Resenha #157 - Anjo Mecânico (As Peças Infernais Vol 1)!



Ficha Técnica
Coleção: As Peças Infernais
Título: Anjo Mecânico
Autor: Cassandra Clare
Editora: Galera Record
Edição: 1
Ano: 2012
Idioma: Português
Especificações: Brochura | 392 páginas
ISBN: 978-85-0109-268-7
 Sinopse
"Anjo mecânico", volume inaugural de "As peças infernais", conta como os antepassados dos protagonistas de Instrumentos mortais se conheceram. E como existe muito mais mistérios entre eles do que se imagina.
Através de Tessa Gray, uma jovem órfã de 16 anos, somos apresentados aos Caçadores das Sombras da Inglaterra vitoriana. Como seus representantes do século XXI, eles também combatem os elementos rebeldes do submundo - vampiros e lobisomens. E são eles que vão ajudar Tessa quando esta, ao sair de Nova York em busca do irmão, seu único parente vivo, é raptada pelas irmãs Black.
Mas Tessa não é uma senhorinha indefesa. Dona do estranho poder de se transformar em qualquer um apenas tocando em algum pertence dessa pessoa, é um objeto valioso para o submundo. Ao lado do temperamental e misterioso Will e de seu melhor amigo James, cuja frágil beleza esconde um terrível segredo, Tessa vai aprender a usar seu poder e ganhar um lugar ao lado deles na batalha entre as trevas e a luz.


**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************





E preciso sempre ter cuidado com os livros. E o que está dentro deles, poi a palavras têm o poder de nos mudar. Somente os de mente fraca recusam-se a ser influenciados pela literatura e poesia.”

Elaborado sobre o cenário vitoriano da antiga e clássica Londres, Anjo Mecânico, primeiro volume da trilogia Peças Infernais, de Cassandra Clare trás uma temática muito mais crítica e uma visão mais madura não só de sua escrita quanto da nova trama no geral.

Tessa Gray nunca acreditou em vampiros, lobisomens ou bruxas. Nunca teria acreditado também, caso não tivesse sentido na própria pele, que ela, em si, não é algo natural. Recatada na casa de sua tia, junto a seu irmão, Tessa sempre viveu normalmente como qualquer outro mundano viveria. Mas isto muda quando sua tia falece e Tessa se vê obrigada a vir a Londres, morar com seu irmão. Mal chegando lá, a garota é raptada e forçada a utilizar dons que nem ela conhecia, enquanto mulheres estranhas ameaçam matar seu irmão. Sua vida se transforma totalmente. Da noite para o dia os contos de terror tornam-se verdade e Tessa se vê jogada no mundo cheio de criaturas místicas, tão maquiavélicas quanto ela poderia imaginar. E quando um rapaz misterioso chega para lhe “salvar”, seria certo confiar novamente no desconhecido. Os Caçadores de Sombras estão prestes a enfrentar um perigoso inimigo, astuto, que arquitetou toda uma trama poderosa, e o centro dessa guerra toda pode ser nada menos nada mais que Tessa e seus dons.

Todos tem algo que não vivem sem.

Confesso que me surpreendi com o livro. Não esperava tanto dele quanto rendeu. Anjo Mecânico ao que alguns podem pensar é um livro totalmente diferente da série original, Instrumentos Mortais. Cassandra Clare abandona totalmente os clichês românticos de primeiro plano, os atirando em segundo, focando numa estrutura muito mais trabalhada e madura. Sua narrativa está mais condensada e firme, apesar claro, de ainda conter seus exageros descritivos ou detalhes desnecessários, a meu ver. O livro em formato digital com 335 páginas renderia uma ótima e completa leitura com apenas 260 ou 270. O fato é que, quem conhece Clare, sabe que ela enfeita as coisas um pouco, para alongar e aumentar o suspense do leitor. E embora essa estratégia dê certo em alguns momentos, em outros acarreta uma leitura um tanto maçante e repetitiva.

Certamente seria maravilhoso se todos nós soubéssemos exatamente quem somos. Mas esse conhecimento não vem de fora, mas de dentro.

