Cinema #123 - Quarteto Fantástico!





Título: Quarteto Fantástico
Gênero: Aventura
Direção: Josh Trank
Roteiro: Simon Kinberg
Elenco: Adam Fristoe, Anthony Ramsey, Anthony Reynolds, Ben VanderMey, Chet Hanks, Christopher Heskey, Deneen Tyler, Don Yesso, Evan Hannemann, Gretchen Koerner, Gus Rhodes, Han Soto, Jamie Bell, Jane Rumbaua, Jaylen Moore, Jerrad Vunovich, Jodi Lyn Brockton, John L. Armijo, Kate Mara, Lance E. Nichols, Marco St. John, Mary Rachel Dudley, Mary-Pat Green, Melissa McCurley, Michael B. Jordan, Michael D. Anglin, Miles Teller, Owen Judge, Patrick Kearns, Reg E. Cathey, Shauna Rappold, Sue-Lynn Ansari, Tim Blake Nelson, Toby Kebbell, Wayne Pére
Produção: Gregory Goodman, Hutch Parker, Matthew Vaughn, Simon Kinberg
Duração: 106 min.
EstúdioGenre Films / Twentieth Century Fox Film Corporation
 Sinopse
Quarteto Fantástico é uma nova e contemporânea do veterano time de heróis da Marvel. A trama é focada em quatro jovens excluídos que se teleportam para um universo alternativo e perigoso que alterna as suas formas físicas de maneiras surpreendentes. Com suas vidas irrevogavelmente abaladas, eles precisam aprender a aproveitar as suas novas habilidades e trabalhar juntos para salvar a Terra de um antigo amigo transformado em inimigo.

**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************




Os filmes do universo Marvel que envolvem o Quarteto Fantástico tendem sempre a falhar de alguma maneira. Na nova versão produzida este ano, o acontecimento não foi diferente, e o que era para parecer bom, ficou igualmente horrível. Com interpretações amadoras, efeitos especiais aparentemente mal produzidos e uma história lenta, Quarteto Fantástico não cumpre com o adjetivo em seu título, passando bem longe disto.

Reed Richard (Miles Teller) é um gênio excepcional desde criança. Ainda jovem, o garoto tinha o sonho de explorar outros mundos, demonstrando ao público o descobrindo de novas terras. É durante uma feira de ciência, juntamente com seu amigo Ben (Jamie Bell), que os sonhos que Reed começam a se transformar em realidade. Envolvidos em um projeto com um pesquisador famoso, os dois iniciam a construção de um portal capaz de levar humanos ao mundo desconhecido. Juntamente com Sue (Kate Mara), Johnny (Michael B. Jordan) e Victor (Toby Kebbell), Reed se aventura em um novo mundo, mas quando um acidente causa mudanças em seu DNA e todos adquirem poderes, uma batalha pelo equilíbrio começa a acontecer e o sonho de ajudar a humanidade ganhará novas proporções.

O enredo não poderia ter sido mais fraco. Dirigido por Josh Trank, o filme é lento, tedioso e cansativo, não tendo nenhuma só cena que quebre esta monotonia. Quarteto Fantástico, depois de tantas críticas ferrenhas a nova versão, comprova-se uma imensa decepção. A direção do filme parece não ter se importado em criar algo mais relevante, consistente e divertido. Boa parte do desenvolvimento do longa trata apenas da junção do grupo e do contexto cientifico ao qual os personagens estão inseridos, que, por acaso, não pareceu nenhum um pouco interessante ou atrativo, como vê-se em O Homem Formiga. Os próprios personagens se mostram descontextualizados com o enredo, onde vemos o Coisa ter uma mínima participação no começo, sumir por diversas cenas e só retornar tempos depois, totalmente perdido pela trama. Igualmente a ele, temos o romance xoxo entre Reed e Sue, que não pareceu só pouco desenvolvido na trama, como também pelos próprios atores, ficando morno e nem chegando a se tornar um par desejável de amantes.


 

Se houveram péssimas interpretações este ano, Quarteto Fantástico ganha o prêmio em primeiro lugar. Nenhum protagonista em particular escapa, e todos os atores agem durante todo o longa de forma amadora, não demonstrando a profundidade de seus personagens. Em interação então, nem podemos citar. Como disse, tudo parece descontextualizado, jogado sem mais nem menos sobre o telespectador.


Mas o que mais me perturbou, tendo o filme sido produzido pela Fox Film, foram os efeitos especiais, péssimos; da pior qualidade possível. As cenas que envolvem o uso dos dons dos personagens só não é mais absurda e tosca, porque quase nem acontece, tornando o filme algo problemático. E tirando o visual do vilão, que chega o mais perto de ser realmente um personagem bem construído (chega perto, mas não convence), o restante é totalmente descartável. Levando em consideração a época em que estamos (com Guardiões da Galáxia bombando por ai), Quarteto Fantástico foi nada menos que um fantástico erro. O fato de Trank querer aprofundar a relação familiar dos personagens e mostrar o passo a passo do teleportador, só tornaram a trama caótica e totalmente sem sal. Como disse, com certeza, uma das maiores decepções no ano... De fantástico, não teve exatamente nada.




5 comentários

  1. Oi, David!
    Acho que eu fui a única que gostei desse filme nessa face da terra. Eu até escrevi uma crítica sobre ele no blog.
    Eu não acho que foi de todo ruim, mas também não é o melhor que eu já vi. Foi razoável.
    Beijos
    Balaio de Babados | Participe da promoção Natal do Babado

    ResponderExcluir
  2. Olá David!
    Já não tinha vontade de ver esse filme, agora é que a vontade acabou de vez huahua adorei a sua critica!
    Bjs

    EntreLinhas Fantásticas | SORTEIO 250 SEGUIDORES! NOS SIGA E PARTICIPE :)

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bem?
    Nossa, concordo totalmente. O filme foi um total erro, atuação, efeitos, enredo. Quando eu achava que ia me emocionar, a próxima cena era mais monótoma e no final só agradeci por ter acabado.
    A maior decepção do ano!
    bj

    @saymybook
    saymybook.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Olá, David! Beleza?

    Rapaz... sério que este filme foi tão fraco assim?
    E eu achando que iriam melhorar o sequência, pois como você, também achei os demais meio sem graça...
    Após ler sua crítica, provavelmente eu nem vá assistir ao filme.

    Abraços!
    Participe do sorteio #Novembro Azul no Irmãos Livreiros

    ResponderExcluir
  5. Que pena o filme ter desagradado tanto! Não cheguei a ir ao cinema vê, pq 2015 tem sido um ano de muito trabalho para mim, ainda não fui ver "Jogos Vorazes" só para você ter uma ideia, mas esperava ao menos um filme ok. Que pena... morguei mais ainda de vê o filme!

    Pandora
    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir

Expresse-se