31 dezembro 2015

Retrospectiva 2015 #1!





2015 foi sem sombra de dúvidas um ano com muitas surpresas. Li coisas que achei que nunca leria, assisti coisas que nunca tinha assistido e me arrisquei no diferente, querendo provar e comprovar novas experiências. Em pleno 31 de dezembro, porque não comentar todas essas experiencias e separar as melhores? Seja bem vindo a retrospectiva 2015 (leia imaginando a musiquinha tema da Globo).

26 dezembro 2015

Resenha #25 - A Mentira (Transmutados Vol 2)!






Título: A Mentira
Coleção: Transmutados
Autor: Vanessa Tourinho
Editora: Genérico Modo Editora
Ano: 2016
Especificações: Brochura / 287
ISBN9788584050543
 Sinopse
Dois anos sem respostas ou rastros de seu namorado e amiga, tudo que resta é seguir adiante, fingir que está tudo bem. A vida caminha de forma tranquila, até Luisa descobrir a existência de um perigo tão perto que não há tempo para reação; já não há mais nada o que fazer. Desamparada e desacreditada, ela vai de encontro com revelações de seu passado, e descobre uma mentira tão bem contada, que quando revelada deixa a quase todos surpreendidos. No segundo volume da série transmutados, ninguém está a salvo das verdades escondidas, nem das mentidas contadas.
Cortesia da Autora // Lido na versão Beta

22 dezembro 2015

Resenha #24 - Me Abrace Mais Forte!






Título: Me Abrace Mais Forte - A História de Tiny Cooper
Autor: David Levithan
Editora: Galera Record
Ano: 2015
Especificações: Brochura |224 páginas
ISBN: 9788501105820
 Sinopse
Do universo de Will & Will: Um nome, um destino, conheça a história de Tiny Cooper em um fabuloso musical Uma novela musical do universo de Will & Will – um nome, um destino, escrito em parceria com John Green e o primeiro livro juvenil com protagonista gay a figurar na lista do New York Times. Em Me abrace mais forte, o personagem Tiny Cooper, um dos mais carismáticos da trama, disponibiliza o roteiro do musical que acompanha sua trajetória: do berçário até o ensino médio. Com participação especial do fantasma de Oscar Wilde, o roteiro revela os detalhes da vida amorosa de Tiny, seu relacionamento com seus vários ex-namorados, a amizade com a babá lésbica, a relação com os pais e o encontro com o amigo Will Grayson.

12 dezembro 2015

Resenha #23 - Corte de Espinhos e Rosas (Corte de Espinhos e Rosas Vol 1)!





Título: Corte de Espinhos e Rosas
Coleção: Corte de Espinhos e Rosas
Autor: Sarah J. Maas
Editora: Galera Record
Ano: 2015
Especificações: Brochura |434 páginas
ISBN9788501105875
 Sinopse
Em Corte de Espinhos e Rosas, um misto de A Bela e A Fera e Game of Thrones, Sarah J. Maas cria um universo repleto de ação, intrigas e romance.
Depois de anos sendo escravizados pelas fadas, os humanos conseguiram se libertar e coexistem com os seres místicos. Cerca de cinco séculos após a guerra que definiu o futuro das espécies, Feyre, filha de um casal de mercadores, é forçada a se tornar uma caçadora para ajudar a família. Após matar uma fada zoomórfica transformada em lobo, uma criatura bestial surge exigindo uma reparação.
Arrastada para uma terra mágica e traiçoeira — que ela só conhecia através de lendas —, a jovem descobre que seu captor não é um animal, mas Tamlin, senhor da Corte Feérica da Primavera. À medida que ela descobre mais sobre este mundo onde a magia impera, seus sentimentos por Tamlin passam da mais pura hostilidade até uma paixão avassaladora. Enquanto isso, uma sinistra e antiga sombra avança sobre o mundo das fadas e Feyre deve provar seu amor para detê-la... ou Tamlin e seu povo estarão condenados.
Cortesia Galera Record

06 dezembro 2015

Resenha #22 - Obsidiana (Saga Lux Vol 1)!




