlman
Elenco: Benicio Del Toro, Bradley Cooper, Chris Pratt, Dave Bautista, Djimon Hounsou, Emmett Scanlan, Glenn Close, John C. Reilly, Karen Gillan, Laura Haddock, Lee Pace, Melia Kreiling, Michael Rooker, Ophelia Lovibond, Peter Serafinowicz, Vin Diesel, Zoe Saldana
Produção: Kevin Feige
Fotografia: Ben Davis
 Sinopse
Peter Quill (Chris Pratt) rouba uma esfera desejada pelo vilão Ronan. Devido ao furto, passa a ser procurado por vários caçadores de recompensas. Na tentativa de escapar, une-se a quatro personagens: Groot, uma árvore humanóide (dublada por Vin Diesel), Gamora (Zoe Saldana), o texugo Rocket Racoon (com voz de Bradley Cooper) e Drax, o Destruidor (Dave Bautista). O personagem principal descobre que a esfera roubada possui um poder capaz de transformar o universo e passa a proteger o objeto para salvar o futuro. O longa é baseado nas HQs da Marvel.


*********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
*********************************************************************



Divertido e descontraído. Guardiões da Galáxia diferencia-se dos outros filmes da Marvel, onde esquecemos toda a seriedade de salvar o mundo para dar boas gargalhadas com heróis... Nada heróis.

Peter Quill foi sequestrado ainda quando criança de seu planeta natal, Terra. De lá, guarda apenas as tristes lembranças das palavras finais de sua mãe e o toca fita com relíquias que divertem suas caçadas espaciais. E é em uma das suas famosas caçadas que localizará uma perigosa esfera desejada nada menos nada mais do que pelo tirano Ronan, o acusador. Quill, agora será caçado pela galáxia, onde sua cabeça vai valer tanto quanto a misteriosa esfera.

Durante uma de suas perigosas fugas, ele acaba sendo preso com um bando de outros desajustados: a perigosa mercenária Kree, Gamora; o caçador de recompensas Rocket e o humanóide Groot. Todos são levados a prisão intergaláctica onde se juntam a Drax, um perigoso vingador que deseja levar a justiça Ronan por ter matado sua família. E é nas mãos desta equipe de anti-heróis que estará o destino do universo. Enquanto buscam saber quais segredos escondem essa esfera que tantos desejam, Ronan expande seu império em busca de controlar toda a galáxia sobre o comando do maligno Thanos.


Guardiões da Galáxia traz mais um Q de diversão do que os outros filmes heróicos da Marvel até o momento. Apesar de todas as piadas irônicas que localizamos em O Homem de Ferro e Os Vingadores, nada se compara a comicidade guardada nas cenas deste longa. Com personagens bem estruturados e altamente apaixonantes, a Marvel pode comemorar por ter mais uma jóia preciosa nas mãos. Além de explorar personagens do HQ que se mostram tão apagados devido ao brilho de outros mais famosos, agora podemos aguardar uma nova legião de fãs que vai surgir para acompanhar as próximas aventuras dessa equipe (para quem não sabe, já foi confirmada continuação para o longa).

Todas as interpretações estão de parabéns. Chris Pratt, nosso Peter Quill não deixa a falhar com os fãs que esperavam encontrar um personagem divertido e diferente. E apesar de pessoalmente ter achado o humor meio extravagante por diversos momentos (acho que faltou tratar com seriedade algumas cenas), quem rouba realmente a cena é o texugo Rocket, com seu estilo único, personalidade cativante e jeito de vida peculiar: “atirar primeiro, falar depois”. Claro que você também pode se emocionar com o mero Groot, que em primeiro momento se mostra um personagem tão apagado, porém, que vai ganhando vida conforme o enredo se desenvolve. O foco do filme e falar sobre os laços familiares e a amizade, conceitos bem infantilizados, apesar das cenas de ação que nada combinam com a indicação para crianças. Como eu falei, apesar de todo o teor cômico, ainda estamos lidando com cenas fortes, que envolve sangue ou perda de membros. Ênfase no quão impressionante é este filme, ao momento que você enxerga que se apaixonou por um personagem que diz apenas uma coisa: "Eu Sou o Groot!"



Se houve algum ponto fraco, foi a cena pós-crédito, meio débil e totalmente irrelevante a meu ver. Para alguém que espera os créditos todos acabarem, esperava algo mais digno.

O trabalho gráfico acho que não preciso nem comentar. Cenários divos, seleção de efeitos hipnotizantes e uma trilha musical mais viciante ainda. Se você não topou ver Guardiões da Galáxia pela história, então se sente no cinema mais próximo e aprecie apenas pelas musicas.


Nenhum comentário

Postar um comentário

Expresse-se