Resenha #262 - Filha da Ilusão (Herdeiros da Magia Vol 1)!






Título: Filha da Ilusão
Coleção: Herdeiros da Magia
Autor: Teri Brown
Editora: Valentina
Ano: 2014
Especificações: Brochura |288 páginas
ISBN: 9788565859295
 Sinopse
Ilusionista talentosa, Anna é assistente de sua mãe, a famosa médium Marguerite Van Housen, em seus shows e sessões espíritas, transitando livremente pelo mundo clandestino dos mágicos e mentalistas da Nova York dos anos 1920. Como filha ilegítima de Harry Houdini - ou pelo menos, é o que Marguerite alega - os passes de mágica não representam um grande desafio para a garota de 16 anos: o truque mais difícil é esconder seus verdadeiros dons da mãe oportunista. Afinal, enquanto os poderes de Marguerite não passam de uma fraude, Anna consegue realmente se comunicar com os mortos, captar os sentimentos das pessoas e prever o futuro.
Porém, à medida que os poderes de Anna vão se intensificando, ela começa a experimentar visões apavorantes que a levam a explorar as habilidades por tanto tempo escondidas. E, quando um jovem enigmático chamado Cole se muda para o apartamento do andar de baixo, apresentando Anna a uma sociedade secreta que estuda pessoas com dons semelhantes aos seus, ela começa a se perguntar se há coisas mais importantes na vida do que guardar segredos. Mas em quem ela pode, de fato, confiar?
Teri Brown cria, neste fantástico romance histórico, um mundo onde pulsam a magia, a paixão e as tentações da Nova York de Era do Jazz - e as aventuras de uma jovem prestes a se tornar senhora do seu destino.
Cortesia Editora Valentina // Site e Facebook da Editora


**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************
 




Uma narrativa baseada no estilo de vida dos loucos anos 20, cheia de mistérios e segredos. Anna Van Housein nasceu e cresceu entre pilantras e artistas circenses, em uma realidade onde muitos utilizam truques baratos para enganar e impressionar os mais ignorantes. A jovem, também utiliza estas mesmas artimanhas para esconder o seu dom de enxergar as emoções dos que a cercam e de prever desastres antes de acontecerem de fato. 

Geralmente, tento evitar qualquer contato físico com as pessoas – é a maneira mais fácil de evitar ser bombardeada pelas emoções delas.” (p. 15)

Acostumada a viver à sombra de sua mãe, Madame Marguerite Estella Van Housen, a famosa médium/mentalista, Anna teve de aprender desde muito cedo os ossos do oficio, que incluíam não só dissimular os falsos truques usados nas apresentações de sua mãe, como ajuda-la a fugir inúmeras vezes da prisão, já que praticas mediúnicas eram amplamente reconhecidas como charlatãs e puníveis perante a lei. De tanto ajudar sua mãe a escapar, e até mesmo, devido à linhagem que herdara como filha bastarda de Harry Houdini, a jovem aprendera a amar a arte do escapismo. Arte, que em um futuro próximo quando seu segredo for revelado e sociedades secretas começarem a almejar suas habilidades, a ajudaria a salvar-se e todos que ela viria a amar.

A elaboração do cenário é magnifica, igualmente ao inebriante ritmo da trama elaborada por Brown. A tensão criada por ela em determinadas situações é palpável, e a força de vontade tem que ser enorme, para não se afligir o suficiente para pular parágrafos e ir de encontro à resolução. Cada um de seus personagens carregam traços de personalidades fortíssimas, que em mãos inexperientes poderiam vir a ser desperdiçados, mas Brown soube como mediar suas personagens na construção da história, tornando suas participações uma intricada teia de aranha, com linhas que se encontram e se distanciam sem destruir a consistência da outra.

A edição da Editora Valentina, é uma irresistível armadilha, convidando o leitor a só largar a obra, quando não houverem mais páginas a serem lidas. A elaboração minuciosa da apresentação de cada capítulo, torna quase impossível tentar não se render ao velho capricho que só os leitores entendem de “ler só mais um capítulo”. Filha da Ilusão virá esse misto de fantasia e doçura, com um cenário encantador e personagens verdadeiramente cativantes.




Teri Brown tem muito orgulho de seus dois filhos, mas logo em segundo lugar vem o fato de já haver saltado de paraquedas e zerado o Legend of Zelda. Ela adora escrever, é fã de heavy metal, detesta matemática, devora livros, pilota fogão, cria gatos e é cem por cento urbana. Teri vive com o marido e um mundo de bichos de estimação em Portland, Oregon.



 

Um comentário

  1. Oi Lena!
    Amo o cenário dos anos 20 <3 <3
    Para essa história ser melhor, devia ter se passado em Nova Orleans <3
    Apesar de estar fugindo de novas séries, curti a premissa desse livro e sua resenha me deixou bastante intrigada.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir

Expresse-se