20 junho 2016

Resenha #59 - As Crônicas de Bane!






Título: As Crônicas de Bane
AutorCassandra Clare, Sarah Rees Brennan e Maureen Johnson
Editora: Galera Record
Ano2014
Especificações: Brochura | 388 páginas
ISBN 9788501403964
 Sinopse 
Nesta edição ilustrada, são narradas as mais diversas aventuras do feiticeiro imortal Magnus Bane, das aclamada séries de Cassandra Clare. Entre escapadas no Peru e resgates reais na Revolução Francesa, acompanhe fragmentos da vida do enigmático mago ocorridos em diversos países e períodos históricos, com aparições de figuras conhecidas como Clary, Tessa, Will e Alec, personagens de Os Instrumentos Mortais e As Peças Infernais.


**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************



Irreverente, cômico e extremamente cativante, "As Crônicas de Bane" foi um livro que realmente me surpreendeu. Com diversos detalhes que tapam alguns buracos na história dos famosos Caçadores de Sombras que marcam as aventuras narradas na série "Os Instrumentos Mortais", o livro é a pedida certa aos fãs da autora. Venha conhecer mais desse personagem complexo e desse mundo inteiramente contagiante.

Narrado em terceira pessoa, focado no ponto de vista do personagem Magnus Bane, a obra vem dividida em dez contos ("O que Realmente Aconteceu no Peru", "A Rainha Fugitiva", "Vampiros, Bolinhos e Edmund Herondale", "O Herdeiro da Meia-Noite", "Ascensão do Hotel Dumort", "Salvando Raphael Santiago", "A Queda do Hotel Dumort", "O que Comprar para o Caçador de Sombras que já tem tudo - mas que você não está namorando oficialmente", "A Última Batalha do Instituto de Nova York", "Os Rumos do Amor Verdadeiro - e os primeiros encontros") e um capítulo extra escrito através de mensagens de voz.


Todos os contos, em particular, giram em torno de aventuras que o feiticeiro Magnus Bane teve durante sua longa vida, sendo que o tempo do livro altera-se sempre entre passado e futuro, envolvendo não só personagens conhecidos na série "Os Instrumentos Mortais", como também da trilogia "As Peças Infernais" e futuras outras séries que a autora está escrevendo. De toda forma, resumir a obra seria complicado, já que cada conto tem uma temática especifica. Uma sinopse mais geral é que o livro narra as aventuras e modificações que a presença de Magnus causou em diversos eventos de importância na história humana e dos Caçadores de Sombras, fatos que achei extremamente interessantes. Cassandra Clare e suas parceiras (Sarah Rees Brennan e Maureen Johnson) não só criaram um mundo que se encaixa perfeitamente com todos os eventos ocorridos nas séries da autora, como também cada conto parece ser influenciado por algum momento da história da humanidade, desde a revolução francesa, ao impacto das drogas e da economia nos EUA. Dessa forma, o livro deixa de ser uma mera leitura sobre mais do personagem, para também trazer um pouco de apurado histórico, muito interessante e esclarecedor, tudo divertidamente colocado sob a visão ácida e estonteante de Magnus, um personagem completamente apaixonante e encantador, com um jeito complexo e peculiar de ser, que conquista o leitor a cada nova página. São quase 400 páginas de pura diversão, sem um só instante de leitura chata ou desestimuladora. Para uma obra que envolve apenas alguns fatos do passado do feiticeiro, com certeza é um prato cheio para os fãs, embora ao meu ver, faltou um conto centralizando mais a infância de Magnus. Gostaria de conhecer ele no seu maior íntimo, coisa que a autora infelizmente não proporcionou devido a ter explorado sua juventude já como adulto, discutindo seus envolvimentos amorosos, sua relação com as famílias Nephilins, e outros aspectos do personagem.

Uma pessoa pode abrir mão de muita coisa por amor, mas não de si próprio

De toda forma, a leitura não chega a perder pontos por isso. Seria bom, claro, se houvesse mais um conto tratando sobre o tema, ou então substituir um desses por tal (acho que o primeiro, "O que Realmente Aconteceu no Peru" seria uma boa escolha para se eliminar, pois foi o que menos gostei).






"As Crônicas de Bane" é uma leitura contagiante, e dentre os dez contos, amei "O Herdeiro da Meia-Noite" (que apresenta o filho de Will e Tessa), "A Última Batalha do Instituto de Nova York" (conta como Jocelyn e Magnus se conheceram) e "Os Rumos do Amor Verdadeiro (e os primeiros encontros)" (fala um pouco mais do começo do relacionamento entre Alec e ele). Sendo separado, cada conto, por uma ilustração de uma cena, desenhado com o traço de mangá, a obra tem uma edição linda, bem revisada e extremamente chamativa, assim como seu protagonista. Se você é fã desse personagem, então essa leitura é mais que obrigatória.



Cassandra Clare nasceu em uma família americana no Teerã, Irã e passou grande parte de sua infância viajando pelo mundo com sua família, incluindo uma caminhada pelo Himalaia quando criança, que foi quando ela passou um mês vivendo na mochila de seu pai. Antes dos seus dez anos de idade ela morou na França, Inglaterra e Suíça. O fato de que sua família se mudava muito, ela encontrou familiaridade nos livros e estava sempre com um livro debaixo do braço. Ela passou seus anos de escola em Los Angeles, onde ela costumava escrever histórias para divertir seus colegas, incluindo um romance épico chamado "The Beautiful Cassandra", baseado na homônima história de Jane Austen.
Após a faculdade, Cassie viveu em Los Angeles e Nova York, onde trabalhou em várias revistas de entretenimento e até mesmo em alguns tablóides bastante suspeitos, onde ela relatou sobre a viagem ao mundo de Brad e Angelina e as avarias do guarda-roupa de Britney Spears. Ela começou a trabalhar no seu romance YA, Cidade dos Ossos, em 2004, inspirada na paisagem urbana de Manhattan, sua cidade favorita. Ela dedicou-se em tempo integral em sua ficção fantasia.
A primeira venda profissional de Cassie foi um conto chamado "The Girl’s Guide to Defeating the Dark Lord", em uma antologia Baen de fantasia humor. Cassie odeia trabalhar em casa sozinha, porque ela sempre se distrai por reality shows e as travessuras dos seus dois gatos, por isso ela geralmente se propõe a escrever em cafés e restaurantes locais. Ela gosta de trabalhar na companhia de seus amigos, que vêem que ela adere a seus prazos.
Atualmente, reside em uma antiga casa vitoriana em Nova Iorque com seu noivo, seus gatos, e lotes e lotes de livros. A triologia The Mortal Instruments tem sido citada em muitas listas de Best-Sellers




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Expresse-se