Título: Obsidiana
Coleção: Lux
Autor: Jennifer L. Armentrout
Editora: Valentina
Ano: 2015
Especificações: Brochura |320 páginas
ISBN9788565859790
 Sinopse
Começar de novo é uma porcaria. Quando nos mudamos para West Virginia antes do último ano de curso, eu tinha me resignado ao sotaque engraçado, ter conexão de internet ruim e me cansar da vida monótona como uma ostra... Até que eu vi meu vizinho sexy, tão alto e com esses impressionantes olhos verdes. As coisas pareciam estar melhorando. E então ele abriu a boca. Daemon é insuportável e arrogante. Nós não nos damos bem. Nada, nada bem mesmo. Mas quando um estranho me atacou e Daemon congelou o tempo, literalmente, com um movimento de sua mão... Bem, algo aconteceu... Inesperado. O sexy alienígena que vive do outro lado da rua. Sim, você ouviu direito. Alien. Acontece que Daemon e sua irmã têm uma galáxia cheia de inimigos que querem roubar suas habilidades, e o toque de Daemon fez com que eu parecesse um daqueles sinais luminosos em Las Vegas. A única maneira de sair dessa viva é ficar colada a Daemon até que minha "luz" extraterrestre se apague. Isso se eu não matar a Daemon antes, claro.
Cortesia Editora Valentina // Site e Facebook da Editora

04 dezembro 2015

Resenha #21 - Malícias e Delícias!






Título: Malícias e Delícias
Autor: Tara Sivec
Editora: Valentina
Ano: 2015
Especificações: Brochura |304 páginas
ISBN9788565859530
 Sinopse
CUIDADO: Esta história de amor pode matar você de tanto rir. Ah, e está escandalosamente lotada de porres homéricos e, hummm, sexo da melhor qualidade!
Claire é uma espirituosa jovem de vinte e poucos anos que trabalha num bar (não era esse o plano, mas...) e, muito a contragosto, resolveu ajudar a melhor amiga (uma expert em malícias) a vender brinquedos eróticos bem safadinhos. Na verdade, seu sonho é viver de delícias, ou melhor, abrir uma confeitaria dedicada exclusivamente a doces, cookies e bolos feitos com muuuito chocolate. Quando Carter, um rapaz que conheceu numa festa de faculdade e com quem passou uma única noite (o suficiente para mudar sua vida para sempre!), reaparece na cidade sem demonstrar reconhecê-la, a não ser pelo profundo aroma de chocolate que Claire exala no ar, ela se mostra determinada – aaaai que loucura! – a fazê-lo nunca mais se esquecer dela. Só que existe uma terceira pessoa na relação (divertidíssimo, porém desbocado e inconveniente). Alguém que Carter desconhece e que, das duas uma: ou o obrigará a comprar uma passagem só de ida para o Polo Norte ou o fará o homem mais feliz do mundo!!!
Cortesia Editora Valentina // Site e Facebook da Editora

02 dezembro 2015

Coluna: Vs. #1!





Hey pequenos olímpicos, como vocês estão? Eu prometi a vocês que as colunas estariam de recesso e só retornariam em fevereiro correto? Deixa eu explicar então qual foi o caso aqui. A coluna Vs. é uma ideia para 2016, onde pretendo trazer debates opostos entre minha pessoa e outros amigos blogueiros. Ainda não tenho ideias de quais serão os próximos, mas sei que vou tentar trazer o post de dois em dois meses, até porque vai ser uma coluna que merecerá um melhor estudo dos dois debatedores, pra ficar algo legal. Essa primeira, porém, eu já havia combinado com o Plinio do blog Entre Séries e Livros, meu amiguinho convidado de hoje, a algum tempo atrás, antes de pensar na coluna em si. A ideia era debater sobre uma das rixas nerds mais badaladas entre os fandons: DC Vs. Marvel. O post estava previsto para sair no mês passado, mas devido ao final de período tanto para mim, quanto para o Plinio, a gente ficou sem tempo para debater e finalizar as questões. Esse último fim de semana, porém, conseguimos concluir e o primeiro Vs, e para que vocês tenham uma base do que vem por aqui em 2016, chega hoje, mesmo no recesso das colunas, o primeiro debate. Espero que vocês gostem e não deixem de sugerir temas pra gente também, ok, vamos adorar!

