Resenha #275 - Vá, Coloque um Vigia!




Título: Vá, Coloque um Vigia
Coleção:  O Sol é Para Todos
Autor: Harper Lee
Editora: José Olympio
Ano: 2015
Especificações: Brochura |252 páginas
ISBN9788503012485
 Sinopse
Segundo romance de Harper Lee, que bateu recorde de número de exemplares vendidos em um só dia superando O símbolo perdido, de Dan Brown. 

Jean Louise Finch, mais conhecida como Scout, a heroína inesquecível de O sol é para todos, está de volta à sua pequena cidade natal, Maycomb, no Alabama, para visitar o pai, Atticus. Vinte anos se passaram. Estamos em meados dos anos 1950, no começo dos debates sobre segregação, e os Estados Unidos estão divididos em torno de questões raciais. Confrontada com a comunidade que a criou, mas da qual estava afastada desde sua mudança para Nova York, Jean Louise passa a ver sua família e amigos sob nova perspectiva e se espanta com inconsistências referentes à ética e a pensamentos nos âmbitos político, social e familiar.Vá, coloque um vigia é o segundo romance de Harper Lee, mas foi escrito antes do mítico O sol é para todos, que recebeu o Prêmio Pulitzer em 1961. Este livro inédito marca o retorno, após 65 anos de silêncio, de uma das maiores escritoras americanas do século XX.
Cortesia Editora José Olympio (Grupo Editorial Record)


**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************





Passando a maior parte de seu tempo na agitada cidade de Nova York, Jean Louise Fich, outrora chamada por seus familiares apenas de Scout, surpreende ao se apresentar na história já com seus 26 anos. O tempo passou para ela, e de volta a sua cidade natal, Maycomb no Alabama, descobre que o tempo mudou a aparência do seu pequeno mundo infantil, mais do que isso, descobriu que as pessoas com quem conviveu na infância parecem ter mudado. Ela mesma parece ter mudado, não sendo mais a menina masculinizada que odiava vestidos, e sim, uma mulher de personalidade forte, moldada pelos ares da conturbada metrópole onde mora, prestes a noivar com um antigo amigo de infância, Henry.

Isenta dos olhos puros de uma criança, Jean Louise começa a perceber naqueles que a cercam, os seus defeitos, e o que mais a choca, seus preconceitos. Até mesmo seu pai, que desafiou toda uma cidade de pessoas conservadoras ao defender um homem negro, apenas para manter sua consciência tranquila, aquele que foi para ela o maior exemplo de caráter, surge no segundo volume da obra de Harper Lee, envolto por uma névoa de convencionalismos. 

Em um cenário onde tensões políticas relacionadas a direitos civis e igualdade moldavam o Sul dos Estados Unidos, Jean Louise se vê obrigada a amadurecer sozinha, quando se depara com as rachaduras presentes na imagem do seu ícone de infância, e nem seu irmão ou seu amigo Dill estão próximos para ajuda-la.

As únicas diferenças que vê entre pessoas são a aparência, a inteligência, a personalidade e coisas assim. Nunca encarou as pessoas de acordo com a sua raça, e agora que a raça é o assunto inflamável do dia, você ainda é incapaz de pensar em termos de raça. Você vê apenas pessoas.” (p. 244)

De uma simplicidade e veracidade arrasadora, Harper Lee cativa pela minucia da escolha de sua narrativa, equilibrando a tensão das escolhas que se desdobram a frente de sua personagem. Com as memórias de infância evocadas pela familiaridade de caminhos já percorridos, a autora recria as intricadas relações que ocupam o pensamento humano.


E como eu não poderia deixar de comentar, a edição concedida pela Editora Record, é perfeita, harmonizando os detalhes com a capa de “O Sol é Para Todos” e ainda retoma os traços da capa Estados Unidense. A diagramação também ficou perfeita e o detalhe da marcação em cada capítulo é simples, porém, encantador. O fato de o título ter sido traduzido diretamente do inglês e não adaptado como o primeiro deu um sentido muito mais devastador a obra, já que coloca em questão o versículo bíblico, onde Deus, manda colocar um vigilante para que este lhe conte tudo o que vê, e é exatamente esse papel que cabe a Jean Louise na obra, o de denunciar aquilo que vê sua cidade natal se tornar. Cativante e extremamente emotivo, Vá, Coloque um Vigia é simplesmente um dos melhores livros que li em 2015, se não, melhor até que seu volume anterior, não só pela grandiosidade que o enredo ganha, como o amadurecimento, não apenas da personagem quanto da escrita da autora, mais sucinta e afiada.



Harper Lee é uma escritora estadunidense, filha de uma dona de casa e de um advogado. Seu único livro, O Sol é Para todos (em inglês: To Kill A Mockingbird) publicado em 1960, foi um sucesso instantâneo, se tornando um dos maiores clássicos da literatura norte-americana moderna. A obra ganhou o prêmio Pulitzer e deu origem a um filme homônimo, vencedor do Oscar de melhor roteiro adaptado em 1962.
O romance é baseado livremente nas memórias familiares da autora, assim como em um evento ocorrido próximo a sua cidade natal em 1936, quando ela tinha 10 anos de idade. A obra foi eleita pelo Librarian Journal como o melhor romance do século XX e está na lista de 100 melhores livros feita pela BBC.



Nenhum comentário

Postar um comentário

Expresse-se