O livro vem narrado em terceira pessoa, alterando os focos da narrativa em diversos momentos, mas centralizando as cenas que em que Tessa aparece. Diferentemente de Cidade dos Ossos, neste são mínimas as cenas que se desenrolam fora do foco da protagonista. Clare altera a visão em pontos estratégicos e definitivamente nos momentos de maior aflição, como eu disse, prendendo o leitor pelas páginas adentro. O enredo no geral novamente magnífico. Se em Instrumentos Mortais a autora explorou o ciclo fechado dos Caçadores de Sombra, em Peças Infernais o universo toma frente da visão dos feiticeiros, e isso foi algo que realmente me encantou, não só por você ganhar novos olhares, como também pela beleza de explorar um ponto ainda não muito mencionado no livro. Além disso, a história está recheada de críticas sociais, dentre temas como preconceito social a racial, até críticas afiadas a ocupação da máquina pelo homem. O cenário, como citado acima, é totalmente voltado ao movimento da Revolução Industrial, e a autora soube conciliar super bem o movimento com o enredo dessa trilogia, que além de sedutora, parece muito instrutivo. Clare também remete críticas à sociedade machista da época, onde em diversos momentos suas personagens seguem a linha mocinha indefesa, enquanto que em específico, quando uma age corajosamente diferente, remete a consequências nessa sociedade. Outro ponto, claro, super instigante e super bem trabalho. Acredito que a autora soube manusear as “armas” que tinha e lindamente pontuou em seu romance. E não esqueçamos das referencias biográficas. Os capítulos são sempre iniciados com trechos de poemas ou romances de outros autores, para prontificar a paixão que Tessa possui pelos livros.

O que quer que você seja fisicamente, macho ou fêmea, forte ou fraca, doente ou saudável – todas essas coisas importam menos do que o que seu coração contém. Se você tem a alma de um guerreiro, você é um guerreiro. Seja qual foi a cor, a forma, o desenho do abajur que a esconde, a chama dentro da lâmpada continua a mesma. Você é aquela chama.

Seus personagens, ponto que me deixou mais temeroso, não se igualam em hipótese alguma aos da série original. Alguns rostos são conhecidos, como Magnus, o feiticeiro, ou Camile, a vampira, ou até mesmo Tessa. Mas novos aparecem, principalmente entre os Caçadores de Sombras. O legal é que mesmo sendo novos, os sobrenomes retomam personagens da primeira série, que mesmo assim, ganham distinção. Will poderia ter sido o personagem mais mártir que já tive contato. Não sei ao certo do que esperar dele na sequencia da obra, mas pessoalmente, deve ser algo como sacrifício ou dar-se pelos outros. Jem é meio quieto e geralmente um tanto aberto com as pessoas em que confia. Especificamente foi um dos personagens masculinos que mais gostei. Mas a chave de ouro de livro fica com Tessa, uma garota, que mesmo recatada (e ai levamos em conta o contexto histórico), é uma ávida leitora, que parece entender bem o que nós sofremos ao ler uma obra; mulher disposta, destemida, amigável e altamente amorosa. Pelo pouco que conheci de todos, creio que me apaixonei.

Cassandra Clare garante mais uma leitura reconfortante, recheada de ação, magia e muita intensidade. Anjo Mecânico poderia ser descrito como a abertura para uma poderosa combinação crítica com ficção fantástica. 





Cassandra Clare nasceu em uma família americana no Teerã, Irã e passou grande parte de sua infância viajando pelo mundo com sua família, incluindo uma caminhada pelo Himalaia quando criança, que foi quando ela passou um mês vivendo na mochila de seu pai. Antes dos seus dez anos de idade ela morou na França, Inglaterra e Suíça. O fato de que sua família se mudava muito, ela encontrou familiaridade nos livros e estava sempre com um livro debaixo do braço. Ela passou seus anos de escola em Los Angeles, onde ela costumava escrever histórias para divertir seus colegas, incluindo um romance épico chamado "The Beautiful Cassandra", baseado na homônima história de Jane Austen.
Após a faculdade, Cassie viveu em Los Angeles e Nova York, onde trabalhou em várias revistas de entretenimento e até mesmo em alguns tablóides bastante suspeitos, onde ela relatou sobre a viagem ao mundo de Brad e Angelina e as avarias do guarda-roupa de Britney Spears. Ela começou a trabalhar no seu romance YA, Cidade dos Ossos, em 2004, inspirada na paisagem urbana de Manhattan, sua cidade favorita. Ela dedicou-se em tempo integral em sua ficção fantasia.
A primeira venda profissional de Cassie foi um conto chamado "The Girl’s Guide to Defeating the Dark Lord", em uma antologia Baen de fantasia humor. Cassie odeia trabalhar em casa sozinha, porque ela sempre se distrai por reality shows e as travessuras dos seus dois gatos, por isso ela geralmente se propõe a escrever em cafés e restaurantes locais. Ela gosta de trabalhar na companhia de seus amigos, que vêem que ela adere a seus prazos.
Atualmente, reside em uma antiga casa vitoriana em Nova Iorque com seu noivo, seus gatos, e lotes e lotes de livros. A triologia The Mortal Instruments tem sido citada em muitas listas de Best-Sellers





