Resenha #285 - Infinito + Um!






Título: Infinito + Um
Autor: Amy Harmon
Editora: Verus
Ano: 2015
Especificações: Brochura |336 páginas
ISBN: 9788576864424
 Sinopse
Quando duas pessoas se tornam aliadas improváveis e foras da lei quase sem querer, como podem vencer todos os desafios?
Bonnie Rae Shelby é uma estrela da música. Ela é rica, linda e incrivelmente famosa. E quer morrer.
Finn Clyde é um zé-ninguém. Ele é sensível, brilhante e absurdamente cínico. E tudo o que ele quer é uma chance na vida.
Estranhas circunstâncias juntam o garoto que quer esquecer o passado e a garota que não consegue enfrentar o futuro. Tendo o mundo contra eles, esses dois jovens, tão diferentes um do outro, embarcam numa viagem alucinante que não só vai mudar a vida de ambos, como pode até lhes custar a vida.
Infinito + um é uma história sobre fama e fortuna, sobre privilégios e injustiças, sobre encontrar um amigo por trás da máscara de um estranho — e sobre descobrir o amor nos lugares mais inusitados.
Cortesia Editora Verus (Grupo Editorial Record)


**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************



O mundo é o que fazemos dele


Amy Harmon é uma das autoras românticas que no momento tem arrecado mais e mais leitores. Após publicar Beleza Perdida também pela Editora Verus, a autora ficou extremamente conhecida e rendeu diversas resenhas positivas. Assumo que minha curiosidade e expectativa para Infinito + Um possa ter sido mais do que deveria. O romance que é basicamente um imenso clichê, é fofo, contagioso e leve, mas também não passa disso. A história que aparenta trazer uma forte lição pessoal para o leitor, em mim não causou essa sensação, e ao fim, não tornou a leitura tão significativa quanto esperei.

Bonnie Rae Shelby é uma aclamada estrela pop da atualidade. Vencedora de diversos discos e participante de um verdadeiro enxame de eventos, a queridinha do povo se vê em um dilema quando toda essa sua vida de riqueza e luxo se tornam tão vazia quanto ela.  Ciente disto, desde momento em diante, tudo que Bonnie quer acabar com esse vazio e liquidar essa inquietação que lhe perturba. Mal sabe ela que seu destino irá cruzar com um estranho garoto que adora matemática. 

Sempre guiados pelos números, Finn Clyde é um zé-ninguém que foi preso ao tentar limpar a barra de seu irmão após um terrível acidente.Clyde é inteligente, diferente e muito cético quanto a questões do coração. Para sua vida voltar aos eixos, a única coisa que ele precisa são de cálculos bem feito e um novo emprego. Mas um determinante diferente pode surgir nesta sua elaborada equação. Quando menos percebe, está seguindo para Las Vegas, na companhia de uma cantora mega famosa, fugitiva e meio suicida, sendo acusado de sequestro. Seria seus nomes uma sina? Ao final dessa estrada, que rumos a vida desconcertada de Bonnie, e a totalmente calculada de Clyde devem tomar?

Amy Harmon é sempre muito poética em sua narrativa. O monólogos de seus personagens sempre veem cheios de um fervor assustador, de forma que é totalmente impossível não se envolver e ansiar por mais da trama. Infinito + Um é uma história que trata principalmente de reconquistar uma identidade própria, verdadeiros valorosos e temáticas propriamente humanas (vaidade, riqueza, ganância e etc). Narrado em primeira e terceira pessoa, os capítulos, todos nomeados, tendo estes títulos ligações com eventos que acontecem no desenrolar do capítulo, são subdivididos na visão de Bonnie, Clyde e do narrador onisciente. Se isso embaralha sua cabeça? Não. A autora separou bem a divisão da narrativa entre os personagens, e o leitor consegue não só uma visão aprofundada de cada um dos protagonista, como também é somado a uma visão geral feito pelo outro narrador. Foi esta sem dúvida o ápice da história. Muito bem estruturada, a trama de Harmon tende a fazer o leitor se cativar pelos personagens, embora eu não tenha me identificado individualmente com nenhum. São suas cenas românticas e tiradas engraçadas que tornam tudo ainda mais interessante, e até mesmo, quando está trabalhando com a pura matemática, a autora consegue transmitir ao seu leitor um senso poético que trás todo um diferencial, tornando as cenas incríveis e marcantes. Seus cenários são deslumbrantes e comuns, de forma que é até meio banal a maneira como nos cativamos a tudo que cerca o romance, desde os personagens protagonistas, malucos, engraçados e destroçados; aos elementos mais sutis, como os pequenos detalhes descritos nas lembranças de Bonnie, ou então os cenários em sua pura essência.

