15 outubro 2016

Cinema #20 - O Lar das Crianças Peculiares!






Título: O Lar das Crianças Peculiares
Gênero: Fantasia
Direção: Tim Burton
Elenco:  Aiden Flowers, Allison Janney, Asa Butterfield, Chris O'Dowd, Ella Purnell, Ella Wahlestedt, Eva Green, Finlay MacMillan, Georgia Pemberton, Hayden Keeler-Stone, Judi Dench, Kim Dickens, Lauren McCrostie, Milo Parker, O-Lan Jones, Pixie Davies, Rafiella Brooks, Rupert Everett, Samuel L. Jackson, Terence Stamp
Roteiro: Jane Goldman
Produção: Jenno Topping, Peter Chernin
Duração: 127 min.
Estúdio: Chernin Entertainment / Tim Burton Productions
 Sinopse
Graças as histórias fantásticas contadas pelo seu avô, Jacob resolve viajar até uma ilha misteriosa onde fica localizado um orfanato que abrigaria crianças com poderes especiais, ou melhor, peculiaridades. Lá ele descobre que pode ser mais parecido com elas do que ele imagina. Comandado pela Srta. Peregrine, o local foi alvo de um ataque durante a Segunda Guerra Mundial, mas graças a uma "fenda" criada por ela, seus moradores vivem em um eterno looping, que faz com que o mesmo dia se repita todos os dias e termine antes do míssel atingir o casarão. Isso faz também com que os peculiares nunca envelheçam. Entretanto, uma ameaça vinda de dissidentes deve acabar com a paz e a segurança de lá.


**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************


Trabalhando com uma visão social em vista da questão do preconceito com o diferente, ' O Lar das Crianças Peculiares' é um filme que dividiu opiniões pelas redes, mas a mim, cumpriu o que foi pedido. Apesar de não ser tão espetacular quanto alguns críticos esperavam que fosse, eu me diverti vendo, e cheguei a me cativar por alguns de seus personagens.


Na história iremos conhecer Jake, um garoto que cresceu conhecendo as histórias de guerra de seu avô; histórias essas que eram permeadas de fantasias e monstros. O que Jake não sabia era que tudo aquilo era real. Quando seu avô sofre um acidente, o garoto desperta a curiosidade de conhecer mais sobre ele e aprender sobre seu passado. Entre verdades e mentiras, Jake é levado a vasculhar o orfanato onde seu avô tinha morado e lá descobre que a linha entre ficção e realidade é muito tênue. E não apenas isso... Sua vida corre perigo. Agora ele e as crianças peculiares precisaram preparar-se para o combate que está por vir.

Confesso que o teor da história não é muito infantil, e eu não classificaria para crianças muito novas um filme que trata, em certos momentos, com tanta violência e suspense em suas cenas. Com uma pegada bem ao estilo Tim Burton, o visual do longa me ganhou logo no começo, embora, em questão de sombriedade, 'Alice No País das Maravilhas' me agrade mais. 'O Lar das Crianças Peculiares' na realidade foi um filme que não teve um ritmo certo, e em alguns momentos, oscilou muito entre mais adulto para infantil demais, tendo o mesmo problema que aconteceu em 'Cidade dos Ossos', onde a sonoridade de algumas cenas foge ao contexto que elas querem ilustrar.


Confesso que o que mais me chateou foram algumas interpretações. Não creio que o problema tenha sido a consistência no roteiro, mas sim nos atores que não souberam interpretar bem seus personagens, de forma a me convencer. O protagonista, Jake, interpretado pelo ator Asa Butterfield é ótimo exemplo disso. Embora tenha desenvolvido bem seu papel em algumas cenas, em outras deixou muito a desejar. Um caso específico foi o laço desenvolvido com seu avô. Não gostei muito da forma um tanto indiferente que o personagem se mostrou, embora a cena exigisse mais dele, talvez até algumas lágrimas. Butterfield caiu na mesmice na interpretação de algumas cenas.



O mesmo acontece com os vilões do longa. Para não dizer ridículo, Samuel L. Jackson não me passou um só instante a impressão de ser realmente um antagonista. Mais parecia um personagem muito desfigurado e totalmente perdido no contexto do filme. E embora Eva Green, como Srta. Peregrine, tenha sido muito boa, achei a interpretação bem mediana também. Talvez tenha sido porque ela não se centra muito na trama, já que os personagens de Butterfield e Ella Pumell são o foco.



Gostei do desenvolvimento da personagem Emma (Ella Pumell). Não só forte, a mocinha não ficou arrastada ou desfocada, pelo contrário, tem seus momentos. Até a questão do romance entre seu personagem e o de Butterfield foi melhor desenvolvido no filme do que no livro, já que passa de uma forma muito mais sútil.


Quem rouba realmente a cena é Enoch, interpretado por Finlay MacMillan, Ele é o personagem que mais se sobressai, cresce e amadurece. Percebe-se mesmo a jornada de herói do coadjuvante, e isso faz com que em alguns momentos da trama, ele roube a posse de protagonista.

Com direito a comédia, romance, drama e suspense, 'O Lar das Crianças Peculiares' é uma ótima pedida, e embora não seja fiel ao livro (quase nenhuma adaptação é) que deu origem, ao meu vê, é possivel sim, gostar tanto da adaptação, quanto da obra. Tendo cenas cheias de adrenalina e ação, trazendo o companheirismo e conversação entre os personagens,  pode gerar um frio na barriga do telespectador e garantir diversão mediana.


4 comentários:

  1. Oi David!
    Fiquei tão empolgada quando vi o trailer desse filme, me recuso a acreditar q seja tão ruim assim qnt as pessoas estão dizendo! hahaha
    Td bem q eu n li o livro, mas é Tim Burton, cara! kk
    Espero entrar no grupo das pessoas que curtiram o filme, msm q seja infiel, rs
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Nossa, que pena que o Asa tenha decepcionado assim na interpretação! Poxa, o Jake era tão apegado ao avô e à história que ele contava ter vivenciado, precisava de uma carga emocional muito grande! Mas fico feliz em saber que apesar de não ser fiel ao livro, o filme ainda assim agrada.
    Eu não gostei muito da obra, acho que tinha uma expectativa e acabei encontrando algo totalmente diferente, por isso nem tive vontade de ir ao cinema conferir o filme, mas assim que possível vou ver aqui em casa. Adorei a sua resenha, bem esclarecedora!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi, li o livro e amei. Com relação ao Jake ter sido indiferente ao avô no filme - no livro Jake só acredita nas histórias quando cresce acha tudo uma bobagem. Acredito que seja por isso a indiferença nos filme. Quando eu assistir vou poder entender melhor. Parabéns pela sinceridade. Bjos

    Blog Literário 2

    ResponderExcluir

Expresse-se