25 comentários

  1. Oiee ^^
    Comprei esse livro há algumas semanas, mas ainda não o li. Não sei se devo comprar os outros dois antes de lê-lo...haha'
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dry!
      Olha só li esse, mas pessoalmente, depois desse, não tem como não querer ler os outros viu D:

      Abraços
      David Andrade
      http://www.olimpicoliterario.com/

      Excluir
  2. cassandra <3
    estou lendo cidade das cinzas e estou apaixonada.
    tudo que a autora escreve eu fico babando então n vejo a hora de ler algo sobre as peçs infernais <3
    Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
  3. Já tinha ouvido falar desa trilogia e parece ser realmente bem interessante
    Gostei da resenha e não sabia que tinha uma série original

    Beijos
    http://pocketlibro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Olá, David!

    Infelizmente, ainda não tive a oportunidade de ler nada da Cassandra Clare, mas estou com o primeiro volume da série Instrumentos Mortais aqui em casa e pretendo lê-lo assim que possível. Gostei bastante da sua resenha, me deixou mais estimulado ainda para ler algo dela <3

    Até logo,
    Sérgio H.

    www.decaranasletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Oi, David, tudo bem?
    Confesso que a série Instrumentos Mortais não me atraiu nadinha, mas por sua resenha de As Peças Infernais já me sinto um pouco tentada a dar uma chance à essa nova saga. Rs
    Gostei do fato dos capítulos se iniciarem com trechos de outras obras, adoro quando os autores remetem à outros autores, pois isso desperta a curiosidade e muitas vezes nos leva a ler essas livros mencionados.

    ResponderExcluir
  6. Oi, Davi, tudo bem?

    Cassandra é uma autora que eu tenho vontade de conhecer, mas não tenho pressa para isso, sabe? huahuahua Pretendo começar por essa série porque é a que eu vejo mais elogios.

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  7. OiÊ
    Amo essa trilogia, principalmente a maneira como se fecha!
    Bjs da Le
    Le Versos & Controvérsias

    ResponderExcluir
  8. Ótima resenha, esse ano quero ler essa trilogia, eu comecei mas depois acabei abandonando :/

    http://criativare-leitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Ola David estou com esse livro em casa e preciso começar a ler, não quis misturar as duas séries e como já acabou Instrumentos Mortais, vou começar a ler, amei saber que tem alguns personagens do IM , como Magnus. Cassandra tem o dom de levar séries sem se perder com personagens e nem deixar pontas soltas. abraços
    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  10. Oie, tudo bem?!
    Sou doida para conhecer as duas séries que você citou, porque dizem que elas se completam e que o resultado final é de arrepiar! Esse livro contém elementos que eu admiro bastante nas histórias, o lado mais sombrio/peculiar dos cenários e personagens, os desafios, o sobrenatural... Espero poder me aventurar nessa Londres muito em breve =)

    Mil beijos :*
    Blog Procurei em Sonhos

    ResponderExcluir
  11. Acabei de ler sua resenha de Cidade do Fogo Celestial, gostei bastante. Agora estou com a impressão que "Peças Infernais" é melhor que TMI, ou nem diria melhor, mas mais trabalhado, pelo que entendi.
    Gostei muito dessa resenha também, retratou muito bem a história (de um modo simples e explicativo), nos disse os assuntos foco da obra e ao mesmo tempo os pontos "ruins".
    Meus parabéns!
    Até breve,
    Nat
    www.nossosmundos.com

    ResponderExcluir
  12. Oii, tudo bem?
    Eu só li O Cidade dos Ossos mas porém não gostei muito, não sei porque mas a historia não me prendeu. Mas pretendo dar outra chance já que tantas pessoas falam bem da série.

    http://www.fonte-da-leitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Fala David tudo beleza?

    Cara nem li Cidade dos Ossos ainda, acho que talvez eu compre os livros esse ano. Mas o Fabiano é vidrado nessa série, ele já tentou me convencer inúmeras vezes a lê-la o quanto antes.

    Fico feliz em ver que o tema romance é tratado em segundo plano e isso já me deu mais coragem para ler.

    Quem sabe eu compro numa tacada só Instrumentos Mortais e Peças Infernais.