"As pessoas não são unidimensionais

O que tornou a leitura um tanto enfadonha foi a demora para o desenvolver da ideia central. Bonnie e Clyde passam muito tempo na estrada, e embora essa estadia tenha sua significância ao fim da obra, também torna-se um tanto quanto repetitiva e vai tornando o livro mais longo do que necessariamente precisaria ser. Além disso, a verossimilhança da obra não é das melhores. Como leitores, sabemos que a ficção tende sempre a extrapolar o esperado. No caso do romance Harmon, essa linha foi cruzada demais, deixando alguns fatos, aparentemente, forçados. Não que isso prejudique a leitura. Não. Todos os nós são desatados pela autora, e a sequência de seu YA é muito bem elaborada, mas causou certa estranheza em determinadas cenas.

"O problema com a vida é que, às vezes, é difícil saber o que é real.

A obra ainda contém letras de músicas, em sua grande parte, que descrevem muito os personagem, principalmente Bonnie, que passa boa parte do livro cantando e compondo. Além disso, você já deve ter notado o nome dos personagens e assemelhado a outras figuras, certo? A autora deu nomes interessantes aos seus personagens, e também justificou com louvor o porque. Bonnie e Clyde fazem alusão aos seus companheiros de mesmo nome, grandes ladrões e amantes que são até hoje memorados nos Estados Unidos pela trajetória semelhante a que é narrada aqui. Dessa forma, em diversos momentos do enredo, veremos a autora colocar seus personagens entre essa linha de vilões, a mocinhos, fazendo o leitor se questionar, de que lado eles estão? Existe realmente alguém totalmente bom ou mal? 

O título também tem um IMENSO significado, mas neste caso não vou contar. Digamos que a maior parte dele esteja relacionado ao nome de Clyde, mas para descobrir o que significa, terão que ler. Como disse, Harmon foi inteligente na nomeação e na justificativa destes nomes, concretizando com toda certeza seu estudo aprofundado sobre a temática que queria abordar. 

Infinito + Um é um livro fofo, encantador, com alguns detalhes que parecem remeter a fantasia (temos bastantes coincidências com o destino, tantas que gerou aquele atrituto com a verossimilhança), e provavelmente vai seduzir seus leitores. Voltado para um público bem mais feminino, talvez este tenha sido o motivo de não ter me identificado tanto com a trama, já que os dramas vivenciados por Bonnie se apresentam sempre no mundo da mulher (exceto um). Contudo, não deixa de ser uma boa pedida. É uma leitura leve e divertida, com cenas muito engraçadas que com certeza vão lhe arrancar algum sorriso. Tendo uma capa de grande significância para a história, onde todos os detalhes retratados nela são explicados, a Editora Verus deu um arraso, não só com a edição, como também na revisão e na diagramação. 


Amy Harmon é uma autora americana. Amy sabia desde cedo que a escrita era algo que ela queria fazer, e ela cresceu dividindo seu tempo entre escrever canções e histórias. Tendo crescido no meio de campos de trigo sem uma televisão , com apenas seus livros e seus irmãos para entretê-la , ela desenvolveu um forte sentimento sobre como fazer uma boa história.




2 comentários

  1. Oi, David!
    Amy é uma das autoras que mais faz sucesso na blogosfera atualmente.
    Infelizmente ainda não li nenhum livro dela, mas pretendo mudar isso em 2016.
    Beijos
    Balaio de Babados | Participe da promoção Natal do Babado

    ResponderExcluir
  2. Olá :)
    Parece que todos os livros da autora misturam romance com auto-ajuda, sempre tem uma mensagem bonita e reflexões a passar!
    Adorei a resenha e já quero ler o livro.

    Beijos,
    http://livrosentretenimento.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Expresse-se