26 julho 2016

Resenha #67 - Oníria: O Reino dos Sonhos (Oníria Vol 1)!





Título: Oníria - O Reino dos Sonhos
Coleção: Oníria
Autor: B.F Parry
Editora: Verus
Ano: 2016
Especificações: Brochura |252 páginas
ISBN: 9788576864363
 Sinopse
Existe um mundo de cuja existência ninguém suspeita. Um lugar, porém, para onde todos nós viajamos a cada noite. Um universo em que tudo é possível. Oníria, o Reino dos Sonhos.
Eliott, de doze anos, aparentemente é um menino como outro qualquer. Até o dia em que sua avó lhe dá uma ampulheta mágica que lhe permite viajar a um mundo tão incrível quanto perigoso: Oníria, o Reino dos Sonhos. Um mundo onde milhares de personagens e universos ganham vida, assim como as coisas mais loucas e assombrosas sonhadas todas as noites pelos seres humanos. Um mundo no qual o espírito do pai de Eliott, mergulhado em um sono misterioso, estaria preso há vários meses.
Estudante comum de dia, mas um poderoso Criador à noite, Eliott pode fazer aparecer tudo o que deseja pelo simples e imenso poder de sua imaginação. Explorando Oníria para salvar seu pai, Eliott se verá confrontado com seu extraordinário destino: ele descobrirá que é o Enviado, encarregado de salvar o reino, ameaçado pela sangrenta revolução dos pesadelos.
Cortesia Editora Verus (Grupo Editorial Record)

**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************


Cheio de fantasia, "Oníria - O Reino dos Sonhos" é o primeiro volume de uma trilogia promissora, que usa e abusa do imaginário infantil em um mundo repleto de tudo e todos os seres que você possa ou tenha minimamente pensado.


Eliott, aos seus doze anos. é um garoto problemático. Ele perdeu a mãe muito cedo, e o pai continua doente, internado em um hospital, a beira da morte. Como se não bastasse, sua madrasta, uma verdadeira bruxa, não deixa sua vida ser menos que um inferno. As coisas para ele não poderiam estar piores. Mas sua avó está prestes a lhe contar um segredo: Eliott é um Criador, e com a ampulheta mágica que Mamilou, sua avó, usa, pode acessar Oníria, o Reino dos Sonhos. Agora, sabendo que seu pai está preso em uma espécie de pesadelo interminável, o garoto deve se aventurar nesse novo mundo misterioso e cheio de fantasia. Mal sabe ele os perigos que lhe aguardam. Oníria está a beira do caos. Uma guerra civil entre pesadelos e sonhos está prestes a começar e a vinda de Eliott pode ser a faísca que os eventos precisavam.

É inevitável assumir que o mundo criado por B. F Parry é diferente, novo e bem sedutor, embora ao meu ver, ela não tenha explorado ele tão bem quanto poderia para esse primeiro livro. "Oníria" acabou sendo um livro mais mediano do que o esperado, e pessoalmente, eu queria mais, ou realmente esperava mais.

Narrado em terceira pessoa, a obra vêm dividida em vinte curtos capítulos de muito drama e fantasia. Focados nas perspectiva do personagem Eliott, a autora guia o leitor pelos mais diversos mundos, imaginados durante o sonhos das pessoas, dando possibilidades infinitas de temas para se abordar. Porém, com uma trama bem morna, o livro não chegou a realmente me convencer, e confesso que de infanto-juvenil, já li obras melhores e mais instigantes. O que não sei detalhar é exatamente quais motivos me desmotivaram tanto durante a leitura. Parry narrou bem os fatos, e a construção de seus personagens é muito boa, embora os secundários não sejam tão explorados quanto o próprio protagonista, foco total da obra. O primeiro volume da trilogia têm seus ápices de adrenalina e emoção, mas são poucos, se contados em suas 251 páginas. Além disso, a linha de eventos do livro não parece acontecer da maneira como se espera e boa parte do enredo acaba meio que enrolando, terminando o volume sem que muitos detalhes ou questões sejam realmente esclarecidos. Talvez tenha sido essa vagueza de respostas que tenha da metade para o fim tornando a leitura de "Oníria" tão enfadonha. Para mim, parecia-se uma repetição de eventos já ocorridos, e até o drama do personagem principal acabou por se transformar em algo banal. O final, entretanto, teve um plot legal, e se as respostas certas forem dadas, possa ser que o segundo volume seja mais intrigante.


