27 agosto 2016

Resenha #75 - Lembrança (A Mediadora Vol 7)!





Título: Lembrança
Coleção: A Mediadora
Autor: Meg Cabot
Editora: Galera Record 
Ano: 2016
Especificações: Brochura | 422 páginas
ISBN: 9788501071569
 Sinopse
Meg Cabot retorna com uma divertida e sexy continuação da saga de Suzannah Simon, a menina que via fantasmas... e os ajudava a passar para a luz Agora, mais velha e experiente, tudo que Suze quer é causar uma boa impressão no primeiro emprego desde sua formatura — e desde o noivado com o Dr. Jesse de Silva, ex-espírito e sua alma gêmea. Como não bastasse, um fantasma de seu passado resolve aparecer. E esse não é um espectro que ela possa mediar. Afinal, Paul Slater está bem vivo, milionário e, ainda por cima, é o novo proprietário da antiga casa de Suzannah. Aquela na qual conheceu Jesse. Isso não seria um problema se ela não tivesse acabado de descobrir que uma antiga maldição poderá transformar seu amado num demônio, caso seu antigo local de descanso seja demolido, como Paul pretende. Agora ela precisa dar um jeito em Paul, que a está chantageando sexualmente — isso mesmo... ou ela dorme com ele, ou perde Jesse —, enquanto tenta ajudar uma caloura assombrada por uma menininha muito poderosa...
Cortesia Editora Galera Record (Grupo Editorial Record) 


**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************
 


Depois de tantos anos sem escrever sobre a série, Meg Cabot retorna ao universo literário revivendo uma de suas obras mais consagradas. Com uma pegada mais adulta e um mundo ainda tão atrativo quanto antes, 'Lembrança', sétimo volume da saga 'A Mediadora', é um livro leve, engraçado e com um ritmo semelhante aos seus volumes anteriores.


Suze está de volta. Agora mais velha, trabalha como conselheira na Academia da Missão em Carmel, escola onde estudou os últimos anos de sua vida. Estando ela em pé de se formar, têm tudo planejado para seu futuro brilhante, e esses dias não poderiam ser mais profetizados, do que sua ânsia por casar-se logo com Jesse, o amor de sua infância (e antigo fantasma que assombrava seu quarto). Mas a chegada de um velho monstro de seu passado pode abalar essa relação. Paul Slater está de volta, mais voraz do que nunca. E agora ameaça a vida de Jesse. Para impedi-lo e salvar seu amor, Suze precisa prestar alguns 'favores' sexuais para Paul. E como se isso não bastasse, a menina encontra um novo trabalho em seu ramo como mediadora. Acontece que um fantasma poderoso está a solta e Suze precisa  impedir que essa assombração continue a solta antes que mais pessoas se machuquem. Em meio a tanta confusão, seriam seus laços com Jesse capazes de sobreviver a esse turbilhão?

Vou ser sincero e dizer que 'Lembrança' não foi exatamente tudo que esperava para uma continuação que faz anos que estava a pé de chegar. Na realidade, o livro foi bem mediano, com um ritmo bem semelhante ao quinto volume da série, morno e meio parado demais. Aproveitando-se de temáticas mais "adolescente" ou "jovens adultas", como abuso infantil, exploração sexual e objetivação da mulher, Cabot trás um novo leque de possibilidades para sua série literária.

Narrado em primeira pessoa, novamente veremos os eventos sob o olhar de Suze, uma personagem irreverente, ácida e muito desbocada. Se você achava ela incrível antes, então, prepare-se para complementar essa visão e vê-la em situações mais maduras ou até mesmo, em certos momentos, mais perigosas. A escrita de Cabot continua muito sutil, leve e gostosa de se ler, e embora a trama pareça muito parada da metade para o fim da obra, isso não prejudica o ritmo do romance e faz com que o leitor queira prosseguir ainda com mais afinco. Os capítulos passam tão rapidamente que mal notamos a leitura se desenrolar.

A construção dos personagens da autora mais uma vez não deixa a desejar. Eles estão mais maduros, entrando em discussões mais adultas e verdadeiras. Pode-se dizer que Cabot se arriscou em uma abordagem mais ousada, visando seus leitores que realmente cresceram e agora estão mais velhos também, apesar dos clichês permanecerem. Gostei especialmente da visibilidade para o laço de Suze e Jesse, que são ainda mais fortificados, ressaltando sua ligação e sempre fazendo referências a eventos dos volumes anteriores. Mas  também podemos destacar outros personagens secundários, como os meios irmãos da protagonista, suas melhores amigas ou até mesmo o Padre Dom, que teve uma participação muito legal no romance.


O que me incomodou na verdade foi a facilidade como os fatos estabelecidos como obstáculo se resolveram. Ao iniciar a obra, você espera que o desfecho seja algo realmente empolgante, razão que faz com que você devore as páginas. Mas da metade para o fim, conforme os enigmas vão sendo resolvidos e o desfecho se aproxima, as cenas vão ficando banais demais, fáceis, como se toda a dificuldade que a protagonista passou antes, fosse algo realmente sem nexo, e tudo pudesse ter sido resolvido nas 200 primeira páginas. Talvez, esse seja o ponto. O livro poderia ser melhor se só tivesse 200 páginas, como os outros volumes anteriores. Em 400 páginas, achei que a autora enrolou demais e trouxe muita embromação a uma história que tinha muitos núcleos legais para explorar e que não foram, infelizmente, tão bem explorados. Um bom exemplo disso, é o 'antagonista' Paul. Só sua participação já renderia muito bem o romance. Mas ao meu vê, Cabot quis aproveitar tudo que sentia falta na série e jogou todos os elementos em um livro só, ou seja, amontoando fatos e deixando cenas mal desenvolvidas (conclusões banais). 

Mas como disse, foi muito bom rever personagens que me marcaram tanto na infância. Embora meu volume favorito sempre vá ser o quarto, 'A Hora Mais Sombria', 'Lembrança' tem um gostinho particular de nostalgia, trazendo uma visão mais erótico e adulta do que na infância. E isso não afeta a trama em momento algum, pelo contrário, torna o crescimento dos personagens ainda mais verdadeiros. Pode não ter sido tudo que aguardava, mas foi bom enquanto durou. Com tiradas cômicas e personagens bem construídos, é mais que indicada a leitura para os fãs da série, que realmente anseiam por mais. Pode não satisfazer completamente, mas com certeza mata um pouco da saudade. Tendo uma edição simples, trás uma capa mediana também com uma ótima revisão.




Meggin Patricia Cabot, mais conhecida pela abreviação Meg Cabot ou Patricia Cabot ou pelo seu pseudônimo Jenny Carroll (Bloomington, 1 de fevereiro de 1967), é uma escritora estadunidense. 
É mundialmente famosa por ser autora de mais de 60 livros, dentre os quais seu maior bestseller é a série de dez volumes O Diário da Princesa. Atualmente Meg vive com seu marido e sua gata de um olho só chamada Henrietta em Nova Iorque.
Quando jovem, Meg passava horas a fio lendo as obras completas de Jane Austen, Judy Blume e Barbara Cartland. Munida com seu diploma de graduação em Artes na Universidade de Indiana, Meg se mudou para Nova Iorque, com a intenção de seguir uma carreira de ilustradora autônoma. A ilustração, entretanto, logo cedeu lugar à verdadeira paixão de Meg - a composição literária





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Expresse-se