Cinema #135 - Convergente (A Série Divergente Vol 3)!





Título: Convergente
Gênero: Aventura
Direção: Robert Schwentke
Elenco: Al Vicente, Ansel Elgort, Autumn Dial, Bill Skarsgård, Bradley Bowen, Jackie Dallas, Jeff Daniels, Jonathan Yaskoff, Jonny Weston, Keiynan Lonsdale, Kimberly Battista, Lyon Beckwith, Marisol Correa, Miles Teller, Naomi WattsShailene Woodley, Theo James, Zoë Kravitz
Roteiro: Adam Cooper, Bill Collage, Noah Oppenheim, Stephen Chbosky
Produção: Douglas Wick, Lucy Fisher, Pouya Shahbazian
Duração: 121 min.
Estúdio: Lionsgate / Summit Entertainment
 Sinopse
Terceiro longa da série Divergente, série baseada nos livros de Veronica Roth. Após as revelações bombásticas de Insurgente, Tris (Woodley) precisa escapar com Quatro (James) para além do Muro que circunda a cidade de Chicago, para finalmente descobrir qual a realidade que há por trás dele.



**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************


Os muros caíram. Tris (Shailene Woodley) e Quatro (Theo James) finalmente conseguiram derrubar Jeanine (Kate Winslet) e agora, Chicago pode ter esperança de sobreviver. Ou pelo menos era o que pensavam. Depois da tomada de Evelyn (Naomi Watts) e dos sem facções, a estrutura dessa sociedade está abalada. Os traidores estão sendo julgados e Tris sabe, bem no fundo, que precisa conhecer o mundo fora dos muros, como a mulher na mensagem mandava fazer. Mas que mistérios podem guardar rastros de um planeta que parece devastado após tantos anos? Agora, ela, Quatro e outros amigos terão que enfrentar uma nova briga para sobreviver, em busca de revelar o mistério por trás de tantos segredos e traições.



Não vou negar que gostei do filme, muito mais do que do livro. Embora o tema central de ambos seja o mesmo, a pegada e o desenvolvimento do longa são muito melhores. Trazendo bastante efeito especiais e cenas que realmente tocam o telespectador, 'Convergente' conseguiu me agradar muito mais que seu volume anterior, 'Insurgente' que foca apenas em muita ação, sem dá espaço para que seus personagens se desenvolvam ou construam suas relações. E embora o tema ainda seja muito confuso, achei que as coisas fizeram mais sentidos no filme, sendo melhor explicadas. O fato é que a autora Veronica Roth, constrói uma visão no leitor enquanto vai narrando as aventuras da personagem Tris pela trilogia. Tudo que você acredita é desconstruído no terceiro volume da franquia. A sociedade que antes era separada por facções (o que realmente não é bem explicado, pelo menos não como devia), passa a ser dividida entre puros e danificados (como eles rotulam os seres humanos que são divergentes ou não). E isso confunde de toda forma. Pessoalmente, achei que o roteiro de Adam Cooper, Bill Collage, Noah Oppenheim e Stephen Chbosky explicou com bastante clareza a ideia central desse mundo, e embora ainda fiquem coisas no ar, devido a todo o lance genético e cientifico, o que é mostrado causa entendimento suficiente para se envolver com as cenas.


Achei a personagem de Shailene Woodley muito mais segura de si nesse volume. A atriz está mais natural em seu papel, sendo que suas ações e seu envolvimento com o personagem de James realmente convencem (a mim, pela primeira vez). Achava o casal um tanto sem química, trazendo um relacionamento seco, ambíguo demais. Em 'Convergente' isso foi modificado.



Por outro lado, personagens interessantes como o irmão Caleb (Ansel Elgort) ou a amiga de TrisChristina (Zoe Kravitz) ainda não são devidamente aproveitados, e quase não possuem voz em um enredo que o romance e a briga para sobreviver dos protagonistas parece tomar a frente de tudo. Uma pena. O filme tem muitos secundários legais, que tendo o foco certo, poderiam mudar ainda mais o rumo da trama.


O fato é, sem esperar semelhanças com a obra que inspirou a franquia do cinema (porque convenhamos, depois de 'Insurgente', ninguém mais deveria esperar por isso). 'Convergente' realmente me agradou, envolveu e convenceu, sendo bom o suficiente para que eu quisesse sua continuação (algo que não vai rolar justamente por que o filme não agradou um grande número de público). A produção cinematográfica da Liongates quis reformular a história, dá um toque mais cientifico para as coisas, trabalhando em uma sociedade avançada. Quando se tem um material aceitável, como foi o caso de 'Jogos Vorazes' que melhorou muito conforme seus filmes foram passando, é fácil de se trabalhar. Mas 'Convergente' já não tem uma base sólida no próprio livro, de forma que a direção e o roteiristas precisam tapar os buracos ou confusões que possam ter acontecido na obra original para entreter um público. No mais, nunca esperei demais do longa, e talvez isso tenha ajudado a ter uma visão positiva.


2 comentários

  1. Se formos levar em conta o livro, essa adaptação foi uma desgraça do início ao fim, mas depois de Insurgente não tem nem porque comparar mais mesmo. Sei lá, eu gostei do livro, até mesmo a morte dela fez sentido pra mim kkkk e aquela vermelhidão toda do filme me deixou wtf???, o pessoal no cinema até ria do non-sense da situação, mas considerando que é uma distopia, a gente tem que esperar todo o tipo de loucura né hahaha. Será que a Shailene vai desistir mesmo de fazer o último filme? Depois de tanto tempo, acho besteira desistir bem agora. Mas como não fez tanto sucesso quanto Jogos Vorazes, aposto que o número de pessoas indo ver no cinema vai ser beem menor.

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi David!

    Eu nunca cheguei a me interessar por essa série de livros e depois de alguns spoilers eu perdi mesmo a vontade. Mas que bom que vc gostou do filme e posso imaginar o difícil trabalho do diretor e roteirista neste caso rs

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir

Expresse-se