Coluna: Anime da Semana!





Uma das promessas da temporada em que foi lançado, o anime Kill La Kill logo conquistou sua fatia do bolo, apostando em muita comédia, ação, fanservice, alguns eastereggs e muito exagero. Sob a direção de Hiroyuki Imaishi (já conhecido por produções como Gurren Lagann e Evangelion) tendo sido escrito originalmente por Kazuki Nakashima (também autor de Gurrenn Lagann) sendo produzido pelos Estúdios Trigger. A adaptação para mangá veio depois, através dos esforços de Ryo Akizuki, passando a circular como parte da edição da revista Jovem Ace a partir de Outubro de 2013.

Na série, acompanhamos a chegada da aluna Ryuko Matoi como aluna recém-transferida para a Honnoji Gakuen, uma escola supostamente localizada na baía de Tóquio. Ao contrário das academias comuns, a Honnoji Gakuen é conhecida pelos uniformes goku que seus alunos utilizam (fabricados com um tecido especial, os uniformes são capazes de dar poderes a seus usuários. Quanto maior o número de estrelas a roupa possui, mais poder ela passa aquele que a veste) e pela extrema violência com que são tratados a mando da presidente do conselho estudantil Satsuki Kiryuin.

O motivo por trás da transferência de Ryuko é encontrar o assassino de seu pai e obter vingança, matando-o com a mesma lâmina utilizada por ele, a metade de uma enorme tesoura vermelha. Em sua jornada, após ter sido facilmente derrotada na academia, ela se depara com um uniforme diferente dos lá utilizados, bem mais forte e dotado de vida própria, possuindo inclusive o nome de Senketsu, ele se alimenta do sangue da garota em troca de seu poder. Juntos, eles despertam o interesse do conselho estudantil no novo tecido, atenção que vai provocar uma guinada nos dias de nossa protagonista, que também é alvo de alguns ataques da facção rebelde praia de nudismo, uma organização paramilitar contra a propagação dos uniformes goku, alegando que eles seriam uma ameaça para a sociedade devido a força neles contida.

O anime conta com vinte e quatro episódios de uma única temporada estendida, e é um anime bem estranho quanto ao uso desproporcional de fanservice, mas que possui um enredo bastante original e cativante, além de cenas de comédia nos momentos mais inoportunos, quebrando muitas vezes aquele clima de tensão que permanece durante batalhas decisivas. Então, se você é capaz de ignorar algumas distrações visuais, esse anime é uma ótima escolha.

E sobre os EasterEggs que eu mencionei no começo do texto, é curioso pois o anime faz referência a vários clássicos da cultura pop das últimas décadas, um dos exemplos mais notáveis é a cena em que dois personagens secundários muito semelhantes a atores do filme Pulp Fiction aparecem, ou quando Ryuko destrói o clube de tênis e é possível ver parte das esferas do dragão reunidas na confusão de objetos lançados no ar.

Confira algumas imagens:










Nenhum comentário

Postar um comentário

Expresse-se