Resenha #298 - Trono de Vidro!






Título: Trono de Vidro
ColeçãoTrono de Vidro
AutorSarah J. Maas
Editora: Galera Record
Ano2013
Especificações: Brochura | 392 páginas
ISBN9788501401380
 Sinopse
Nas sombrias e sujas minas de sal de Endovier, uma jovem de 18 anos está cumprindo sua sentença. Celaena é uma assassina, e a melhor de Adarlan. Aprisionada e fraca, ela está quase perdendo as esperanças quando recebe uma proposta. Terá de volta sua liberdade se representar o príncipe de Adarlan em uma competição, lutando contra os mais habilidosos assassinos e larápios do reino. Endovier é uma sentença de morte, e cada duelo em Adarlan será para viver ou morrer. Mas se o preço é ser livre, ela está disposta a tudo.

**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************

Presa e sofrendo os piores pesadelos que se possam imaginar, a jovem encantadora e inteligente Celaena foi condenada as piores brutalidades possíveis a execução humana. Com apenas 18 anos, ela é uma assassina. Mas não qualquer assassina, e sim a mais famosa e perigosa de Adarlan, seu reino. Enviada para Endovier, a pior e mais brutal prisão que o reino tem a oferecer, ela é mantida de maneira a sempre estar sofrendo ou sendo abusada, basicamente como um animal enjaulado... Ou pelo menos assim era. Uma competição, reunindo diversos bandidos, é sua chance para escapar. O rei esta reunindo campeões para selecionar o assassino que trabalhará sobre suas ordens, Celaena, neste sentido, está disposta a arriscar tudo. Em um verdadeiro jogo de vida e morte, o que se mostra um simples campeonato de força, começa a atrair poderes mais sombrios, há muito tempo esquecidos, e a vitória de Celaena pode ser não apenas a conquista de sua liberdade, mas também a salvação de seu mundo de uma ameaça muito maior.

Sarah J. Maas me encantou com sua narrativa. Geralmente os fãs da autora aplaudem ela com esta série antes de se aventurar em sua mais nova aquisição, Corte de Espinhos e Rosas. Eu fiz diferente. Embora o ritmo de seu outro livro não tenha me prendido tanto, Trono de Vidro me conquistou inteiramente em todos os sentidos possíveis para se pensar. A trama não só foi magnificamente esquematizada, como os personagens de Maas são diferentes, envolventes; marcantes. Dentre tanta bravura e tensão, temos espaço para que o leitor realmente venha se cativar por uma personagem de passado tão duvidoso. Celaena prova que as atitudes vão muito além das aparências, e com sua maestria, ganha o coração de que se aventura por estas inesquecíveis páginas.

Narrado em terceira pessoa, a obra foca diferentes pontos da narrativa em só capítulo, desde a visão de Celaena (maior foco), a de outros personagens secundários como o príncipe Dorian, o guarda Chaol, ou a dama da corte, Kaltain. Todos estes pontos sempre convergem a um coletivo, que leva o leitor a encaixa diversas cenas de um mesmo cenário, engrandecendo a obra com detalhes sem exagero nas descrições, e rotalizando a narrativa, não tornando-a monótona. E monótona é realmente um adjetivo que não se cabe aqui. Trono de Vidro é um livro recheado de adrenalina desde a primeira página, de forma que o leitor tem doses incomparáveis de pura ação a cada instante, seja nos diálogos, seja nas cenas mais dramáticas da trama. O cenário e a mitologia usados pela autora são estupendamente bem trabalhados, sem deixar faltar respostas, ou carecer de maior atenção em alguma parte. Tudo bem esquematizado e encaixado, tornam a obra de Maas uma célebre fantasia imperdível para qualquer fã ou amante do gênero.

