Resenha #252 - Uma História de Amor e Toc!





Título: Uma História de Amor e Toc
Autor: Corey Ann Haydu
Editora: Galera Record
Ano: 2015
Especificações: Brochura |320 páginas
ISBN: 9788501100580
 Sinopse
Bea foi diagnosticada com transtorno obsessivo-compulsivo. De uns tempos pra cá, desenvolveu algumas manias que podem se tornar bem graves quando se trata de... garotos! Ela jura que está melhorando, que está tudo sob controle. Até começar a se apaixonar por Beck, um menino que também tem TOC. Enquanto ele lava as mãos oito vezes depois de beijá-la, ela persegue outro cara nos intervalos dos encontros. Mas eles sabem que são a única esperança um do outro. Afinal, se existem tantos casais complicados por aí, por que as coisas não dariam certo para um casal obsessivo-compulsivo? No fundo, esta é só mais uma história de amor... e TOC.
Cortesia Editora Galera Record


**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************



Acho que nada nunca é suficiente

Bea sempre se sentiu meio diferente das outras pessoas. Se não fosse todos os problemas que já enfrentou no passado devido a suas estranhas “manias”, a última lhe rendeu uma complicada confusão. Logo após isso, frequentando um tratamento psiquiátrico, ela foi diagnosticada com TOC (transtorno obsessivo-compulsivo) e sua vida parece não ter melhorado de lá para cá. Vivendo cada dia em seu próprio ritmo, ela tenta conviver com a ideia ao mesmo tempo em que se nega a ser doente, mas isto muda quando, numa noite na balada, salva por acaso, outro garoto, que está tendo sua primeira crise de pânico. Poucos dias depois o mesmo garoto com que ela tem um lance rápido, aparece no grupo de ajuda do qual participa. Seu nome é Beck. Mas Beck parece tão estranho quanto ela, e isso é ótimo, ou pelo menos é o que Bea acredita. Ela imagina que finalmente encontrou alguém que entendi sua situação... Ou talvez não. Entre beijos e abraços, Bea e Beck dividem seu tempo com o banheiro, já que a todo instante ele precisa lavar as mãos. Seriam eles o casal perfeito para se complementar? Quais riscos, um casal com o TOC pode enfrentar?

Como a própria obra já diz, “esta é só mais uma história de amor... e TOC”. Ou pelo menos é isto que o leitor pode vir a pensar se aventurando em sua sinopse. A história que parece fofa e ao mesmo tempo complicada, bem semelhante a todos os sick lits, muda totalmente nossa visão quando embarcamos em suas páginas. Logo nas primeiras partas já fica evidente que Corey Ann Haydu não quis se fechar aos esteriótipos e sua obra tem um toque extremamente pessoal. Ignore o amor e some boa parte da trama focada na doença, pois é isto que iremos encontrar. Uma História de Amor e TOC está muito longe de fazer a linha “romances idealizados”, e trabalha com brutalidade o caso de cada personagem, de forma que a leitura é densa e bem reflexiva (até certo ponto). Eu me deparei com uma surpresa de experiências enquanto lia. Além de não sentir pena especificamente de nenhum dos personagens (que possuem um lado bem masoquista, onde o tratamento para eles é se render a compulsão e a dor que elas podem causar), a narrativa se fecha muito em descrever cada sensação que a protagonista sente. Voltada para a o ponto de visão de Bea, temos um apurado de experiências bem complexas, invadindo a intimidade da personagem e sondando sua mente, e neste quesito a autora trabalhou excelentemente bem, sem dúvidas. O ponto chave do livro em momento algum parece ser o romance, mas sim conscientizar o leitor que apesar de parecer bobo, TOC é uma disfunção bem grave e tensa, de forma que as cenas da narrativa estão recheadas de momentos sufocantes ou imprevisíveis. Não existe uma maneira de prever como tudo vai ter seu desfecho, e o mais complicado ainda e assimilá-lo. Não é, com certeza, um livro de fácil leitura, para se fechar os olhos e terminar. Como mencionei é denso e extremamente chocante, transbordando ao leitor uma sensação diferente e instável, facilitada pelas ricas descrições de Haydu

Sentimentos são como cobertores, cobrindo você para que não consiga ver com clareza. Ou como labirintos nos quais pode facilmente se perder. Estou com medo de me perder.

Pensar normalmente é o sol, e a lua fica passando em frente a ele, às vezes bloqueando apenas em parte pensamentos normais, às vezes, obscurecendo-os por completo.

