Resenha #225 - Como Viver Eternamente!



Ficha Técnica
Título: Como Viver Eternamente
Autor: Sally Nichols
Editora: Geração
Edição: 1
Ano: 2014
Idioma: Português
Especificações: Brochura | 232 páginas
ISBN: 978-85-6150-100-6
 Sinopse
Meu nome é Sam. Tenho onze anos. Coleciono histórias e fatos fantásticos. Quando você estiver lendo isso, provavelmente já estarei morto. Sam ama fatos. Ele é curioso sobre óvnis, filmes de terror, fantasmas, ciências e como é beijar uma garota.
Como ele tem leucemia, ele quer saber fatos sobre a morte. Sam precisa de respostas das perguntas que ninguém quer responder. "Como Viver Eternamente", é o primeiro romance de uma extraordinária e talentosa jovem autora.
Engraçado e honesto, este é um livro poderoso e comovente, que você não pode deixar de ler. A autora tem apenas 23 anos e embora seja seu primeiro livro, ele está sendo lançado em 19 países, dirigido a crianças, adolescentes e adultos.


**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************



Algumas coisas são perfeitas do início ao fim.

Está é uma história singela, triste e muito amável, com aqueles personagens pequenos e indefesos que faz de qualquer leitor, por mais durão que pareça ou queira ser, se desmanchar em lágrimas ou necessitar de um abraço.

Sally Nicholls apresenta ao leitor a encantadora e curta história de Sam, um garoto de apenas onze anos que desde os oito sofre com a trágica fatalidade de lidar com seu câncer. Desde pequeno, Sam aprendeu que o mundo é, por vezes, injusto com nós e seu destino, mais do que o de ninguém, parece estar traçado. Sua família sofre... Seus amigos sofrem... Ele sofre. E tudo o que sempre quis foi ser um garoto comum, tendo uma vida comum. Mas para prova que certas pessoas são especiais e nasceram para iluminar, conhecemos o inestimável Felix, um garotinho muito engraçado e altamente sagaz para sua idade. amigo de Sam, que vem para salvá-lo da solidão. Agora, compartilhando, ambos, de um mesmo destino, se unirão com o intuito de realizar os sonhos e desejos mais loucos de Sam, provando sua existência e se tornando inesquecíveis.

A narrativa de Nicholls é tocante, de uma maneira cruel e ao mesmo tempo sutil. Narrado em primeira pessoa, o livro vem em forma de diário, enquanto que Sam escreve nas páginas suas lembranças e desejos. As páginas marcadas pela sinceridade do personagem está recheada de ilustrações ou surpresas que pregam no leitor um novo sentimento de como tudo acontece. O livro em si já trás, aparentemente, o intuito de lhe comover, de forma que o personagem , logo nas primeiras linhas deixa bem claro que ao abrir o livro, ele provavelmente estará morto. A tensão durante a leitura é constante, embora claro, a comicidade do livro seja a barreira que quebra esta tensão, conforme os personagens vão transformando o que parece ser um drama em algo mais engraçado. Nicholls, porém, não perde a seriedade de sua história e as lágrimas afloram, conforme as cenas vão ficando mais vívidas e verdadeiras.


Sam é mais um personagem para amar e jamais largar. Não é um livro que mude vidas, sem duvidas, mas com certeza é um livro para se aprender com o personagem. Valente e inteligente, Sam consegue fazer citações ou reflexões que se mostram extremamente avançadas para sua idade, sem que em suas falas, percam a característica infantil deste personagem. Em diverso momentos me senti relendo Extraordinário, da autora R. J PalacioAuggie e Sam compartilham da mesma inteligência fenomenal que só personagens que experimentaram o pior da vida parecem ter ou conhecer. Mas Sam não foi o único personagem pelo qual me apaixonei. Sua irmãzinha, Bella é doce e ingênua, de uma forma que só as crianças conseguem ser. É a singularidade que a autora deu a personagem que torna as situações ainda mais realísticas.

Não há necessidade de se inventarem os demônios para nós assustar. Já temos coisas verdadeiras suficientes para nos preocuparem sem ter que inventar mais.

E não vamos esquecer do amigo Felix. Tão sagaz quanto são os outros, ele é a graça central do livro. Sem este personagem brilhantemente apaixonante, seria impossível localizar tantas passagens onde mesmo querendo chorar, sorrir feito um bobo, devido a suas piadas infames.

A obra já seria, sem dúvidas, alguma indicação imperdível para os amantes do gênero sick-lit, que assim como eu, adoram derramar alguma lágrimas (garanta seus lencinhos, por favor), mas a edição, com uma capa extremamente linda, tendo estrelas em alto relevo, não deixa a desejar. A diagramação e a revisão não ficam para trás, sendo ainda mais atraentes.

 


O primeiro romance de Nicholls, Ways to Live Forever (Como Viver Eternamente na tradução brasileira) foi escrito durante seu período em Bath Spa. A história é sobre um garoto de onze anos chamado Sam que sofre de leucemia e está à beira da morte, e o que escreve é uma espécie de livro de memórias do garoto.
O livro foi originalmente publicado pela Marion Lloyd Books, parte da Scholastic Press, uma das maiores editoras do Reino Unido e do mundo, em janeiro de 2008. No Brasil, a tradução veio ao público pela Geração Editorial.
O segundo livro de Nicholls, Season of Secrets (Estação de Segredos), é inspirado na lenda do deus pagão do sol. Esse livro originalmente recebeu os nomes de The Green Man e The Midnight Hunter (O Homem Verde e O Caçador da Meia-Noite). Foi publicado na Inglaterra em abril de 2009, e no Brasil em 2010, sob o título A Menina que Conversava com o Verão, também pela Geração Editorial.


Um comentário

  1. Olá, tudo bem?
    Uma vez, eu tinha baixado esse livro no celular para lê-lo, mas não dei muita importância a ele. Como tinha acabado de ler A Culpa é Das Estrelas, que também aborda sobre câncer, deixei Como Viver Eternamente de lado naquele momento. Porém, sua resenha instigou minha curiosidade quanto a esse livro! Ele parece ser bem profundo e como você relacionou o personagem principal com o Auggie de O Extraordinário, que eu amo demais <3, acho que agora vou dá uma chance para esse livro. Quem sabe ele não me agrada tanto quanto O Extraordinário? haha.
    Amei sua resenha e seu blog é lindo, já estou seguindo.
    Eu também criei um recentemente e você pudesse dá uma passadinha por lá eu ficaria imensamente agradecida!
    Abraços.

    http://madrugadadeleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Expresse-se