Cinema #98 - Êxodo: Deuses e Reis!




Título: Êxodo: Deuses e Reis 
Gênero: Épico
Direção: Ridley Scott
Roteiro:  Adam Cooper, Bill Collage, Steven Zaillian
Elenco: Aaron Paul, Adrian Palmer, Ben Kingsley, Ben Mendelsohn, Christian Bale, Christopher Sciueref, Emun Elliott, Ghassan Massoud, Golshifteh Farahani, Hiam Abbass, Indira Varma, Joel Edgerton, John Turturro, Kevork Malikyan, María Valverde, Sigourney Weaver
Produção: Adam Somner, Mark Huffam, Michael Schaefer, Peter Chernin, Ridley Scott
Duração: 149 Minutos
 Sinopse
Adaptação da história bíblica do Êxodo, segundo o livro do Antigo Testamento. O filme conta a história de Moisés (Christian Bale), nascido na época em que o faraó ordenava para que todos os hebreus fossem afogados. Moisés é resgatado pela irmã do faraó e passa a viver com a família real. Quando se torna adulto, o profeto é escolhido por Deus para ir ao Egito, buscando liberar os hebreus da opressão.


**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************




Exôdo: Deuses e Reis é um filme extraordinário, trazendo mais uma recontagem bíblica, cercado de paisagens deslumbrantes e efeitos magníficos. Em versão 3D então, o filme só rende uma eletrizante sensação que domina todos do começo ao fim.

Exôdo reconta a história de Moisés, o Príncipe do Egito. Enviado ainda criança pela irmã em um berço pela margem de um rio, o garoto foi encontrado e adotado por uma das filhas do rei. Desde então, o rapaz cresceu sobre os ensinamentos de um povo dominador e guerreiro, que buscou, em diversos momentos, a solução através da guerra. Em determinado momento, porém, profetizado por um xamã, Moisés iria salvar aquele deveria governar (seu irmão, Ramsés) e assumir seu lugar. Contudo, livre de qualquer crença, o jovem se encontra desafiando autoridades bem maiores que os meros mortais. Moisés possui em suas veias o sangue dos hebreus, escravizados por décadas pelos egípcios, e agora, escolhido por Deus, deve reaver a liberdade de seu povo, enfrentando o império que há muito tempo julgou ser seu lar.

O longa reconta detalhadamente um dos contos mais bem comentados da bíblia, que já produziu diversas outras adaptações, não só em desenho, como em formato real, com pessoas. Dirigido por Ridley Scott, a equipe produtiva não errou na temática, como alavancou diversos pontos pela exploração bem aprofundada do conto. Diferentemente de outras adaptações, o foco dessa foi mostrar a juventude de Moisés, assumindo primeiramente uma patente de general e fiel amigo de Ramsés, ao invés de irmãos propriamente dito. Na versão de Scott, Moisés foi adotado pela outra filha do rei, tornando-se caso, primo de Ramsés.

O enredo bem explorado suprir a necessidade do telespectador por detalhes, chegando a ser longo demais em determinado momento. Quase três horas de filme foi realmente uma barra de encarar, levando em conta que partes mais importante foram rapidamente passadas, enquanto outra, sem muito destaque, demoraram mais. O interessante em Scott é a visão amadurecida que passa ao seu herói, tornando-se bem seletivo sobre que momentos abordar. Em primeiro momento temos o cético e seco Moisés, livre de crenças ou religião, e para logo em seguida, quebrar com os paradigmas e mostrar sua face devota altamente justiceira e benevolente.

Christian Bale assumi o papel como Moisés, e sua interpretação realmente rendeu, dando uma boa visualização ao personagem, apesar de alguns detalhes da produção chatear. Como citado, o longa dá grandes saltos no tempo, e a parte do elenco não teve tanto cuidado assim, para mostrar esse envelhecimento. Tirando Bale, que oscila sua fisionomia de uma parte a outra, os outros personagens parecem jamais envelhecer ou ao menos sentir o tempo passar. Em específico esse foi um ponto bastante chato, levando-se em consideração a ótima abordagem do roteiro. Mas as falhas não param ai. Escalar Joel Edgerton também não foi a melhor escolha. Edgerton interpreta super mal o antagonista, e em poucos momentos, sua participação parece plausível. Pelo contrário, não só é difícil convencer que ele realmente faça parte do grupo dos “malvados” como também é complicado de aturar suas cenas, longas e cansativas. Personagens de melhor importância perdem espaço para exibir o glamour de Edgerton, que infelizmente, de glamoroso não apresenta exatamente nada.

