Coluna: Anime da Semana!




Às vezes o amor não é o que nós esperamos

Minha gente, primeiro anime do ano, e pela primeira vez, resolvi falar sobre um anime um pouco diferente do habitual, pois seu gênero é yaoi, para quem não sabe o que é, a explicação é bem simples. Yaoi (ou em inglês boys love, abreviado pra BL) é um gênero de anime/mangá que aborda relacionamento homossexuais em seu conteúdo, e sim, pode envolver cenas de sexo, mas na maioria das vezes a censura intervém, como é o caso deste aqui. O que a censura faz nesse caso? Ela usa de suas artimanhas para deixar tudo subentendido, mas não explicito.

Voltando ao anime, você pode se perguntar, mas tem gente que paga pra ver isso? Claro que tem, no Japão existe inclusive uma palavra especifica para designar o público para quem este gênero de mangá é desenvolvido. São as fujoshis ou fudanshi se forem garotos (no literal significa algo como garotas podres) (aqui no blog já teve post sobre as fujoshis ohh). Muitas ocidentais também adotaram a terminologia e se alto declaram fujoshis, muitas mesmo, uma delas pode ter escrito esse texto inclusive.

Voltando pro anime, e deixando as explicações de lado, Love Stage foi escrito originalmente por Eiki Eiki e ilustrado por Taishi Zao, sendo publicado pela Kadokawa Shoten desde 2010. A adaptação para anime ganhou as telinhas em 2014, contendo apenas um arco de dez episódios.

O anime retrata a história de Izumi Sena, um tímido estudante universitário, aspirante a mangaká (apesar de não possuir talento) e otaku. Vindo de uma família de celebridades, Izumi é constantemente pressionado a seguir a carreira de algum de seus familiares, porém a única aparição feita por ele diante das câmeras foi durante um pequeno erro de percurso dez anos atrás, quando sua mãe esta gravando um grande comercial de uma agência de festas de casamento e a dama de honra adoece de ultima hora, sendo substituída pelo próprio Izumi, que para executar tal tarefa é obrigado a se vestir de mulher.

Porém, o destino lhe prega uma peça quando a mesma agência de festas de casamento entra em contato com o agente da família pedindo que Izumi participe da regravação do comercial, pois esta seria a exigência do garoto que fez par com ele da última vez, no papel de pajem, o ator em ascensão Ryoma Ichijo. O motivo por trás desta exigência é o de que Ryoma teria se apaixonado pelo pequeno Izumi em trajes femininos. Sem saber seu verdadeiro gênero, o jovem faz este pedido a agência na esperança de reencontrar a “garota” por quem continua apaixonado desde dez anos atrás.

Apesar do ciclo principal do anime tratar do romance entre Izumi e Ryoma, a história sugere grande disputa de interesses, como a influência da família Sena sobre o jovem, enquanto ele quer buscar por seus sonhos de se consagrar como um mangaká famoso, ou os problemas que um relacionamento homossexual pode acarretar para a carreira de Ichijo. A trama é calibrada por este ritmo de questões pessoais e emocionais, sem deixar de lado a comédia que vem das revelações chocantes da verdadeira face do amor entre os dois rapazes (e pelo irmão super protetor do Izumi, que vive se metendo no meio da relação).

Classificação etária: +16 

*Explicação do porque do anime: Bem, depois do barraco que aconteceu na página da Editora Galera Record, sobre a capa do novo livro do David Levithan, resolvemos por aderir a campanha da editora e também quebrar preconceitos!

Confira alguma imagens:
















14 comentários

  1. Eu amo anime, já vou assistir esse anime *-*
    Como assim barraco na Galera e eu não to sabendo. Geeente!!!
    http://contodeumlivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Bru!
      Sério que ce não viu? Teve uma campanha e tudo, por causa que a capa tinha dois meninos se beijando, e o pessoal postou q não tinha gostado e ai começou confusão porque já achavam que era preconceito e bla bla bla.

      Abraços
      David Andrade
      http://www.olimpicoliterario.com/

      Excluir
  2. Oiee.

