Resenha #342 - Como Treinar Seu Viking (Como Treinar Seu Dragão Vol 7.5)!





Título: Como Treinar Seu Viking
Coleção: Como Treinar Seu Dragão Vol 7.5
Autor: Cressida Cowell
Editora: Intrínseca
Ano: 2012
Especificações: Brochura | 88 páginas
ISBN: 9788580570649
 Sinopse
Banguela era um Dragão Comum sem nada de especial que pertencia ao verdadeiramente extraordinário viking Soluço Spantosicus Strondus III. Mas nem sempre foi assim. Houve um tempo em que Soluço achava difícil ser um herói, e Banguela achava ainda mais difícil ser o dragão de um herói. Afinal, ser desobediente e atrevido não é tão fácil quanto parece.
Em Como treinar o seu viking, a nova aventura da série Como treinar o seu dragão, Banguela conta uma história da época em que Soluço era apenas um menino - e parecia bastante improvável que, no fim das contas, ele se tornasse o grande Chefe dos Hooligans Cabeludos. Soluço e o amigo Perna-de-peixe, com a ajuda de seus respectivos dragões, Banguela e Vaca Aterrorizante, precisam enfrentar um grande desafio do Programa de Treinamento de Piratas: vencer seus arquirrivais Malvado Melequento, Bafoca de Maluquício e a dragoa Lagarta de Fogo na Competição de Caça. Organizada pelo treinador Bocão Bonarroto, a prova de pesca noturna reserva aos participantes todos os perigos escondidos nas profundezas do mar e, aos perdedores, três semanas apavorantes limpando o banheiro dos dragões da tribo.

**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************




Divertido, curto e muito bom para passar o tempo "Como Treinar Seu Viking" é uma inusitada e rápida aventura narrada por um dos meus personagens literários favoritos: o dragão Banguela. Com um dose ácida de humor e muita fantasia, Cressida Cowell consegue cativar o leitor, mesmo que o conto seja curtinho.

No livro em questão, vemos Banguela narrar uma de suas aventuras, ainda com o iniciante jovem Soluço em busca de provar sua liderança para a tribo. Em uma perigosa competição, onde os dragões e seus líderes devem ir ao mar caçar, vence aquele que conseguir capturar mais peixes. Mas o mar não é um lugar para crianças. Existem dragões mortíferos espalhados pelas águas, esperando o momento certo para atacar.

Narrado em primeira pessoa, como mencionei, o conto é bem curtinho, e por si só, não influência muito na visão geral da série. Se ele complementa o volume sete não sei informar, devido ainda não ter lido. Na verdade, da série principal até o momento só li dois volumes, e ambos ganharam nota máxima. Banguela e Soluço não só me conquistaram nas telonas, como também nos livros. Na verdade, a visão dos personagens, de um para o outro e extremamente distinta, e a saga de Cowell me agrada muito não só por seu humor, mas também pela leveza da narrativa. É um livro que não tem reflexão, ou grandes lições de vida. Pelo contrário, e totalmente juvenil, inocente e muito gostoso de se ler. Você é guiado pela leitura e mal percebe. Devido a esse fato, adorei o conto, mas não darei nota máxima por achá-lo curto demais. Gostei do pouco que vi, mas já que era para ser um livro, imaginava que a autora poderia ter alongado um pouco mais, e fornecido maiores detalhes da trama, já que tínhamos o diferencial da narrativa dessa vez ser contada por Banguela

De toda forma, se você gosta de livros juvenis, e quer algo menos óbvio do que "Diário de um Banana", "Como Treinar Seu Dragão" é uma ótima pedida. Leve e curto, mal percebe-se que os volumes estão se passando. 


Cressida Cowell cresceu em Londres e em uma pequena ilha despovoada ao largo da costa oeste da Escócia, tinha apenas oito ou nove anos quando começou a escrever histórias sobre os vikings e dragões.
Quando saiu da escola, foi para a universidade para estudar Inglês, e em seguida para a Faculdade de Arte, onde tem Graduação em Design Gráfico e Ilustração. Para o seu projeto final na escola de Arte, criou um livro para crianças chamado "Little Bo Peep's Library Books", e esse seu primeiro livro foi publicado pela Editora Hodder Childrens em 1998. A partir desse, ela escreveu muitos outros.



Um comentário

Expresse-se