Dos momentos mais eletrizantes talvez, e melhor preparado em questões de efeitos especiais, temos as cenas que relacionam as dez pragas. Scott não só aprofundou como gerou na situação um dos momentos mais sufocantes do filme, após quase duas horas e meia de longa e cansativa narrativa sobre debates de guerra ou sofrimento. O foco em demonstrar a desgraça e a escravidão no Egito clássico também é um forte ponto negativo para Engerton, a quem o diretor, em primeiro momento, quis aparentemente humanizar.



Entretanto, a grande massa provavelmente irá se aventurar nas telas para conferir mais uma história clássica que ganha mais uma vez os cinemas. E diferentemente da última adaptação, Noé, a quem muitos críticos condenaram, Êxodo: Deuses e Reis é uma boa pedida, cumprindo bem seu papel e desenvolvendo o enredo com graciosidade. A única necessidade para assisti-lo é possuir paciência.


19 comentários

  1. Uma das coisas que mais me incomodaram no filme, além do tamanho, foi o papel do Ramsés mesmo. Mas acho que talvez nem tenha sido um problema apenas do ator, e sim do roteiro. Em diversos momentos ele demonstrou ser um bobão e, às vezes, até possuir certa compaixão (como quando escondeu a espada de Moisés em sua bagagem antes de exilá-lo). Mesmo ao reencontrar Moisés futuramente, ele demonstra não entender o que tinha de errado com a situação dos hebreus, não de forma cruel, mas simplesmente burra, como um garoto que cresce cercado por determinado conhecimento, sem nunca questioná-lo. Por causa disso foi complicado aceitá-lo como uma babaca arrogante que se fode no final; fiquei até o último momento esperando que ele se redimisse, em um final diferente do esperado.

    The Fat Unicorn

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Elisa
      Verdade. O erro foi dos dois, tanto do ator que não soube impactar o papel, tipo, sei la, dando seu toque pessoal, quanto do roteiro, que trabalhou super mal o antagonista. Até agora não consigo enxergar ele como alguém mal. Só alguém que obviamente foi guiado pelos princípios errados.

      Abraços
      David Andrade
      http://www.olimpicoliterario.com/

      Excluir
  2. Nóe foi bem legal na minha opinião... Eu esperava algo de legal de Êxodo, mas 3h realmente é barra de encarar ueheuh não sei se vou ter paciência. Eu só tive pra ver o Hobbit, mas é um tema que me agrada mais.
    Realmente, falta de produção em envelhecimento de personagens é algo que me irrita muuuuuuuito mesmo, te entendo. Acontece pra caramba, por exemplo, nas novelas brasileiras. Mas em filme não devia acontecer. Os caras tem um orçamento gigante na maioria das vezes, então dá pra caprichar.
    Eu diria que ainda mantenho minha curiosidade em assistir, mas tô menos animada. O jeito é ver e tirar minhas conclusões, né? :(
    Espero que dê pra me divertir hahaha
    Beijos, Amanda.
    Expresso de Nárnia

    ResponderExcluir
  3. Eu gostei bastante da humanização de tudo(assim como no filme Hércules, se não viu, precisa ver), mas tipowwwwww, o mar não secava pro lado, ele era DI-VI-DI-DO na história original.
    Isso pra mim foi o Ó kkkkk
    Sexo, Fraldas e Rock'n Roll

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Paola
      Verdade. Aquela parte eu também prefiro o original, com o mar se abrindo. Achei meio tosco na parte que a onda vem e leva todo mundo, quer dizer, com aquela danação de gente, e ainda ninguém morreu KKKKKKK um tanto sem lógico. Mas fazer oq ne? Preferi a praga dos garfanhotos e dos sapos.
      E não, eu ainda não vi Hércules, mas to doido pra vê!

      Abraços
      David Andrade
      http://www.olimpicoliterario.com/

      Excluir
  4. Me pedir para ter paciência com um filme é complicado, porque eu não costumo suportar muito tempo de duração (exceto com LOTR). Como gostei de Noé, acho que também vou curtir Exodus.

    Leitores Forever

    ResponderExcluir
  5. Oi, David! Parabéns pela resenha, ficou bastante completa. Confesso que já não estava com vontade de assistir ao filme antes de ler a resenha, agora sei que se for assistir, não será mesmo por agora. As 'quase três horas de filme' me desanimaram bastante rs Como você falou, é preciso paciência, o que acho que não terei no momento. Beijos.