    Olha David quando mais nova eu costumava assistir, mas o tempo passou e veio outras prioridades.
    Prioridades chamadas livros rs, faz tempo que não paro para assistir nada e seu texto me deixou com muita vontade
    de voltar a ver

    Beijos Fê
    www.amorliterario.com

    ResponderExcluir
  3. Gosto de animes, mas confesso que desse eu não gostei não em! kkkkkk Acho que a temática em si não me atrai, apesar de que na maioria dos animes vemos um quê de homossexualidade, mas mesmo assim essa dica vou passar viu.

    Abraço,
    Diego de França
    www.leitorsagaz.com.br

    ResponderExcluir
  4. Já assisti alguns animes do genero, mas não conhecia este

    bjos
    Pah
    Lendo e Escrevendo

    ResponderExcluir
  5. Olá... tudo bem??

    Quando eu era criança curtia alguns animes, mas com o tempo as coisas foram se perdendo... hoje em dia não curto tanto... e eu não conhecia esse, mas pelo que percebi você gosta muito e deve ser divertido.... a minha filha gosta...e minha irmã também... Xero!!

    ResponderExcluir
  6. Olá, amei a postagem e amo animes. Mas não gosto de romances e sim de ação, lutas e sangue! Traduzindo: One Piece e Naruto kkk. Mas mesmo assim agradeço pela dica de anime e quem sabe não acabo assistindo.
    Beijos, sucesso.

    ResponderExcluir
  7. Oie, David!
    Que bonitinho o anime! Amei a trama. Fico imaginando como será quando Ryoma descobrir que Izumi é "ele". Hahahah amor supera obstáculos, ne não? Mesmo que a gente considere (generalizando mesmo) que ser do mesmo sexo é um obstáculo, não deveria ser. E eu vi outra confusão com a Galera: uma que os leitores reclamavam que ela estava tentando maquiar os dois garotos se beijando porque na capa original aparece uma foto real, não uma "montagem". Fiquei do lado dos leitores nessa! Mas não sabia da confusão que você citou no texto.
    Com carinho,
    Celly.

    Me Livrando

    ResponderExcluir
  8. Oi David, tudo bem?
    Eu não entendo muito de animes, o pouquinho que sei aprendi no blog do Mat que é um especialista. Achei essa história bem divertida, na verdade, acho que ele vai se envolver em muitas confusões até revelar sua verdadeira identidade. Estou torcendo para que ele siga seu próprio coração e não permita que a pressão familiar vença.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Lena-flor,
    Eu gostei da história, haha… Mas confesso que não sou uma fujoshi. O meu gênero favorito é shoujo mesmo e até hoje não assisti nenhum yaoi. Quem sabe não dê uma chance para esse? :) Gostei da sua opinião e me pareceu divertido.

    Beijos!
    http://myqueenside.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oie, tudo bom?
    Eu gosto de animes e mangás, mas não conhecia esse gênero de animes. Achei muito interessante e totalmente atual e condizente com a nossa sociedade. Achei a premissa bacana desse anime bacana e gostei das imagens que você usou para ilustrar.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oiii! Sou uma viciada em animes, mas ultimamente não estou acompanhando todos que eu queria ver, infelizmente o tempo para mim
    esta escaço. Bem, confesso que Yaoi não é muito o meu gênero de anime, se eu não me engano já assisti somente dois. Esse parece ter uma trama bacana mas no momento não dá para assistir.Vou ficar somente com Naruto Shippuden por hora. E eu não sabia dessa confusão que teve, eu hein! O.O

    Bjuuus!!
    http://livrosseriesecitacoes.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Oi Lena, tudo bem?
    Não me interesse por esse anime, não curto muito animes e estou focando nesse momento em assistir algumas séries... Esse anime parece ter um conteúdo bem legal, e ser bom para quem gosta.
    Abraços
    http://www.ler-e-ser-feliz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Ola Lena nem sempre assisto animes , mas quando vejo dicas boas como essa saio correndo para dar uma espiada , lendo sua postagem o anime trás como tema um assunto que muitas vezes se torna polêmico infelizmente , gostei da sutileza das cenas . Esse vou dar uma espiada . beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir

Expresse-se