O grande diferencial a mim, em sua obra, foi a personagem. Em sua sinopse já percebemos que Celaena não é a mocinha habitual que esperamos ter um final feliz. O que se espera, em uma primeira impressão, é que a personagem tão vilanizada, vá ao longo da narrativa, melhorando, se tornando mais humana e deixando seu lado sombrio no passado. Em Trono de Vidro esse fato não se concretiza (graças a Deus). Longe dos clichês cotidianos, Celaena segue uma índole e com ela vai até o fim, e embora sua personagem mude um pouco e ela mostre mais passividade para com os outros (o que é extremamente compreensivo devido ao tratamento e aproximação que ela começa a ter com determinados personagens), sua personalidade rígida e perigosa jamais adormecem, e são sempre seus surtos de orgulho que garantem as melhores cenas de combate. A mulher é literalmente uma máquina mortífera, lançando rajadas e mais rajadas de sedução sobre o leitor. Sua personalidade explosiva, cativante e meio indefinida fazem dela uma das melhores protagonistas feminina que já tive o prazer de conhecer. Ela é a típica princesa que não precisa de proteção (Mulan ou seguindo linha quadrinhos, Elektra).

O mesmo posso dizer dos outros personagens que a autora nos trás. São atraentes, diferentes, e no desenrolar da trama, ganham sempre seu destaque, sendo extremamente fixados no contexto da história, sem perder o rumo momento algum e garantindo bom entrosamento entre eles mesmo. São geralmente suas personagens femininas que ganham maior destaque durante a trama. Entre elas, além de Celaena, temos mais uma personagem intrigante e muito receptiva ao leitor. Nehemia é uma princesa diferente, sem sombra de dúvidas, do habitual, e aguarde muitas participações dela nos fatos que se desencadeiam conforme as páginas vão se passando.

Com um cenário deslumbrante (porque sim, existe realmente menção ao castelo de vidro), a edição nacional chega a ser tão linda quanto os lugares ilustrados pela autora. Em sua capa centralizamos a personagem, trajada com suas roupas de assassina, mas se você reparar, na parte de trás, na contra capa, veremos a personagem de costa, coberta por um lindo vestido (vestido este que ela utiliza na trama, ressaltado em detalhes). Galera Record não só ganhou mais pontos comigo pela inteligencia de manter a capa americana, como pela linda diagramação e boa revisão.

 

Trono de Vidro me conquistou por cada página que me aventurei. Totalmente envolvente, sua trama é diferente, mas seu total diferencial está em uma personagem única, forte e não idealizada que parece sempre oscilar entre bem e mal, e até  mesmo quando pende para um dos lados mais do que outro, o leitor não deixa de se cativar por suas motivações e torcer por ela. Maas criou um mundo místico recheado de ação, mistério, romance e muito encantado, não falhando em aspecto algum.


Sarah J. Maas vive no sul da Califórnia, gosta dos filmes da Disney e música pop. Ela adora contos de fadas e balé, bebidas de café, e assistir programas de TV. Quando ela não está ocupada escrevendo romances de fantasia YA, gosta de explorar a costa da Califórnia.



5 comentários

  1. Oi, tudo bem?
    Estou tão animada pra ler esse livro, esta na minha meta desse ano.
    Bj

    @saymybook
    saymybook.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oie,
    já ouvi muitos elogios sobre este livro, mas ainda não li. Tenho ele em ebook.

    bjos
    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olá David!
    Tenho bastante curiosidade em ler essa trilogia e fiquei feliz em saber que a protagonista não vai ficando "boazinha" no decorrer da história! Gosto disso hehe
    Bjs

    EntreLinhas Fantásticas | SORTEIOS NO BLOG! PARTICIPE :)

    ResponderExcluir
  4. Oi, David!
    Eu pule mais que gato escaldado sua resenha pois comecei a ler recente o livro e estou amando!!!
    Realmente, espero que a Celaena não fique mimizenta porque adoro ela assim hahahha
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  5. Olá :)
    Tenho esse livro guardado desde o seu lançamento e ainda não li acredita? e ainda tenho os outros dois da série, devo ser doida rsrs realmente o trabalho da editora está impecável! A capa é linda e a contracapa também é linda, adorei o enredo e ansiosa para iniciar a leitura, ótima resenha!

    Beijos,
    http://livrosentretenimento.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Expresse-se