E para abrir o debate, nada mais legal do que aproveitar o assunto do momento (trailer de Capitão America 3: Guerra Civil) e começar os comentários sobre ele e Batman Vs. Superman: A Origem da Justiça. Eu defenderei a Marvel, enquanto que o Plínio vai justificar as atitudes da DC. Não deixem de comentar ok! Vale lembrar que a discussão aqui é amigável hein galera. Não é nada extrapoladora para gerar discórdia ou motivar insulto pelos comentários. Vamos tentar mostrar, cada um, o lado positivo, de cada filme escolhido. Vamos ter um debate legal com civilidade ok! Até porque, é sempre bom trocar opiniões não é?

Escolhemos as duas adaptações controversas super esperadas pelos fãs, e a ideia é compará-las, e tentar justificar de forma coerente nossa preferência. Vamos que vamos!





Qual das duas produções apresenta melhor a relação estabelecida entre os protagonistas em confronto, e explica claramente o conflito apresentado?

David: Para essa pergunta, a resposta a favor de Capitão America 3 é bem simples: a Marvel se preparou muito para produzir este embate, tanto que o confronto foi explorado muito antes de realmente acontecer. Guerra Civil é um filme que basicamente já estava preparado entendendo-se que a briga entre o Homem de Ferro e o Capitão não começou apenas agora, mas sim desde os Vingadores 1. Para quem vem acompanhando o quadro de sequencias da produtora sabe o quanto os dois divergem sempre que possuem alguma participação em conjunto em filmes. O mesmo já não posos dizer de Batman e Superman, que apesar de se mostrar uma grande produção, nunca tiveram se quer um contato, e agora é que irão se encontrar, já antagonizando um ao outro. Capitão Rogers e Stark possuem, queira ou não, um histórico de brigas e acertos. E é seguindo esse raciocínio que também acredito que a resposta para esta segunda pergunta também seja a favor da Marvel. Em A Era de Ultron, Homem de Ferro coloca em risco não só apenas a segurança do grupo, como a de todo o mundo em pró de um projeto pessoal e um tanto quanto individualista. Em Guerra Civil, optando por achar que o registro dos heróis venha facilitar o trabalho do governo em determinar quem é inimigo e quem não é, ele não só iria expor todos a uma verdadeira guerra, como também colocaria um alvo nas costas de muitos outros, que possuam uma ligação com este herói. Evidentemente, tendo o conhecimento em guerra que o Capitão America tem, era imprescindível sua reação a este registro. Os heróis deixariam de ser heróis para se tornarem soldados. Qualquer vilão teria acesso direto a familiares e amigos. O filme larga de ser uma briga individual de opiniões, para ser uma guerra pela liberdade de escolha.

Plínio: Enquanto a relação entre o Tony Stark e o Capitão Rogers é melhor desenvolvida durante os filmes anteriores da franquia "Os Vingadores", percebemos que o confronto apresentado em "Guerra Civil" é só uma continuidade da forte divergência de ideias presente entre os heróis. Sim, entendo que a decisão do Stark acabará envolvendo os demais personagens (heróis), de uma forma abrupta e irresponsável, mas tudo não passa de uma falta de conexão, talvez até diálogos, entre os protagonistas, que, se me lembro bem, fazem parte de um mesmo time. Por outro lado, em "A Origem da Justiça" veremos que o conflito entre o Batman e o Superman não se baseia só em ideais distintos, mas em como o posicionamento de cada um pode influenciar diretamente no futuro da humanidade, já que, como sabemos, estamos falando de Clark Kent e Bruce Wayne. Quando os métodos do primeiro desagradam o segundo presenciamos um embate, que pode ser interpretado facilmente como uma disputa fútil entre egos, mas que é simplesmente um meio de manter a ordem buscando o bem civil. Defendo Batman vs Superman, pois além de ser muito mais coerente na trama apresentada, o longa alimenta uma fantasia imaginada e esperada pelos fãs há muito tempo. É preciso destacar que, o Capitão América e o Homem de Ferro eram amigos, até que uma simples escolha faz com que essa amizade seja abalada. Pois bem, não tenho que dizer o quão forçado isso pode parecer.







