Cinema #96 - Lucy!



Gênero: Ação
Direção: Luc Besson
Roteiro: Luc Besson
Elenco: Amr Waked, Analeigh Tipton, Cédric Chevalme, Christophe Tek, Claire Tran, Frédéric Chau, Jan Oliver Schroeder, Mason Lee, Min-sik Choi, Morgan Freeman, Paul Chan, Pilou Asbæk, Scarlett Johansson, Yvonne Gradelet
Produção: Christophe Lambert, Luc Besson, Virginie Silla
 Sinopse
Quando a jovem Lucy é obrigada a transportar drogas dentro do seu estômago, ela não conhece muito bem os riscos que corre e acaba absorvendo as drogas, e um efeito inesperado acontece: Lucy ganha poderes sobre-humanos, incluindo a telecinesia, a ausência de dor e a capacidade de adquirir conhecimento instantaneamente.


**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************




A ignorância traz o caos, não o conhecimento


Lucy é um filme magnificamente eletrizante, mas deixa a desejar quando seu enredo, em um primeiro momento, tão bem arquitetado, começa a perder o foco e transforma-se numa rede interminável de acontecimentos.

A jovem Lucy é uma garota que gosta de curtir a vida, sair com os amigos e às vezes, em determinados momentos, fazer ou se meter em situações perigosas, mas nada que pudesse comprometer sua vida. Até que seu envolvimento, mesmo que inconsequente acontece com a márfia coreana. Lucy é presa e forçada a carregar drogas dentro de sua barriga, para que só assim, quem sabe reconquiste sua vida novamente. Mas durante a entrega do produto, num desentendimento com o recebedor, Lucy acaba sendo agredida e a droga vaza para sua corrente sanguínea. Contaminada com a nova substancia que fornece a pessoa acesso as capacidades do cérebro impossibilitadas pela natureza humana, à garota ganha dons e controle sobre tudo e todos a sua volta, tornando-se cada vez mais maquina do que humana. E em uma empreitada para sobreviver e aniquilar, Lucy parte para destruir aqueles que lhe destruíram.



 


O filme começou excelentemente bem, como já citado acima. O longa possui uma base chamativa e envolvente, que ministra com facilidade ficção e realidade. Mas o foco parece ter abandonado o trabalho de Luc Besson, que começou tão bem, distinguindo os campos que iria abordar. Em um primeiro momento vemos Lucy como uma feminista sobrenatural, travando pancada para tudo que é lado, e detonando os bandidos que tornaram sua vida um inferno. A adrenalina e a ação nessas cenas são fortes, e em minha opinião, o ápice do filme. Mas ai o foco vai fugindo, de maneira que o discurso científico toma a frente, e o longa que antes parecia ser uma versão nova de “o vingador do futuro” com a protagonista voltando contra os bandidos de seu passado, torna-se mais “uma experiência da humanidade”, onde os diálogos e cenas de ação somem e a parte cientifica e filosófica tomam a vez. Pessoalmente não sei se este era o propósito da direção do filme. O que posso dizer é que gerou confusão e o desenrolar do filme foi péssimo, de modo que o final deixou super desejar, ficando com fendas e impressões erradas que o longa demonstrava em seu trailer.

Scarlett Johansson novamente foi brilhante em seu papel, demonstrando seriedade e comprometimento a cada cena, de forma que nos primeiros momentos do longa, sentimos na pele sua agonia, ou até mesmo depois, quando o enredo perde sua base e o filme começa a pular de ação para filosófico/documentário cientifico. Além disso, mesmo com o nome poderoso de Morgan Freeman, o roteiro não construiu bem seus personagens, de forma que em diversos momentos, a única personagem aparentemente bem descrita é Lucy, e os outros mais parecem um apurado de última hora, imersos ao próprio enredo a sua volta, surgindo desenfreadamente.

O longa realmente decepcionou e esperava mais. Pessoalmente não guardei uma boa experiência, mas claro, é sempre bom experimentar não, e retirar suas próprias conclusões. Se você curtir toda uma linguagem cientifica e não se deixar entristecer pela perda da ação ou descontextualizarão geral do enredo central, bem, arrisque. 



5 comentários

  1. Esse é o tipo de filme que assistiria se fosse na locadora e visse a sinopse.
    Mais lendo sobre o que achou, fiquei na dúvida. Se um dia tiver a chance verei, mas
    sem grandes expectativas, acho.

    #curtindooblog

    Bjs
    Ótimo trabalho!

    http://dyclubdolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Tive a mesma sensação que você quando vi esse filme, em determinado momento começa a acontecer tanta coisa boba que o WTF colado na testa é inevitável. E no final ela vira um pen drive, tipo?? Tinha tudo pra ser um filme bom, mas o roteiro ficou muito zoado, perdeu a seriedade e eu achei muito mentiroso, eu sei que é ficção científica e tal, mas achei pouco coerente. Mas a Scarlet tava gatíssima. Super concordo com sua opinião desse filme.

    ResponderExcluir
  3. Eu estava com muita expectativa mas agora desanimei agora :/ mas mesmo assim vou ver para tirar minhas conclusões.

    http://criativare-leitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Eu vi o trailer desse filme e fiquei louca de vontade de ver, mas ainda não tive oportunidade. Essa atriz é incrível e sempre faz ótimos papeis, pena que o filme tenha perdido o foco mais pro fim.
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. E aí!!
    Cara, eu ainda não assisti a esse filme, mas quero muito ^^
    Eu já ouvi gente que amou e odiou o final haha, mas ao que parece ela evoluiu tanto que se tornou uma deusa e tals, e isso me instigou a ver o filme =)
    Abraços!!
    Enjoy The Little Things

    ResponderExcluir

Expresse-se