21 janeiro 2017

Resenha #112 - Auggie e Eu!




Título: Auggie e Eu
Autora: R. J Palacio
Editora: Intrínseca
Ano: 2015
Especificações: Brochura |326 páginas
ISBN: 9788580578416
 Sinopse
A história de Auggie Pullman, o menino de aparência incomum que tem encantado milhares de leitores desde o lançamento do romance Extraordinário, em 2013, ganha agora novas perspectivas: Julian, Christopher e Charlotte, personagens da vida de Auggie, narram nos três contos reunidos no livro Auggie e eu seus encontros e desencontros com o amigo extraordinário.
O capítulo do Julian dá voz a um personagem controverso: o menino que liderava o bullying contra Auggie na escola. Enfim temos a oportunidade de entender o que o levou a agir dessa forma e o que Julian pensa das próprias ações. Em Plutão, o narrador é Christopher, o primeiro amigo de Auggie. Os dois meninos compartilham lembranças da infância e, apesar de terem se distanciado, aprendem que boas amizades sempre valerão um esforcinho a mais. Shingaling mostra Auggie pelos olhos de Charlotte, a única menina entre as três crianças escolhidas para apresentar a Auggie sua nova escola. Com ela entramos no universo das garotas e vemos como a chegada de Auggie afetou as relações entre elas.
Para quem sente saudades do menino cativante de feições e personalidade extraordinárias e tem curiosidade em saber mais sobre sua história, Auggie & eu é um verdadeiro presente.


**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************



Inspirador, leve e memorável, esse com certeza seriam os adjetivos que eu utilizaria para descrever a delicadeza e inspiração que 'Auggie e Eu' causaram em mim durante a leitura. Com sua narrativa singela e personagens inocentes e verdadeiros, R.J Palacio arrebata o leitor em uma jornada heroica realmente apaixonante.

Um erro não define quem você é!

Nessa antologia, Palacio reuni três contos, cada um trazendo uma perspectiva. Narrados em primeira pessoa, temos a apresentação de três personagens: Julian, nosso quase antagonista de 'Extraordinário', onde a autora vai explorar os fatos sob a sua visão; Plutão (ou Chris como é chamado), onde conheceremos um pouco mais do passado de Auggie, antes da sua história ser contata; e por fim, Shingaling (conto da personagem Charlotte), onde veremos como a menina via o garoto diferente da escola em um plano de fundo mais secundário. Cada conto tem suma importância para a interpretação e visão que o leitor terá de 'Extraordinário' logo depois, de forma que recomendo que você leia o livro antes de degustar esse. Além disso, é importante que a pessoa que se aventurar nesse livro, tenha lido 'Extraordinário' até para entender as referências que são feita a obra, embora não sejam diretas e não tragam spolers.

Pessoalmente me envolvi na história dos três personagens. Cada um mais cativante e verdadeiro do que o outro. A ideia de Palacio de trazer tantas visões paralelas de 'Extraordinária' foi sem dúvidas brilhante. A autora conseguiu abordar pontos da narrativa que não tinham sido explícitos no livro e ainda torná-los surpreendentes, de forma que descobrimos novos olhares sobre a tocante história do garotinho com deformidades faciais. Eu pessoalmente me apaixonei por 'Auggie e Eu' que me trouxe a mesma sensação da leitura de 'Extraordinário'. Me senti lendo novas revelações totalmente relevantes para a trama.

As coisas que acontecem conosco, mesmo as ruins, muitas vezes podem nos ensinar um pouco sobre nós mesmos.


Dos três contos, o meu favorito é 'Plutão', trazendo a doce e ingênua aventura de Chris e seu amigo diferente, Auggie. Me apeguei ao personagem e preciso dizer, adoraria um livro só dele. Chris é o típico protagonista nem bom/ nem ruim, que transita muito entre esses dois termos e torna seu desenvolvimento algo tão complexo e atrativo. Esperto, engraçado e com um gosto musical inusitado (que se assemelha ao meu), foi impossível não me vê totalmente imerso nas palavras do garoto.

O desenvolvimento que Palacio faz do antagonista Julian também é um ponto a se ressaltar. Embora ainda não consiga enxergá-lo como uma pessoa boa, depois de tudo o que fez, e mesmo se arrependendo, comecei ao menos, entender suas motivações. O conto do Julian foi ótimo para mostrar o por trás das câmeras de 'Extraordinário', e o quanto isso pode ser positivo quando a autora sabe trabalhar.

O terceiro conto, guiado pela personagem Charlotte, em suma, foi o que menos gostei. Embora ela seja muito hilária e cheia de energia, e essa força venha evidenciada durante toda a sua narrativa, de forma que o leitor também fica energizado pela sua alegria, achei ela muito passiva a tudo, nunca tomando um posicionamento de nada, ficando em cima do muro e tentando parecer boa para todos (aquele velho clássico do "não vou brigar porque sou amigo de todos, mesmo que a atitude de tal pessoa esteja errada e eu esteja vendo isso"). Esse ponto em particular na personagem me desagradou, e fez com que o conto perdesse pontos comigo. Fora isso, ela não tem muito envolvimento com o plano de fundo de 'Extraordinário'. São pouquíssimas menções feitas, até sutis demais, capazes de passarem totalmente despercebidos. Dessa maneira, não localizei muita clareza na sua história e seu envolvimento com a trama no geral.

No mais, como já dito no primeiro parágrafo dessa resenha, 'Auggie e Eu', foi uma leitura totalmente agradável, leve e de aquecer o coração. Os sentimentos e a gentileza cercam cada palavra exposta nesse livro e nos faz pensar sobre como agimos com as pessoas; a maneira que julgamos certa e às vezes não é. Sem dúvidas, para quem amou 'Extraordinário' essa antologia é completamente imperdível.


R.J. Palacio atua no mercado editorial norte-americano há mais de duas décadas, atualmente com dupla função: designer gráfica durante o dia e escritora à noite. Ela mora em Nova York com o marido, os dois filhos e dois cachorros. Este é seu primeiro livro. Para difundir a mensagem de Extraordinário, a autora iniciou uma campanha antibullying no site www.choosekind.tumblr.com, da qual milhares de crianças já participaram.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Expresse-se