Qual história apresenta melhor os heróis secundários, e justifica o "lado" escolhido por eles em batalha?

David: Para os conhecedores do universo Marvel HQ, existem diversos personagens que irão possuir uma importância enorme na trama nesta guerra. No filme, já visualizamos (obviamente não teria como ser no HQ, já a mesma possui muitos heróis na historia e o gasto seria exorbitante), o central vai ser o Homem Aranha. Homem Aranha, por sua vez, é a nova aposta da Marvel em quesito filme, e sua primeira aparição será neste longa e minhas expectativas são as melhores, já que o filme já foi reiniciado duas vezes, partindo para uma terceira (e esperando que seja a ultima). Infelizmente, não acredito que seu desenvolvimento vá ser tão grandioso assim. Espero que a Marvel volte a me surpreender como fez em O Homem Formiga. Embora essa chegada meio brusca possa desestruturar o enredo um pouquinho e deixar a história meio Batman vs Superman, em compensação temos a esperança que outros heróis ajam como pilar sustentador. Entre eles, a quem eu espero destaque, Gavião Arqueiro, porque quem viu A Era de Ultron sabe que o Gavião jamais seria a favor de registrar os heróis, já que ele possui uma família, e sendo o agente que é, conhece o históricos de agentes da SHIELD que sofreram perdas pessoais e o quanto isto se torna fácil quando se coloca diariamente contra os vilões de plantão. A Viuva Negra também já mostrou boa parte da personalidade que deve ser explorada neste terceiro longa, e espero sinceramente que isto aconteça. Tendo um link direto com o que aconteceu em Capitão America 2, logo no comecinho, vemos que mesmo ela tendo muita consideração pela pessoa de Steven Rogers, sempre optou por seguir as regras da SHIELD; sua missão em primeiro lugar. Além disso, partindo da ideia de que protagonizou ao final do filme um dos maiores escândalos da agência de espionagem, tendo seus segredos mais sórdidos revelados a todos, era de se esperar que ela seria a favor do restrito. 

Espero também um maior link com o Homem Formiga, que teve boa ligação na trama de seu próprio filme no enredo que vai se suceder em Guerra Civil, apesar de seu envolvimento me parecer, a primeira vista, quase ofuscado, ou pelo menos é isto que imagino. Segundo o quadrinho, temos uma participação gigantesca do Pantera Negra, então, é mais um personagem, já confirmado na trama que espero ver bem desenvolvido e que aparentemente tem tudo para se mostrar com perfeição, já que será sua primeira aparição e trará o link para seu filme individual. A Marvel tem esta grandeza de expandir seu universo e interligá-lo com tanta perfeição. Estes personagens e estas características devem/precisam ser mantidas, não só para estruturar ainda mais o enredo que já tem uma forte base, como também para ativar a intriga entre esses heróis. Outro ponto é fazer com os outros personagens que integram os times possuam realmente esta intimidade com os protagonistas, coisa que pelo menos no time Capitão America já foi bastante estudada e muito bem demonstrada, deste modo, retornamos a ideia de que Guerra Civil é um filme já pronto, só esperando ir às telonas.

