Resenha #241 - Eva (Eva Vol 1)!






Título: Eva
Coleção: Eva
Autor: Anna Carey
Editora: Galera Record
Ano: 2014
Especificações: Brochura |288 páginas
ISBN9788501092755
 Sinopse
A guerra dos sexos está apenas começando... No futuro, uma praga mortal aniquilou a população da terra. Homens e mulheres seguem segregados. Os meninos são mandados para campos de trabalho forçado. As meninas, para Escolas onde aprendem uma profissão chave na reconstrução mundial. Mas as aparências enganam... E Eva está prestes a descobrir que a verdade pode ser muito mais terrível do que o vírus que varreu seu país. Está prestes a descobrir que seu futuro pode ser mais parecido com a da primeira mulher a levar seu nome...


**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************




A guerra dos sexos está apenas começando...

Eva é sem duvidas uma crítica social espetacular. Dotado de uma trama viciante e momentos eletrizantes, o livro conquista o leitor desde seus primeiros capítulos, sem apelar ou parecer cansativo. Anna Carey relevou tudo no mais mediano possível, e mesmo com uma protagonista que peca em alguns momentos, a trama não deixa de ser maravilhosamente atrativa.

Um vírus mortal destruiu boa parte da população mundial. Famílias foram destruídas e todo o sistema caiu. Em meio a este caos, surge um novo governo, controlado por um rei autoritário que implantou a separação de homens e mulheres. Os jovens rapazes seriam usados para trabalho forçado, enquanto que o destino das mulheres era novamente subjugado.

Dezesseis anos após o vírus, o mundo já não é mais o mesmo. Eva, porém, não precisa lidar com ele. A salva sobre os muros da escola encontra-se protegida. Tudo esta perfeitamente organizado. Ou assim ela pensava. Quando a verdadeira face deste lugar se revela, Eva percebe que um destino cruel e muito diferente do que ela esperava lhe aguarda por fora dos muros que lhe cercam, e em busca de fugir deste futuro, ela escapa, sem rumo, guiando-se apenas pela simples esperança de um dia melhor. Mas obstáculos perigosos lhe aguardam nesta terra sem lei onde as mulheres são violentadas constantemente. A nova ordem está lhe caçando, enquanto o rei anseia sua captura. Mal sabe Eva que seu futuro guarda ainda mais batalhas do que pensou enfrentar.


O romance de Anna Carey é sem duvidas inovador. Em uma visão totalmente sua de ver o universo distópico, Carey leva o feminismo ao nível máximo, e diferentemente das outras autoras que apostam apenas na mocinha da história, Carey apostou em todo um cenário feminino, tomado pela brutalidade e virilidade masculina. Eva é o primeiro volume de uma trilogia que promete muito, cheia de reviravoltas, romances e muita adrenalina. Para um livro que segue ao inicio uma pegada meio A Seleção da autora Kiera CassEva conquista os leitores logo no terceiro capítulo, quando a obra mostra que não trouxe os meros clichês, mas promete muita ação.

Os personagens de Carey também adentram a categoria de cativantes. Eva como protagonista, porém, não me conquistou completamente. A garota que deveria agir como uma espécie de símbolo para o leitor, deixa a desejar conforme seu lenga lenga ou embromação para lidar com seus sentimentos vão chateando um pouco a leitura. Mas isso não afeta em nada a trama. São poucos capítulos aturando um lado mais fútil e mimado da personagem. Em boa parte dos momentos ela está sendo engraçada, ingênua e fofa.

O amor era o único adversário da morte, a única coisa poderosa o bastante para combater sua força urgente e arrebatadora.

Eva abre um leque de possibilidades para temáticas a se trabalhar, mas neste primeiro volume a autora aparentemente optou por focar na violência da mulher. Seu livro vem recheado de lemas feministas, de mulheres guerreiras que são submissas em uma sociedade totalmente machista. Não muito além da nossa realidade, o livro de Carey frisa uma crítica ferrenha a todo o sistema social em que vivemos, que menospreza a mulher, pregando a importância de cada função que seus personagens assumem na trama, desde o mais simples ao mais complexo. Para um livro despretensioso, Eva é uma boa pedida. Narrado em terceira pessoa, é uma leitura rápida, regular e de escrita fácil, contando ainda com uma edição bonita, sutil e muito bem revisada.

Algo na palavra "nós" me reconfortou. Não havia mais ele. Não havia mais eu. Éramos nós!





Anna Carey já trabalhou embalando presentes, pintando rostos, editando livros infantis e como garçonete, babá e vendedora (de sofás). Ela se formou na Universidade de Nova York e fez mestrado em ficção na Universidade do Brooklyn. Atualmente mora em Los Angeles e escreve livros para jovens.







Nenhum comentário

Postar um comentário

Expresse-se