    Abraço,
    Diego de França
    www.leitorsagaz.com.br

    ResponderExcluir
  14. David;
    Estou com esse livro na estante, me esperando. Quero muito comprar os outros dois que faltam para ler em sequencia, mas sua resenha está me instigando, vontade de largar a leitura atual e lê-lo. Por outro lado sei que não poderei comprar os outros e vou ficar maluca querendo o desfecho... então não sei, fico ansiosa com esses meus dilemas literários, ainda mais depois de ler resenha tão interessante...OMG! rsrsrs
    Beijocas
    Vivi
    Razão e Resenhas

    ResponderExcluir
  15. Olá David!
    Eu amo a capa desse livro. É linda!!
    Eu sou louca para ler esse livro, a história parece muito interessante e nos mostra um mundo bem diferente. Uma história muito original.
    Adorei a sua resenha.
    Beijinhos!
    http://eraumavezolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Mas um da tia Cassie que saí e eu não leio, kkkkk, gostei da resenha, o mundo que a Cassandra criou me atraiu muito, mas alguns personagens a meu ver deixar a desejar no que quero encontrar em minhas leituras atuais
    www.muchdreamer.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  17. O que me deixou desanimada é saber que a autora descreve demais certo pontis, isto para mim deixa a leitura cansativa.

    Beijos.

    www.daimaginacaoaescrita.com

    ResponderExcluir
  18. Olá David, tudo bom?
    Sou super fã da Cassandra, e todo mundo que acompanha o meu blog sabe disso =P
    Eu já era apaixonado por Instrumentos Mortais, quando decidi ler As Peças... e caramba, que surpresa maravilhosa! A escrita dela amadureceu tanto, os personagens são tão incríveis... eu morri de amores eterno depois da trilogia rsrsrs.
    Ótima resenha.

    Gabriel - umpapoentrepaginas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  19. Oi, tudo bem?
    acredita que nunca li nada da Cassandra? Tenho muita curiosidade, mas ando meio saturada de juvenis. Gostei de saber que esse livro é mais maduro que Instrumentos Mortais, e não foca tanto no romance. Talvez comece a ler a autora por essa série, rs
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  20. Até então eu nunca havia me interessado por esta série, acho que foi por eu não ter me apaixonado por Instrumentos Mortais (li só o primeiro, mas não foi tão fabuloso quanto diziam.
    Tua resenha me fez ver a escrita da autora de outra forma, gostei de saber da maturidade que eu vou encontrar nesta obra. Agora me sinto preparada para voltar a ler algo dela! :D

    bjs

    ResponderExcluir
  21. Oi,
    Li esse livro já tem um tempinho, inclusive foi o primeiro da autora. Nunca tinha me interessado tanto pelos livros, mas esse resolvi dar uma oportunidade.
    Sua resenha descreveu exatamente o que senti durante a leitura, outro ponto e os detalhes que ela descreve eu geralmente gosto.
    Enfim pretendo ler o último livro dessa serie e começa a outra em breve.
    Parabéns pela resenha.
    Beijos Mari - Stories And Advice

    ResponderExcluir
  22. Olá, tudo bem? Confesso que nunca li nada da Cassandra Clare! Na verdade, não sei porque ainda não li, o sucesso dela é enorme (pude ver na Bienal) e, pela sua resenha, parece ser um livro bem rico! Gosto de livros que nos conduzem para o contexto social narrado!

    Beijos,
    Mari
    cantinhodeleituradamari.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  23. Oi David!

    Como já tinha comentado no outro post, tenho muita vontade de ler os livros da Cassandra, mas tenho medo de me decepcionar.
    Gostaria de mais resenhas como a sua. Comentando que o autor exagera nos detalhes, que a leitura se arrasta um pouco em algumas partes assim... Isso me deixa menos ansiosa pelo que vou encontrar e assim até me surpreendo durante a leitura! \o/
    Bom, mais um que já está nos desejados.
    Deixa minha pilha baixar que eu compro ele! heheheeh

    Beijokinhaaa!

    ResponderExcluir
  24. David! Cara essa é minha série preferida da Cassandra, ela é ÓTIMA! O terceiro livro é um dos meus preferidos em todo o mundo!
    Amo essa citação: ''E preciso sempre ter cuidado com os livros. E o que está dentro deles, poi a palavras têm o poder de nos mudar. Somente os de mente fraca recusam-se a ser influenciados pela literatura e poesia.”
    Adoro Instrumentos e tenho maior carinho, mas essa série além de totalmente diferente ela se supera em si! Acho genial, parabéns pela resenha! Bju

    ResponderExcluir

Expresse-se