A construção narrativa da autora me lembrou muito os primeiros livros da série "Harry Potter", focando em um mistério e levando o personagem e enfrentar diversas provações, embora, na saga de Rowling, os fatos sejam melhores desenvolvidos e o mistério principal solucionado. O mundo criado em "Oníria" pareceu-me um País das Maravilhas ainda mais maluco do que o de Carroll. Em diversos diálogos, a idade dos personagens parecem nem ao menos bater devido a todo o tom adulto ou culto que eles venham apresentar, enquanto que nas cenas seguintes, Eliott mostra-se apenas um garotinho, inexperiente e inocente. Esse fato também me chateou um pouco. A autora não centrou exatamente em um público, e enquanto alguns momentos são mais fortes, nada adequados para as crianças ou jovens leitores, outros são infantilizados demais. 


Eliott deve ser considerado um ponto positivo, sem dúvida. Embora não demonstre um crescimento tão exorbitante neste primeiro livro, o protagonista acaba por nos cativar logo nas primeiras páginas quando nos deparamos com sua história, até meio clichê de fato, mas ainda tocante. O mesmo infelizmente não posso dizer dos personagens secundários. Gostei muito da aventureira Katsia, ou então do transmorfo Farjo, núcleo de comédia da obra, mas ambos não tem seu passado explorado, e devido a narrativa ficar muito presa sob a visão de Eliott, eles não conseguem se destacar, pelo menos não nesse livro.

No mais, "Oníria - O Reino dos Sonhos", como disse, teve um plot legal ao fim, e promete em seu segundo volume. Além de ser uma aventura bem leve, é uma indicação para os fãs de fantasia, que encontrarão as mais variadas mitologias para se deliciar. Mas confesso que eu pessoalmente esperava mais, e espero que os detalhes tão infantis nesse, sejam amadurecidos e melhor centrados no próximo, resolvendo minhas dúvidas. Até lá, resta esperar. Apesar dos males e críticas que presenciei na maioria dos blogs, gostei da capa. A Editora Verus publicou a mesma capa da original e pra mim, ela transmite a essência da obra. Bem revisado e com uma fonte confortável, resta você lê e conhecer para chegar a sua própria conclusão.




BF Parry , pseudônimo de Bénédicte Fleury, nascido em 1981, é uma escritora de romance francesa, autora de literatura infantil. Ela escreveu a série Oniria. Bénédicte Fleury começou escrever a partir de nove anos de idade. Fez pós-graduação na Escola de Negócios ESSEC em 2005, começou uma carreira em marketing e comunicação antes de se dedicar inteiramente a escrever a partir de 2010. Ela vive no norte da França. Ela é casada e tem dois filhos. BF Parry é autora da série Oniria, uma série de romances de fantasia para os jovens, que inclui quatro livros, três dos quais foram publicados no final de 2015 na França.



13 comentários:

  1. Olá.
    Primeiramente tenho que parabenizar pela resenha, muito bem estruturada. Eu amei.
    Não conhecia o livro e mesmo não sendo um livro dos gêneros que gosto de ler preciso admitir que a premissa chamou minha atenção. Saber que os capitulos são curtos também me deixa feliz, isso sempre contribui para uma leitura fluida. Espero ter a oportunidade de ler o livro em breve.