Plínio: É verdade que no quesito quantidade de heróis, Batman Vs Superman não se destaca. Mas convenhamos que o número de coadjuvantes não é relevante quando se tem MULHER MARAVILHA E LEX LUTHOR para roubar a cena. Eu acho que ao responder a essa pergunta, o David se preocupou em apresentar histórias de heróis que ja conhecemos e se esqueceu de responder o que realmente foi perguntado. É possível que Guerra Civil simplesmente introduza novos personagens e divida os demais sem nos dar uma explicação decente? SIM. Como já foi falado, os quadrinhos apresentam vários heróis, e transmitir isso pro cinema seria inviável (sabemos que já foi uma luta pra Marvel conseguir os direitos do Homem-Aranha), mas esse corte que será feito, pode prejudicar sim na compreensão da trama como um todo. Em A Origem da Justiça, veremos pela primeira vez a épica aparição da Mulher Maravilha nas telonas... já chegando com uma imensa responsabilidade nas mãos: se posicionar em meio a dois gigantes. E, é claro, também veremos o lendário vilão Lex Luthor, ofuscando os heróis com sua personalidade única.







Qual enrendo é mais coerente com os demais longas da determinada saga?

David: Tendo respondido a primeira questão, acho que já deixei bem claro os pontos que resguardam Capitão America – Guerra Civil como melhor estrutura. Marvel ganha de lavada no quesito elaboração, e isso é imbatível. Como mencionei, a trama de Capitão America – Guerra Civil vem sendo moldado desde os primeiros filmes desse novo quadro da produtora, já tendo explorado o conflito ideológico entre os dois protagonistas muito antes deles serem centralizados em uma trama particular. Dentre a linha temporal cinematográfica, Os Vingadores 1, Capitão America 2 – Soldado Invernal, Homem de Ferro 2, Homem Formiga e Os Vingadores 2 – Era de Ultron são os que melhores se moldam a trama deste terceiro filme do Capitão. Os terceiros filmes Marvel possuem a trágica habilidade de liquidar a série. No lado Capitão America acredito eu que esse evento não vá se repetir. O personagem não só foi muito explorado em seus filmes individuais (que, diga-se, de passagem são excelentes), como também vislumbramos a interação dele com todos os outros secundários que envolvem este complexo universo. Até mesmo os que irão adentrar neste último volume da série, se mostram promissores, não só pela essência dos personagens que geralmente são mantidas, mas pela grandeza que o universo cinematográfico da produtora tem dado aos HQs.

Plínio: Todo mundo que acompanha os quadrinhos, sabe que a DC vem de uma linhagem heroica mais tradicional, parecida com a mitologia greco-romana. Batman, Superman e Mulher-Maravilha não são apenas super-heróis. São lendas vivas; personagens idolatrados. Seus símbolos são reconhecidos de longe e todos sabem o que eles significam para a humanidade. Há um misto de medo e adoração, confiança e insegurança. Resumindo, na DC Comics, estamos falando de deuses na Terra. Na Marvel, são humanos querendo brincar de deuses. Dito isso, fica claro que o enredo de “Batman vs Superman: A Origem da Justiça”, vai girar em torno dos acontecimentos gerados a partir do momento que deuses começassem a caminhar sobre a Terra. Seriam eles salvadores ou ameaças? "Para os terráqueos, especialmente Bruce Wayne, o kryptoniano apenas transformou a Terra em seu próprio palco de batalhas. E, claro, ele não vai deixar isso barato. É aí que o diretor Zack Snyder vai mostrar como um ser humano pode ser tão poderoso quanto alguém com o poder de um deus". Então, para combater a luz, é preciso conhecer as trevas. Batman, neste filme, é um antagonista. Já vimos a luz em “Homem de Aço” e as trevas na trilogia do Batman do Christopher Nolan. Ao contrário do que o David disse, agora, iremos acpmpanhar esse embate entre opostos icônicos, e veremos o resultado do confronto dessas forças, de uma maneira muito bem elaborada e seguindo a construção da trama nas HQ's.



