Resenha #327 - Rainha das Sombras (Trono de Vidro Vol #4)!






Título: Rainha das Sombras
Coleção: Trono de Vidro
Autor: Sarah J. Maas
Editora: Galera Record
Ano: 2016
Especificações: Brochura | 644 páginas
ISBN: 9788501106841
 Sinopse
Todos que Celaena Sardothien amou lhe foram tirados. Mas finalmente chegou a hora da retribuição. A vingança promete ser tão dura quanto o aço da Espada de Orynth — a espada de seu pai. Finalmente Celaena retornou ao império; por justiça, para resgatar seu reino e confrontar as sombras do passado.
A assassina está morta. Ela abraçou a identidade de Aelin Galathynius, rainha de Terrasen. Mas antes de reclamar o trono, precisa lutar. E ela vai lutar. Por seu primo, a Puta de Adarlan, o general do Norte... um guerreiro preparado para morrer por sua soberana; por seu amigo Dorian, um príncipe preso em uma inimaginável prisão; por seu povo, escravizado por um rei cruel e à espera do retorno triunfante de sua líder; por seu carranam e a libertação da magia.
Ao avançar em seu plano, no entanto, Aelin precisa tomar cuidado com velhos inimigos. E abrir o coração para novos e improváveis aliados. Tudo isso enquanto os valg continuam trabalhando nas sombras. E Manon Bico Negro, a Líder Alada das Treze, treina suas bestas voadoras. Mas é de Morath, a fortaleza montanhosa do Duque de Perrington, que uma ameaça como nenhuma outra promete destroçar seu grupo de rebeldes e sua corte recém-formada.
Cortesia Editora Galera Record // Blog De Cara nas Letras


**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************


RESENHA POSTADA ORIGINALMENTE NO BLOG DE CARA NAS LETRAS

 


Rainha das Sombras é o quarto volume e aguardada continuação da série Trono de Vidro. Após uma grande ruptura causada ao longo da narrativa ocorrida em Herdeira do Fogo, Sarah J. Maas trás o leitor as suas raízes, vivendo momentos de pura adrenalina e empolgação, preparando o cenário para o grande embate que está por vir. Quando a aguardada conversão de todos os personagens acontece, o embate esperado entre Aelin e o tirano rei de Adarlan está finalmente prestes a acontecer! Rainha das Sombras é a dosagem certa para muita fantasia e emoção. 

Depois de enfrentar um verdadeiro inferno nas terras dos feéricos, Aelin está retornando para reivindicar sua terra. Mas antes disto, precisa salvar seu amigo Dorian, preso sob as garras de seu tirano pai. Em uma investida para libertar a magia de seu reino, ela se une a Chaol e os rebeldes, arquitetando um perigoso plano que pode não apenas matá-la, mas acabar com toda a esperança daqueles que ainda buscam liberdade. Além disso, seu mestre, Arrobyn está de volta, mais cruel do que antes. Embora ele pareça despretensioso em suas investidas, será que tudo o que ele disse é realmente verdade ou apenas mais uma armação para poder lhe capturar? Agora não há mais volta, isso é certo. A guerra contra os perigosos e sombrios demônios Valgs começou, e Aelin é a única que pode impedi-los. Uma batalha milenar está prestes a começar. 

Maas com certeza sabe pegar o leitor desprevenido. Com quase 700 páginas (isso mesmo, 700), este quarto volume da série não é somente chocante, mas também tornou-se extremamente bipolar. Enquanto inicia-se o romance esperando algo, novas reviravoltas chocam o leitor, e o que parece ter caído na mesmice é apenas uma preparação para o palco principal. Com um jeito genial de lidar com todos os detalhes da trama, Rainha das Sombras tem 100% de minha aprovação, embora os pontos que abordem o romance não sejam ainda meus favoritos. Como disse, o livro é gigante, então, ao iniciar sua leitura, espere por muitas coisas. São cenas e mais cenas de pura adrenalina, de forma que o leitor é jogado entre capítulos de pura emoção e outros mais leves, trazendo momentos mais românticos entre os personagens... E acreditem, são esses os mais chatos. Embora adore a escrita de Maas, sendo muito envolvente, a estrutura de suas cenas românticas sempre deixam a desejar, principalmente por que elas acontecem totalmente fora do contexto esperado. Estamos falando de concentrar no que realmente interessa e não perder tempo com tanta embromação. Contudo, não se deixe abalar: o livro ainda é magnífico, e totalmente desconcertante. Bipolar é uma palavra simples para descrever como tudo vai se desenvolvendo na trama.

