Resenha #308 - O Destino da Número Dez (Os Legados de Lorien Vol 6)!






Título: O Destino da Número Dez 
ColeçãoOs Legados de Lorien Vol 6
AutorPittacus Lore
Editora: Intrínseca
Ano: 2015
Especificações: Brochura |320 páginas
ISBN9788580578423
 Sinopse
O fim está próximo. Por anos, a Garde lutou contra os mogadorianos em segredo. Mas agora a invasão começou e os mogs vieram para ficar. John lidera a batalha em Nova York. Quando tudo parece estar contra os lorienos e a humanidade, Sam, seu melhor amigo, inexplicavelmente começa a desenvolver poderes - os Legados. Enquanto os dois tentam encontrar Cinco e Nove em meio ao caos e à destruição, eles se deparam com uma adolescente com habilidades que antes pertenciam apenas aos Gardes. Se ela é uma inimiga ou aliada, só o tempo dirá.
A Garde está enfraquecida, lutando para sobreviver. A única chance de vencer a guerra contra os mogadorianos de uma vez por todas é destruir seu líder - mas destruí-lo significa condenar Ella a um destino cruel. Se os Gardes não encontrarem uma forma de deter os mogs, acontecerá com os humanos o mesmo que aconteceu com os lorienos: todos serão aniquilados.


**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************


Espetacularmente elaborado, O Destino da Número Dez traz mais um sufocante e emocionante volume da série escrita por Pittacus Lore. Com reviravoltas que fazem o estômago do leitor embrulhar mais e mais vezes, o livro é uma soma da solução de alguns dos principais mistérios da série, e ainda o aparecimento de novos, interligando todos os fatos ocorridos no passado com perfeição.

John não conseguiu impedir a invasão. Os mogadorianos que antes escondiam-se entre nós, agora andam livremente, tomando o controle das cidades e planejando o ataque final. Enquanto Ella estiver presa a Setrakus Rá, os lorienos estarão de mãos atadas. Mas um inesperado acontecimento pode virar o jogo. Quando Seis, Sete e Adam despertam uma força ancestral em um templo antigo, a Terra começa a sofrer transformações. Humanos começam a adquirir legados e a batalha contra o exército mogadoriano pode estar a ponto de receber reforços. Estariam os lorienos caminhando para mais um beco sem saída, ou ainda resta esperança para um mundo que aparentemente está com os dias contados?

Pittacus Lore deu o encaminhando aguardado para a sua série. Confesso que estou realmente feliz de não ter desistido dos livros. Os Legados de Lorien passou de uma mera saga, para uma das minhas séries literárias favoritas. Não só pela abordagem do autor, que amadureceu muito sua escrita, tornando-se mais direto e sucinto em determinados detalhes, como pela estrutura de seus personagens, que me cativaram e me fizeram me apaixonar por suas personalidades, por mais sombrias que elas fossem.

O livro é narrado em primeira pessoa, desta vez compartilhando seu ponto de visão com novos e velhos personagens. Primeiramente iremos conhecer uma das novas integrantes da trama (que alias eu esqueci lindamente o nome, e infelizmente como li em PDF não tenho mais o arquivo por aqui, desculpem), uma humana que assim como Sam, acabou de despertar seus legados. Ela narrará uma espécie de prólogo, para introduzir o leitor neste novo contexto. Seguindo o mesmo ritmo, retornamos a narração para nossos personagens principais, Quatro e Seis, que narram boa parte dos capítulos, intercalando a visão de dois lugares diferentes e de situações inusitadas. Em especial, o capítulo de maior importância do livro (eu pelo menos considerei), vem narrado na perspectiva da Ella, trazendo novas informações sobre o motivo desta guerra e também concluindo-se com a maior reviravolta da trama neste volume. 

Lore estruturou bem todos os novos e velhos personagens. Sua trama antes tão aberta volta-se a tornar mais fechada, tapando os buracos de dúvidas que o autor tinha deixado no ainda no primeiro livro. O Destino da Número Dez transforma a leitura em algo instigante, impossível de parar. Suas páginas refletem diversos momentos de pura adrenalina, garantindo do começo ao fim, muita ação, sem embromação emocional. E não que não tenha drama, sim, tem. O autor também finalmente conseguiu trabalhar o romance de seu enredo de forma a cativar o leitor, e agora, somos encantados por mais e mais de seus personagens. Até Quatro, que ao meu ver, era bem chato nos volumes anteriores, amadureceu um pouco, e seus capítulos são inteiramente apaixonantes, não por garantirem os momentos mais tensos da trama, como também pelo foco gigantesco em um apelo mais dramático, expondo suas dúvidas e sentimentos.

Veremos uma maior transformação também na personagem Marina (Sete), Quem leu a série sabe que ela passou por uma gigantesca perda e isso a modificou muito. Neste livro, veremos com mais clareza toda essa transição, não só enquanto a personagem luta contra seus próprios demônios, quando também insiste em travar batalhas desnecessárias. E mesmo com tanta revoltada e sombra lhe rodeando, Marina não deixa de ser uma personagem atraente, engraçada e enigmática que todos querem conhecer um pouco mais. O interessante ao longa da série de Lore é a forma como até seus personagens mais secundários vão adquirindo uma personalidade e um brilho particular (caso que se reflete muito bem em Sarah e Mark).

Para o penúltimo volume, só posso dizer que o final acabou literalmente comigo. Ansiosamente aguardo sua continuação, embora a tradução do título feita pela a Editora Intrínseca não tenha me agradado tanto. Nos volumes anteriores, o título geralmente nunca remete apenas a um personagem, e sim ao todo, desta forma, no original, se traduzido ao pé da letra, a obra teria algo semelhante ao O Destino dos Dez, e não enfatizando a personagem em particular. O título selecionado pela editora não só dá um imenso spoler do enredo geral, como também (embora eles tenha justificado nas redes sociais), não reflete grande impacto no próprio livro, porque embora Ella seja de importância, sua participação aqui é mínima. Entretanto, é inegável não só a diagramação como também a revisão, impecáveis, como sempre.



Pittacus Lore é o pseudônimo usado por James Frey e Jobie Hughes. Juntos eles escreveram a série Os Legados de Lorien, traduzida aqui no Brasil pela Editora Intrínseca. 
James Christopher Frey nasceu em 12 de setembro de 1969 é um escritor americano. Ele foi o tema de um escândalo quando os investigadores descobriram que os principais elementos de The Million Little Pieces , um livro de memórias, eram inventadas.
Jobie Hughes nasceu em 9 de julho de 1980 é um americano escritor. Hughes nasceu em Renton, Washington , mas a partir dos três anos foi criado em Spencer, Ohio . Em 1998, enquanto estudava Black River High School em Sullivan, Ohio , tornou-se campeão estadual no wrestling, um tipo de luta. Ele freqüentou a Universidade de Ohio com uma bolsa de estudos, formou-se em 2002, e ganhou um diploma de mestrado em Escrita Criativa da The Columbia University School of the Arts em 2009. Ele atualmente vive em Michigan.


Nenhum comentário

Postar um comentário

Expresse-se