Resenha 257 - Rebentar!





Título: Rebentar
Autor: Rafael Gallo
Editora: Record
Ano: 2015
Especificações: Brochura |378 páginas
ISBN: 9788501104328
 Sinopse
Um romance impactante sobre uma mãe que precisa aprender a conviver com a ausência do filho
Depois que seu filho desapareceu aos 5 anos, Ângela dedicou toda a sua vida à busca da criança. Parou de trabalhar, não teve mais filhos, afiliou-se a instituições de busca de crianças desaparecidas. Mas após trinta anos sem nenhum resultado, ela finalmente decide desistir completamente da procura. Além da própria dor e culpa, Ângela precisa enfrentar o julgamento de todos aqueles que de alguma forma estavam envolvidos com sua história.
Rebentar é um corajoso e emocionante mergulho nas dores da perda.
Cortesia Editora Record


**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************




Felipe tinha cinco anos quando desapareceu. Foram apenas alguns minutos distante dos olhos vigilantes de Ângela, sua mãe, para que sua vida mudasse completamente. Trinta anos a espera de um filho que nunca mais voltaria. Trinta anos tentando encontrar uma pista de seu paradeiro, uma indicação que a deixasse mais próxima do reencontro, ou até mesmo, o corpo sem vida de seu filho perdido para dar um tão almejado fim a sua busca. Trinta anos observando as ondas a rebentar contra a praia, admirando como as mesmas e revoltosas ondas do mar se assemelhavam a sua mente. Trinta anos, foi o tempo necessário para reunir coragem suficiente para renunciar o que a fez desistir de longos anos da sua vida e se dar uma chance de recomeçar, de conciliar a vida que tinha antes da perda com a ferida incicatrizável deixada pela ausência de Felipe. Cada passo adiante na sua renuncia, denuncia a quantidade de tempo perdido e desperta lembranças há muito tempo esquecidas. 

Em Rebentar temos memórias tingidas com tons alegres e tristes através da sensibilidade da narrativa de Rafael Gallo, em uma trama que varia de leve a esmagadora com uma maestria arrebatadora.

Um dos pontos mais interessantes do livro é a ligação da protagonista do romance com o mar, a forma como ela enxerga no mar o único ponto de refugio atemporal e constante ao qual pode recorrer. Até mesmo o título da obra faz alusão à significação do rebentar do mar, com os sentimentos de Ângela. O quebrar-se, fazer-se em pedaços, em um movimento continuo, assim como ela fez a cada busca improdutiva, a cada criança encontrada que não era o seu filho.


Cada detalhe, cada termo minunciosamente escolhido, traz tanta força a narrativa que é impossível não ter empatia pela protagonista, e sofrer ou se alegrar um pouco juntamente a ela (qual você percebe, já está em lágrimas).

A edição do livro também não deixou a desejar. Com uma capa sutil e bonita, o clima nostálgico contagia o leitor do começo ao fim.



Escritor, autor do romance Rebentar (Record, 2015) e de Réveillon e outros dias (Record, 2012), livro vencedor do Prêmio Sesc de Literatura e finalista do Prêmio Jabuti, ambos na categoria Contos. Você pode conferir novidades e outros textos em seu blog, curtir sua página no Facebook, segui-lo no Twitter ou mandar um email nos ícones a seguir. Rolando a tela mais para baixo, há links para compra dos livros e material para a imprensa.




3 comentários

  1. Oi Lena! Que resenha maravilhosa. Veja bem, eu PRECISO ler este livro. Que assunto pesado, dramático e arrebatador! Temática muito difícil de ser lida por alguns. Já está no "quero ler" da minha estante. Obrigado pela maravilhosa indicação! Também amei essa capa. Grande beijo. ;)

    Ewerton Lenildo - Viajante das Letras.
    viajantedasletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Que capa linda e, ao mesmo tempo, angustiante. Achei interessante demais.
    Ai o mar... sempre ponto de refúgio para tudo na vida (depois de uma biblioteca, claro)
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  3. Acho que pela capa eu não daria muito, na verdade até fiquei meio confusa haha mas pela resenha deu pra compreender melhor, e adorei, parece bem algo típico de histórias reais.

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
    Tem tag no blog, vem ver!

    ResponderExcluir

Expresse-se