Cinema #105 - Simplesmente Acontece!


Título: Simplesmente Acontece
Gênero: Comédia Romântica
Direção: Christian Ditter
Roteiro: Juiette Towhidi
Elenco: Aris Athanasopoulos, Art Parkinson, Chelsea O'Connor, Christian Cooke, Jaime Winstone, Jake Manley, Jamie Beamish, Jemma Curran, Jonathan White, Kris Edlund, Leah O'Rourke, Lily Collins, Lily Laight, Marion O'Dwyer, Nick Hardin, Nick Lee, Norma Sheahan, Sam Claflin, Suki Waterhouse, Tamsin Egerton, Tristan Heanue, Una C.
Duração: 103 Minutos 
Estúdio: Imagem Filmes
 Sinopse
Os jovens britânicos Rosie e Alex são amigos inseparáveis desde a infância, experimentando juntos as dificuldades amorosas, familiares e escolares. Embora exista uma atração entre eles, os dois mantêm a amizade acima de tudo. Um dia, Alex decide aceitar um convite para estudar medicina em Harvard, nos Estados Unidos. A distância entre eles faz com que nasçam os primeiros segredos, enquanto cada um encontra outros namorados e namoradas. Mas o destino continua atraindo Rosie e Alex um ao outro.


**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************




A tão esperada adaptação de Simplesmente Acontece chegou e agora, resta comemorar e festejar por mais um filme encantador, doce e engraçado, protagonizado pela talentosa Collins e o inesquecível Claflin.

Rose e Alex são amigos desde que ela possa se lembrar. Desde jovem almejavam conhecer o mundo, sair de sua pequena cidade e seguir seus corações. Mas o destino costuma dá voltas, e a de Rose, infelizmente, para fora dos eixos. Negando-se dos sentimentos mais que amigáveis por Alex, a garota encontra-se em uma enrascada após o baile da escola, e a partir daí, segredos e mais segredos formam-se entre os dois. Enquanto Alex se preocupa com a faculdade, Rose espera a decisão do seu futuro, que chegará daqui a nove meses. Encontros e desencontros levam ambos para vários caminhos diferentes, e embora a roleta esteja sempre rodando contra eles, a trágica magia do amor tende a reencontrá-los.

O filme roteirizado por Juliette Towhidj, inspirada na obra de Cecelia Aherm, é fofo, clichê e engraçado. A trama, aparentemente bem bobinha e adolescente arranca sorrisos nos mais inesperados momentos, enquanto os personagens vão ganhando vida e cores. A visão com que o filme retratou diversos assuntos importantes sem deixar de perder o gosto romântico ou apelo cômico foi uma das particularidades que mais me agradaram, levando em consideração que pelo trailer eu imaginei algo dramático e bem mais melancólico. Totalmente inesperado, sou sincero a dizer, quando Rose encara os fatos de sua vida. Altruísta, ela sempre coloca o futuro dos outros na frente do seu, mesmo que para isto perca seu amor ou tenha que conviver com um cara nada legal. O longa tem gostinho de chick lit, e mesmo que transpareça essa visão dramática, tem muito mais de comédia romântica do que o esperado.


 

Pessoalmente adorei os atores no geral. Achei que todos interpretaram perfeitamente bem seus papéis e encantaram os telespectadores sem perder um só instante. O chato na realidade foi à organização do filme, que deixou a deseja. As cenas e os fatos na vida de Rose acontecem atropeladamente, de forma que em quase uma hora e quarenta e cinco minutos de filme, muita coisa aconteceu e você não teve tempo de absorver. Em uma primeira vista você imagina que o enredo será totalmente voltado em apenas um problema, entretanto, não se iluda. Novas problemáticas vão surgindo, cada vez mais rápido, e quando menos percebemos saltos de anos acontecem de uma cena para a outra. Além disso, a maquiagem do filme também foi extremamente mal, levando-se em consideração que Collins e Claflin não aparentam envelhecer em nada. Cortes de cabelos diferentes e roupas mais compostas não torna ninguém mais velho, pelo menos não da maneira como a produção esperou que aconteceria. Fica evidente que o tempo passa para todos, menos para eles.

Simplesmente Acontece é um filme previsível? É. Não aguarde grande ensinamentos ou um final espantoso. O longa lembra velhas comédias românticas, com aquele gostinho doce de primeiro amor, que apesar de não encantar-os totalmente, toca, mesmo que pouco, suas lembranças mais vívidas da adolescência e inicio da fase adulta. Impossível não vê-lo e não se apaixonar.




2 comentários

  1. Olha pra vc ter uma ideia eu gostei mais do livro do que do filme, porque achei ele meio estranho em algumas partes, mas mesmo assim tenho que confessar que poderiam ter estendido um pouco mais o filme. Poderiam ter colocar alguns detalhes importantes do livro, mas mesmo assim acho que ficou bom na medida do possivel. A única coisa que pecou no livro foi mesmo o final. Eu não curti muito não, mas mesmo assim o restante da história é perfeita. Eu amei pra falar a verdade. Mas o filme apesar de ter gostado, não foi tudo aquilo que eu imaginava que seria =/

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/04/resenha-miley-cyrus-she-cant-stop.html

    ResponderExcluir
  2. Esse lado altruísta dela é bem admirável mesmo. Eu também achava que o problema ia se concentrar no amor deles, mas nossa senhora, não esperava que fosse passar taaanto tempo pra esses dois se resolverem, tavam quase de cabelo branco já e me deixando também hahaha Adorei sua resenha, é um filme previsível mas que te prende até o fim!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
    Tem tag do skoob no blog, vem ver!

    ResponderExcluir

Expresse-se