Expectativas:

David: Depois desse debate bem instigante, o que vocês tem a dizer sobre ambos os filme? Animados? Com certeza as duas produtoras apresentam seus pontos negativos e positivos. Logicamente, esta visão vai depender principalmente do gosto de cada um. Sendo assim, só posso dizer que estou ansioso para conferir o trabalho que a Marvel fez em Capitão América: Guerra Civil, embora não tenha resguardado tanta ansiedade, pois, como falei nas resposta acima, a produtora tem fama de estragar os finais das trilogias individuais de seus personagens. Então, depois defender, vou expressar também alguns de meus medos. 

Como o Plínio colocou, ao mesmo tempo que esse monte de heróis pode ser positivamente viso, podemos também vê-los de maneira negativa. Se houver uma só falha, veremos o enredo todo desmoronar, então, é algo bem frágil e fácil de ser tornar uma droga. Não quero guardar muitas expectativas e no fim me decepcionar. Além disso, gosto do Capitão America como personagem, mas Thor, até em seus filmes individuais, é meu favorito, não só por um outro fato que o Plínio mencionou, de introduzir deuses entre humanos, como pela pura mitologia.

Quem viu o trailer de Capitão, também já reparou que a briga principal não vai ser tão focada na ideologia dos protagonistas quanto no quadrinho. A luta central é para defender o Soldado Invernal das atitudes que ele exerceu no segundo filme do Capitão. E é ai, mais um ponto que me deixa um pé atrás quanto a toda essa boa elaboração. Se a trama central do HQ não for bem mencionada ou ofuscada por outra ideia, o filme também pode falhar para os fãs, que já se decepcionaram um pouco com a mínima participação dos coadjuvantes (Plínio falou da dificuldade que a Marvel teve em conseguir os direitos de Homem-Aranha, então...) neste guerra clássica das revistas. Um coisa, porém, é certa: podemos esperar muitas reviravoltas e batalhas eletrizantes (o trailer já demonstrou isso). E claro, mais ansioso ainda estou para visualizar pela primeira vez o novo Homem-Aranha (segredo guardado a sete chaves até o momento). Quero ver como o herói vai se portar e como vai ser a interpretação do ator escolhido, Tom Holland. Expectativas para este filme não faltam, sem dúvidas, embora, frise, não vá com tanta cede ao pote. 

O mesmo, infelizmente, não posso dizer de Batman Vs. Superman. Não sou lá grande fã do universo DC nos cinemas. Suas séries televisivas são bem melhores, pra mim, embora, claro, não tenha nada contra, e tenha curtido as animações que foram produzidas (Justiça Jovem e Liga da Justiça). Espero sim que o filme engaje, não só para a alegria dos fãs, como também para que venha um filme da Liga da Justiça, ao qual assistirei com certeza. Não tenho nenhuma expectativa em particular para o longa, só espero, sinceramente, que me cative muito mais do que O Homem de Aço, para que não seja a mesma decepção que o filme do Superman para mim foi. Até lá, só nos resta aguardar, e torcer por novos materiais de divulgação! Ahh, e que você vá ao cinema conferir os dois, claro, para ter sua própria opinião sobre quem se saiu melhor ^^

Plínio: Quero deixar claro que não sou hater da Marvel, pelo contrário, sou fã do universo e Guerra Civil é uma de minhas HQ's preferidas, mas hoje precisei defender o filme concorrente pelo simples fato de que estamos falando de uma batalha que eu esperei anos para ver. E, por isso, minhas expectativas estão muito altas para ambos os filmes.

Em Capitão América estou ansioso pra ver como o Tom Holland vai se sair no papel de Spider, e mais, como o cinema vai retratar essa relação entre os três principais heróis do filme (Capitão América, Homem de Ferro e Homem-Aranha).

Já em A Origem da Justiça, creio que todo mundo espera uma ótima performance do Ben Affleck e uma boa introdução para a Liga da Justiça.

E para vocês? Qual é o filme mais aguardado? Qual história convenceu mais?
Afinal, Marvel ou DC?