Resenha #281 - A Garota no Trem!





Título: A Garota no Trem
Autor: Paula Hawkins
Editora: Record
Ano: 2015
Especificações: Brochura |378 páginas
ISBN9788501104656
 Sinopse
Um dos maiores fenômenos editoriais dos últimos tempos, o thriller psicológico The Girl on the train, de Paula Hawkins, surpreendeu até mesmo seus editores e a própria autora, nascida e criada no Zimbábue, que vive em Londres desde os 17 anos: em menos de um mês, o livro – que vem sendo comparado pela crítica a uma mistura de Garota exemplar e Janela indiscreta – ultrapassou a impressionante marca de 500 mil exemplares vendidos e alcançou o primeiro lugar nas listas de mais vendidos em todos os países em que foi publicado (Reino Unido, Irlanda, EUA e Canadá) desde seu lançamento em janeiro. A trama, que gira em torno do desaparecimento de uma jovem mulher, com três narradoras femininas duvidosas, conquistou fãs como o mestre do mistério Stephen King, que publicou em sua conta do Twitter que o “excelente suspense” o manteve acordado a noite inteira: “a narradora alcoólatra é mortalmente perfeita”. 
O livro segue uma linha de recentes sucessos literários de uma nova geração de autoras que vem redefinindo as convenções do gênero policial, com personagens femininos complexos que fogem do estereótipo de vítimas ou megeras, e tramas que criam suspense a partir de evoluções psicológicas sutis e dinâmicas ardilosas do casamento e relacionamentos. Com os direitos vendidos para 37 países e uma adaptação para o cinema em andamento pela Dreamworks, o romance será publicado no Brasil pela Editora Record em junho, com o título A garota no trem.
Cortesia Editora Record (Grupo Editorial Record)


**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************


Vou ser sincera e admitir que no inicio da leitura achei o livro bem chato e parado, e imaginei que iria me decepcionar, tornando a leitura monótona. Devido aos primeiros capítulos serem centrados na visão de Rachel, uma mulher amargurada, entregue ao alcoolismo, que vive chorando pelo ex-marido que a deixou há dois anos para viver com a amante, acabei idealizando um livro diferente. Não poderia estar mais errada. A Garota no Trem possui uma reviravolta que estreceu todo o meu corpo quando todos os pontos foram fechados e a narrativa de Hawkings me ganhou, inevitavelmente.


A historia é narrada por três personagens que possuem uma ligação: Rachel que já falei sobre ela, Anna que é a esposa do ex-marido de Rachel, e Megan que foi baba de Anna e a mulher que Rachel observa pela janela do trem todos os dias.

Você não sabe quem ela é, mas ela conhece você.”

Anna vive a vida que sempre sonhou: um marido que a ama e uma linda filha, mas passa por momentos difíceis quando Rachel, bêbada, fica ligando e falando coisas horríveis, chegando a algumas vezes a aparece na rua da sua casa deixando-a apavorada.

Megan se mostra feliz com o seu lindo marido, mas sente a necessidade de se relacionar com outros caras e possui um passado que não conta para ninguém, nem para seu próprio esposo.

Evidentemente agora você pode pensar: isso parece uma história romântica mal sucedida que terminará na briga dessas mulheres, uma querendo tomar a felicidade da outra. Engana-se mortalmente. A Garota no Trem trás um mistério muito mais aterrador. Após um acontecimento inesperado a historia toma outro rumo, nos deixando cada vez mais curiosos. Rachel acaba envolvida neste enigma. Em uma de tantas noites que passa embriagada ela se enrola em um caso violento que não consegue se lembrar. São estes pequenos fragmentos, ao começo do livro, que ao desenrolar da história, você leitor vai juntando e tentando desvendar os mistérios, chegando assim a conclusão surpreendente. Como já se diz no livro “A narrativa recheada de surpresas caminha para um clímax assustador, tão aterrorizante quanto uma batida de trem.”

A Garota no Trem é uma obra recheado de suspense e muito mistério, que você não consegue largar. Vamos parar por aqui, pois não posso falar muito, para não acabar com as surpresas. Vou apenas dizer que este livro é para você, que gosta de thriller policial e psicológico, garantindo que vai amar. Não só pela abordagem aprofundada que a autora dá a suas personagens, como desenvolvimento da trama no geral. E apesar do começo ser lento, o meio e o final do livro, conforme o mistério vai ganhando as páginas, vai compensando a paciência deste grande clímax. 

Paula Hawkins esta de parabéns por nos presentear com uma historia tão fantástica e a Record obrigada por nos proporcionar esta leitura. Vou classificar como quatro estrelas e meia, pois não poderia ser diferente depois de tantos elogios. Leia e mergulhe neste universo complexo de pistas e enigmas, onde evidentemente, o leitor não sabe exatamente nada, até se vê completando a leitura.




Foi jornalista na área financeira durante quinze anos, antes de se dedicar inteiramente à escrita de ficção. Sua primeira obra foi A Garota no Trem, lançada em 2015.






2 comentários

  1. Olá :)
    Apesar de todo o buchicho sobre o livro não tenho vontade de lê-lo

    Beijos,
    http://livrosentretenimento.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Expresse-se