"- E se seguimos em frente e só encontrarmos mais dor e desespero? E se seguirmos em frente e só encontramos um fim terrível esperando por nós?
- Então não é o fim.

Narrado em terceira pessoa, novamente temos a amplitude de um campo compartilhado por vários personagens, dentre eles, Dorian, Aelin, Chaol, Manon, Rowan, Aedion e alguns de exceções, como acontece com uma nova personagem, Elide, que aparece centralizada pelo narrador em alguns momentos. Se existe algo interessante em tudo isso é justamente o fato de podermos observar o campo no seu mais vasto tamanho, não perdendo nenhum detalhe. O mundo criado pela autora é magnífico, atrativo, e neste volume o veremos ruir, com tanto esplendor quanto o esperado. Separado em dois grandes momentos (Rainha das Trevas e Rainha da Luz), a história sofre mais uma gigantesca ruptura ao seu final, preparando o cenário para o quinto e penúltimo volume da série. O que esperar? A expectativa de que mais coisas vem por ai.

 
 

A construção de personagem de Maas também é algo incrível. Vemos Aelin mudar de personalidade várias e várias vezes dentro de um mesmo livro, e embora alguns leitores tenham criticado este fato, eu pessoalmente adorei. A sabedoria com que a personagem vai usando seus dois lados para lidar com os problemas, a forma como incorpora a sua outra face com tanta facilidade, são absurdamente chocantes. Lembram-se da Celaena destemida do primeiro livro, cheio de seu encanto envolvente e voz sedutoramente implacável? Ela está de volta, mais mortal do que nunca. Esse livro marcou a aceitação da personagem, tanto por seu lado mais sombrio, quanto pelo seu lado benigno, razão essa de apresentar dois lados da mesma rainha. É impressionante, e uma jogada inestimável da autora. 

Presenciamos também essa mesma oscilação em outros personagens como Manon, Chaol, Dorian e Rowan, todos batalhando contra si mesmo, tendo seus próprios problemas para lidar. Ao fim, temos uma convergência de todos em um ponto só, causando a ruptura não esperada na obra e demonstrando que isso é apenas o começo de mais uma grande reviravolta que teremos daqui para seu desfecho. Bem construídos, os personagens de Maas se adéquam com perfeição ao enredo, sem deixar brechas, justificando suas escolhas e cativando o leitor. Até mesmo os mais novos membros, como a despretensiosa Elide tem algo a contar. Caso aventure-se em alguma obra desta autora, saiba que nenhum personagem está ali ou é citado de graça. Eles terão uma grande importância no enredo, e nada irá se perder.

"Você vai cometer erros. Vai tomar decisões e, às vezes, vai se arrepender dessas escolhas. Às vezes não haverá uma escolha certa, apenas a melhor de muitas opções ruins.

No demais, Rainha das Sombras foi uma incrível e deliciosa leitura. Embora longo e com alguns momentos tediosos, não é uma leitura chata, pelo contrário, é alucinante, cheio de cenas marcantes e devastadoras. Prepare-se para ter mais segredos revelados em uma trama incrível e cheia de vida. Trono de Vidro é uma fantasia cheia de violência, magia, mitologia e romance, perfeita para os fãs do gênero. Conheça! Pois essa é a maior dica que posso lhe dá!


Sarah J. Maas vive no sul da Califórnia, gosta dos filmes da Disney e música pop. Ela adora contos de fadas e balé, bebidas de café, e assistir programas de TV. Quando ela não está ocupada escrevendo romances de fantasia YA, gosta de explorar a costa da Califórnia.





Nenhum comentário

Postar um comentário

Expresse-se