    ResponderExcluir
  6. oi, tudo bem?
    Eu fiquei louca para ver esse filme desde o primeiro trailer, as imagens são espetaculares!
    Pena que há esse problema com a maquiagem dos atores para mostrar a passagem do tempo, e também não gostei de mudar a irmã que adota Moisés, acho que isso tinha que ter sido fiel.
    Mas esse é um filme que quero muito conferir no cinema, acho que vale a pena
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oiee ^^
    Vi o trailler desse filme e fiquei curiosa para assistir, inclusive ia vê-lo no cinema semana passada, mas aí acabou não dando certo. Parece ser bom, apesar de não ter ganhado nota máxima ou favorito.
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Meu namorado está doido pra assistir esse filme, e seu post me animou tbm!!

    xoxo
    http://www.amigadaleitora.com/

    ResponderExcluir
  9. David, adore ler a sua crítica. O meu irmão foi assistir ao filme e comentou algumas coisas que você mencionou por aqui… Na verdade, os comentários dele eram cheios de dúvida, do tipo: Isso está mesmo na Bíblia? (rs) Quase o mandei de volta à catequese.
    Eu achei legal que essa adaptação tenha usufruído de tantos efeitos especiais para recontar essa passagem bíblica, mas ao mesmo tempo me pareceu que a mensagem cristã não foi devidamente transmitida. Será? Vou conferir também, mas não sei quando… Tenho "tirado o atraso" no quesito filmes com muita lentidão no momento. Ontem mesmo assisti Lucy e já faz meses que foi lançado.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Três horas de filme? Eu não teria coragem de ver não, e acho que acaba ficando cansativo, por mais que a história seja interessante e o filme tenham bons efeitos, eu não assistiria, não sou daquele tipo que passa horas no cinema, uma hora e meia no máximo para mim, pois ficar em ambientes fechados assim eu fico irritada, rs.

    Enfim, para quem tem interesse é uma boa opção, por mais que tenham que aguentar as 3 horas de filme.

    Beijos.

    www.daimaginacaoaescrita.com

    ResponderExcluir
  11. Oi.

    Olha há dias penso em ver este filme,mas depois de ver algumas criticas eu acabei desistindo.
    E a maior delas foi os questionamentos se tem realmente algumas passagens do filme da bíblia. Talvez eu possa ver, mas ainda não sei

    Beijos
    http://www.amorliterario.com

    ResponderExcluir
  12. Fala David, tudo beleza?

    Cara eu já pensei em ver esse filme várias e várias vezes, mas simplesmente desisto! Não sei o que houve mas o filme não me parece impactante como deveria ser. Quem sabe algum dia eu mude de ideia e finalmente assisto o filme.

    Abraço,
    Diego de França
    Leitor Sagaz

    ResponderExcluir
  13. David! Eu quero muito ver esse filme! Tem vários que condenam mesmo por mexer com roupagens de histórias bíblicas!
    Vou logo ver! Bjus

    ResponderExcluir
  14. Aqui em casa somos cinéfilos, gostamos de assistir todos os gêneros. curti esse mas paciência é algo que não possuo..por isso acho que não assistiria, apesar de gostar muito de tramas épicas tanto em filmes e livros.

    bjs

    ResponderExcluir
  15. Olá David

    Ainda não assisti esse filme e confesso que vou deixar para quando ele estiver disponível para locação mesmo sendo muito fã do Christian Bale.
    É sempre complicado quando usam a bíblia como base para um filme porque os questionamentos são sempre muito grandes tanto do público como da crítica.
    Espero não me decepcionar tanto quanto me decepcionei com Noé!

    Super bjos
    http://www.i-likemovies.com/

    ResponderExcluir
  16. Oi Daivd, tudo bem?
    Eu não consegui me interessar por esse filme, vi o Trailer e este não me chamou atenção. Os filmes de janeiro para mim, passaram despercebidos pois poucos foram de meu agrado.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  17. Oi David, tudo joia?
    Eu tenho vontade de assistir ao filme, mas admito que estava mais interessada antes de ler a crítica. Não gosto quando algo fica faltando, o tempo passa rápido demais e não há nenhum amadurecimento, ou mesmo envelhecimento, da parte dos personagens. E vilões ruins... Bem, essa é a pior parte.
    Assim que eu puder vou dar uma conferida.
    Até mais,
    Nat
    www.nossosmundos.com

    ResponderExcluir

Expresse-se