O livro, no entanto, perdeu pontos comigo devido a toda essa crua realidade retratada pela autora. Ignore totalmente todos os personagens fofos que geralmente compõem as obras desse gênero. Uma História de Amor e TOC, trás um apurado de personagens tão anti heróis e impopulares quanto se possa imaginar. A própria protagonistas não passou a minha visão do que uma pessoa muito prepotente e extremamente dissimulada, que em diverso instante da história, não pareceu se preocupar com quem seria ferido. Bea possui uma visão bem metrificada do mundo a sua volta; calculista, e em certo ponto, perturbadora. E essa sua visão perturbadora não é ruim, mas boa, porque a autora faz o leitor mergulhar realmente na existência de Bea, em todo o seu universo, afundando a cada página. Não sei como seria conviver enxergando tudo da forma como ela vê, pois, é um mundo tão deformado e mesquinho, cheio de pessoas que se aproximam apenas por caridade. São os pensamentos individuais da personagem que rendem sempre as melhores reflexões sobre a nossa própria realidade. 



Suas amizades nem ao menos são citadas, e de todas as mocinhas de sick lit que já li, ela parece a mais devastada. A única amiga que acompanha sua trajetória é Lisha, que é extremamente passiva as vontades dela, sempre a tratando como uma criatura ferida, evitando assuntos ou deixando com que ela exerça suas compulsões sem nem ao menos ajudar. O que a autora provavelmente quis passar vou que seus personagens tem uma visão bem individualista de si mesmo. Até o próprio Beck, que chega o mais perto de não ser um anti herói, devido aos duros desafios que tenta enfrentar para superar seu TOC, vira e mexe tem suas recaídas. O fato é que os personagens de Haydu não foram feitos para se afeiçoar, ou pelo menos foi assim que compreendi. E isso é bom e ruim ao mesmo tempo. Por um lado mega positiva, a autora foge aos clichês e mostra um lado humano e bem mais verdadeiros em tudo que rodeia o cenário de sua obra, mas por outro, causa certo desconforto com o leitor, de maneira que é complicado ler um livro todo e não concordar, em diversas partes, com as atitudes mesquinhas e revoltantes que Bea e os outros personagens tomam. Mesmo quando as pessoas parecem querer lhes ajudar e eles agem tão friamente a isto. 

Uma História de Amor e TOC não é um livro romântico, isto é fato, e passa longe de centralizar amor. É um livro realístico, onde claro, temos romance, sexo e muitos outros temas que provavelmente seriam abordados em um YA, mas também trata de temáticas mais densas e de uma complexidade maior. O que não deixa de ser uma excelente leitura, apesar dos picos monótonos que a narrativa tem. Tendo uma edição muito bonita, fechada em uma capa amarelada bem chamativa, é uma excelente pedida para os fãs do gênero.



Corey Ann Haydu cresceu nas ruas de Boston, Massachusetts, onde desenvolveu um profundo amor por livro, queijo, ruas de paralelepípedos e Gilmore Girls. Atualmente mora em Nova York, onde arrumou novas paixões, como livrarias, os prédios do Brooklyn, escrever em cafés e queijos mais finos. Uma História de Amor e TOC é seu romance de estreia.



4 comentários

  1. Olá
    eu aodire os comentairos que eu vi sobre esse livro, ate pq eu sofro um pouco de Toc, kkk, e eu adorie o Kit que os parceiros receberam com o livro, kk, o álcool em gel foi genial kkk
    Bjks
    Passa Lá - http://ospapa-livros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito da sua resenha. Se eu já estava com vontade de ler esse livro, depois dela, só aumentou.
    Eu não consigo imaginar o que uma pessoa que tem TOC passa. Fora esse livro, eu lembro de TOC bem retradado em Glee, com a esposa do Will (esqueci o nome dela agora hahaha)
    Mais uma vez, parabéns pela resenha. Gostei muito como você falou do livro.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  3. Preciso dizer que você acabou de fazer com que eu corresse pro skoob adicionar o livro como desejado? Sério, pode acreditar que logo esse livro aparece lá no blog por indicação sua. Fiquei completamente doida pela história, principalmente pelo fato de não apelar pro lado emocional do romance, e sim retratar a realidade pura das pessoas que convivem com esse distúrbio, que de fato parece algo simples mas não deve ser nada fácil, acaba com a cabeça e personalidade da pessoa. Quero pra já!! *-*

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
    Tem resenha nova no blog de "Soldier", vem conferir!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carol!
      Então você vai amar! É um prato recheado para quem gosta de um lado mais técnico, sem dúvidas :)

      Abraços
      David Andrade
      http://www.olimpicoliterario.com/

      Excluir

Expresse-se