Resenha #355 - Bons Tempos (Diário de um Banana Vol 10)!





Título: Bons Tempos
Coleção: Diário de um Banana
Autor: Jeff Kinney
Editora: V&R Editoras
Ano: 2015
Especificações: Brochura |224 páginas
ISBN 9788576839422
 Sinopse
A vida era melhor antigamente. Bem, pelo menos é o que dizem. Mas Greg Heffley, um garoto bastante acostumado ao conforto do mundo moderno, não concorda muito com isso. E uma decisão polêmica vai colocar o seu paraíso tecnológico em curto-circuito: todos em sua cidade resolvem dar um tempo dos aparelhos eletrônicos. Dentro e fora de casa, Greg terá que enfrentar o dia a dia à moda antiga. Será que ele vai conseguir sobreviver do mesmo jeitinho que se fazia nos “bons e velhos tempos”?


**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************


Seria Greg Heffley capaz de sobreviver a mais uma das ideias mirabolantes de sua mãe? Quando a situação do uso de tecnologia na casa dos Heffley fica insustentável, a mãe de Greg resolve apelar para o extremo, propondo a vizinhança um fim de semana sem qualquer aparelho eletrônico, como nos velhos tempos. Agora, vivendo nesse mundo pré histórico sem vídeo game, internet ou celular, Greg precisará aprender a lidar com as situações inusitadas de um acampamento de verão nada agradável. Muita confusão o espera.


Décimo volume da série e eu confesso, não me canso de rir. 'Diário de um Banana' é sempre uma leitura leve e gostosa, de humor inocente, que flui com muita facilidade, não importado quantos anos você tenha. Embora tenha um enredo bobinho, é cômico, agradando sempre a todas a idades com suas piadinhas óbvias.

Narrado em primeira pessoa (obviamente já que é um diário), o livro vem cheio de ilustrações retratando cenas da trama. Nesse volume, senti um diferençal na clássica pegada de Kinney. Achei o número de texto corrido muito maior do que anteriormente, onde os quadrinhos eram a maior parte do desenvolvimento. Agora o apelo é realmente a leitura dos pequenos, e não vou mentir, amei. O autor parece perceber que está na hora de mudar, investir em um público que está crescendo e precisa amadurecer, de forma que o seu livro seja só a porta de entrada para diversos outros.

Claramente Greg continua um personagem irreverente e insustentável. Jamais tenha ele como exemplo de vida, o garoto só causa confusão e faz as coisas pelo contrário. Mas é justamente sua maneira torta de pensar que cria esse ambiente de comédia a todo instante na trama, tornando suas ações imprevisíveis e engraçadas, por mais bobas que possam ser.

Não me cativei especificamente por nenhum personagem, até porque todos que surgem aqui são já apresentados nos volumes anteriores, mas me diverti lendo e com isso, para mim, o livro cumpriu com o necessário. Embora pense que o autor poderia investir em tratar de assuntos mais fortes e diferentes na trama (questões de gênero, feminismo e outros mais), por hora, ainda não me sinto saturado e dou boas gargalhadas. Para os fãs de infanto juvenil, uma leitura gostosa e bem rápida, com humor do começo ao fim.


Kinney trabalha em tempo integral como escritor e designer de jogos online. Segundo seu site, ele também criou o garoto-friendly site Poptropica . Kinney cresceu em Fort Washington, Maryland, Estados Unidos e freqüentou a Universidade de Maryland em College Park no início de 1990. No entanto, Kinney não foi bem sucedida na obtenção de sua história em quadrinhos sindicados após a faculdade, e em 1998, ele começou a escrever suas idéias, que acabaria por se tornar Diary of a Wimpy Kid. Vagamente baseado em sua infância, a série vendeu quase 16 milhões de cópias no mundo inteiro a partir de 2009 e foi desenvolvida em um longa-metragem, para o qual Kinney também serviu de produtor executivo. Até o momento, quatro Wimpy Kid livros foram lançados, além de um do-it-yourself do livro.Pelo menos um livro adicional está previsto para ser lançado. Em 2009, Kinney foi nomeado um dos Time Magazine's 100 "A maioria das pessoas mais influentes" do mundo.




Nenhum comentário

Postar um comentário

Expresse-se