Cinema #125 - O Destino de Júpiter






Título: O Destino de Júpiter
Gênero: Ficção Científica
Direção: Alexandra Fraser, Ancuta Breaban, Channing Tatum, Charlotte Beaumont, Christina Cole, David Ajala, Demi Kazanis, Dilyana Bouklieva, Doona Bae, Douglas Booth, Eddie Redmayne, Eric Ian, Gugu Mbatha-Raw, James D'Arcy, Jeremy Swift, Jo Osmond, Katherine Cunningham, Kick Gurry, Luke Neal, Maria Doyle Kennedy, Mila Kunis, Neil Fingleton, Nikki Amuka-Bird, Sean Bean, Simon Dutton, Spencer Wilding, Tamela D'Amico, Terry Gilliam, Tim Pigott-Smith, Tuppence Middleton, Vanessa Kirby
Produção: Andy Wachowski, Lana Wachowski
Duração: 127 min.
EstúdioVillage Roadshow Pictures / Warner Bros
 Sinopse
Jupiter Jones (Mila Kunis) nasceu sob um céu noturno, com sinais de que estava destinada a algo maior. Agora já crescida, Jupiter sonha com as estrelas, mas acorda para a realidade fria do seu trabalho de limpar banheiros e uma interminável luta contra o mau caminho. É somente quando Caine (Channing Tatum), um caçador ex-militar geneticamente modificado, chega à Terra para localizá-la que Jupiter começa a vislumbrar o destino reservado à ela desde o início - sua assinatura genética a marca como a próxima na fila para uma herança extraordinária que poderia alterar o equilíbrio do cosmos.


**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************





Júpiter (Mila Kunis) se considera a pessoa mais azarada do mundo. Tendo nascido em uma família pobre, onde sua mãe faz de tudo para compensar o vazio que seu pai deixou, trabalhando duramente, aprendeu a ser adulta desde cedo e nunca teve muita esperança na humanidade ou nas pessoas em particular. Desta maneira, sempre teve problemas para se relacionar com outros e nunca chegou a se apaixonar. Perdida nesta vida caótica, vê tudo ficar de cabeça para baixo quando um misterioso rapaz lhe sequestra; detalhes de uma nova e grandiosa vida começam a aparecer para ela. Júpiter é membro da realeza intergalática. A Terra pertence a ela, mas os outros membros desta família estão atrás dela e de seus domínios. Um perigo devastador começa a rondar seus entes queridos, e no meio de segredos e batalhas, seria ela capaz de começar a amar aquele que lhe sequestrou? Até onde sua sorte pode ser piorada?

Sou suspeito a falar de filmes de ficção cientifica com romances clichês. Sempre me pego gostando deles, mesmo com todas as críticas. O Destino de Júpiter é mais um para minha lista de "sou divergente". O longa não é muito filosófico, e nem trás grandes interpretações da vida, mas apresenta uma crítica a sociedade capitalista muito bem construída e uma trama que de certa maneira, apesar de previsível e boba, faz você roer as unhas e torcer por um final feliz.


Como todo filme clichê, o par romântico não poderia faltar, e para mim, o ápice do decaimento do longa foi justamente este. O romance que acontece entre Júpiter e o ex-militar Caine (Channing Tatum) acontece rápido demais, de forma que devido a tantas cenas de ação, o relacionamento acaba se perdendo no meio de tudo isso, deixando a desejar. O mesmo não se pode dizer dos efeitos especiais, que foram excelentemente produzidos e contam muitos pontos para a adaptação. Dirigido por Andy Wachowski e Lana Wachowski, O Destino de Júpiter me agradou, e mesmo não apresentando mensagens inovadoras, trás um enredo sedutor e cenas realmente arrebatadoras, fazendo com que o telespectador torça pelos personagens.



Outro ponto extremamente positivo foi a escolha de elenco. O filme não só teve um cenário, efeitos e maquiagem impecáveis, mas contou com interpretações muito admiráveis, desde Júpiter, que foi interpretada pela atriz Mila Kunis (de quem gosto muito, porque acho ela incrível), como também a presença de Eddie Redmayne, como um inesquecível e maquiavélico vilão. Seu personagem foi o que mais me agradou, não só pela performasse do ator, como também pela personalidade do vilão, de longe, propriamente odioso. Redmayne conseguiu reproduzir a essência de um bom inimigo e levou isto até seus momentos finais na trama. Não só ele, como o elenco no geral. Todos se mostram a vontade e bem posicionados na história, assumindo seus personagens com magnifica destreza. Some ao filme também, uma boa dose de entretenimento.

Como disse, não é algo aprofundado, cheio de novidades. É um romance ficcional com muitas reviravoltas e cenas cativantes que tornam o longa tudo, menos entediante. Com um enredo inteligente, apresentando personagens e história originais, O Destino de Júpiter me ganhou de alguma forma, e não poderia ser menos do que favorável a uma possível continuação (que não minha visão, merecia).


2 comentários

  1. Eu não fui assistir esse filme pensando que era algo sério e não estava no clima para isso... ai agora descubro que o filme é só entretenimento mesmo... Bem, vai para a lista de "vou vê nas ferias".

    ResponderExcluir
  2. Oi David, tudo bem?
    Esse filme foi meio indiferente pra mim: o trailer chamou a atenção, mas não fui assistir, depois li resenhas negativas e fiquei na mesma. Quem sabe um dia eu dê uma chance!
    Feliz Ano Novos, um 2016 cheio de coisas boas. =)
    Beijos,

    Priscilla
    http://infinitasvidas.wordpress.com

    ResponderExcluir

Expresse-se