    ResponderExcluir
  2. Nossa... que loucura de livro.. rsrs
    A capa eh maravilhosa, ja leria so por ser um genero que eu curto muito, mas o fato da leitura ter se tornado enfadonha em dado momento me desanima tanto... ai ai... Enfim, se achou as obras de Carroll uma loucura, eh pq nao deve ter lido ainda a serie Splintered da A.G. Howard... a autora usou acido quando fez a releitura de Alice no Pais das Maravilhas... kkkkkkk

    Raissa Nantes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rai!
      Eu já li a série Splintered também. Os dois primeiros na verdade. E olhe, diferente da Alice, achei menos confusa. Adoro a escrita da Howard. Acho tão instigante *-* Não vejo a hora de ler o último.

      Abraços
      David

      Excluir
  3. Oi,
    A premissa do livro me parece bastante interessante.
    A resenha despertou minha curiosidade por conhecer a série e me aventurar nesse cenário inusitado.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi, eu adoro livros de fantasia e esse parece ser incrivel, um livro bem estruturado e escrito, de um primor unico e sua resenha, que está muito bem escrita, só instigou a minha curiosidade e saber que os capitulos são curtos deixa a leitura mais dinamica e fluida, sendo mais rapida, e isso eu gosto muito num livro. Dica anotada.
    bjus

    ResponderExcluir
  5. Oie!
    EU ainda não li esse livro, mas estou interessada nessa trama. Gosto de tramas de fantasia com personagens carismáticos e marcantes como esse. Mas vou esperar a publicação do segundo livro, assim eu leio em sequencia.
    bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  6. Olá,

    Como gosto muito de fantasia praticamente fico logo interessada no livro quando vejo que o mesmo trabalha esse gênero e explorar o mundo dos sonhos por isso o nome do livro deve ter sido bem original como Caroll trabalha através de Alice.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Boa noite.
    Rapaz, a capa do livro foi o que mais chamou a minha atenção, rs.
    A história me lembrou do filme sharkboy e lavagirl, por se tratar de um personagem que pode construir coisas através de sonhos.
    Confesso que a história não despertou muito a minha atenção, uma pena.
    Gosto muito deste gênero.
    Espero que os próximos livros sejam melhores e mais explorados.
    Abraço.
    sharkboy e lavagirl

    ResponderExcluir
  8. Oi,
    Ganhei esse livro no mochilão da record e achei a capa bem legal também!!
    Essa é a primeira resenha que leio desse livro, saber que os personagens em alguns momentos são "inocentes" e em outros são "fortes", tirou a minha vontade de ler a história.
    Bjs!
    Fadas Literárias

    ResponderExcluir
  9. Olá David, tudo bem?

    uau que resenha menino, muito bem construída. E mesmo você deixando claro que é uma avaliação pessoal, ficou bem melhor estruturada do que a maior parte das resenhas profissionais que leio em sites de jornais.

    Só que o livro não é para mim, nem é por preconceito, porque li alguns títulos para adolescentes e foram muito bons, mas normalmente os autores tratam crianças e adolescentes como seres inferiores, sem cérebro e com emoções rasas. Isso me irrita.

    bjss

    ResponderExcluir
  10. Acho esse livro a cara de um dos meus colaboradores, mas não é muito o que eu gostaria de ler. Acho que o enredo não combina muito comigo como leitora.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Ola´...
    Excelente resenha! Primeiro de tudo.
    Esse livro me chamou muito a atenção pela capa, muito linda por sinal. Não sou muito focada em livros de aventura, mas esse de fato me despertou a vontade de ler. Estou com o livro aqui e espero ler em breve para montar a minha opiniao própria e espero que o segundo volume seja melhor para você do que esse primeiro.

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  12. É a primeira resenha que leio desse livro é com certeza a premissa prende a atenção. As letras entre sonhos e pesadelos é no mínimo inusitado, o que gera mais curiosidade, minha inclusive.
    Apesar de faltar diversos elementos para classificá-lo como excelente, a história chama a atenção para conhecer melhor

    ResponderExcluir

Expresse-se