04 fevereiro 2017

Resenha #117 - Em um Bosque Muito Escuro!





Título: Em um Bosque Muito Escuro
Autora: Ruth Ware
Editora: Rocco
Ano: 2016
Especificações: Brochura | 288 páginas
ISBN: 13: 9788532530387
 Sinopse
A britânica Ruth Ware alcançou as listas dos mais vendidos do The New York Times, USA Today e Los Angeles Times com este surpreendente romance de estreia que chega ao Brasil pela coleção de suspense Luz Negra. Em um bosque muito escuro é narrado por uma escritora reclusa que aceita o convite para a despedida de solteira de uma amiga de escola com a qual não tinha contato há anos. Quarenta e oito horas depois de chegar ao local da festa, uma casa de campo isolada, ela desperta numa cama de hospital, com a devastadora certeza de que alguém está morto. E mais do que tentar lembrar o que aconteceu no fatídico fim de semana, precisa descobrir o que fez. Com uma atmosfera inquietante, em que segredos do passado são revelados aos poucos e as relações se constroem pelo entrelaçamento de admiração, carinho, inveja e ressentimentos, Ruth Ware entrega um thriller arrebatador, que não à toa a colocou entre os principais nomes do novo suspense feminino, como Paula Hawkins e Gillian Flynn. Em um bosque muito escuro será adaptado para o cinema por Reese Whiterspoon.
Cortesia Editora Rocco 

**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************


Leonora (Lee ou Nora) é convidada por sua amiga do passado que não tem mais contato, para sua despedida de solteira em uma cabana de vidro no meio de um bosque escuro. Clara (noiva) e Nora/Lee foram melhores amigas até os 16 anos, quando Lee/Nora foi embora depois do término de um namoro estranho. Na esperança de emendar as pontas soltas que ficaram do passado Nora/Lee abre uma exceção em sua vida de reclusão em seu apartamento, e vai atender ao convite da ex-amiga. E é ai que "tudo" acontece.

A historia de suspense que promete na sinopse não vingou, pois no segundo capitulo, o mistério já acabou e seu interesse na trama vai junto, de forma que no quarto capítulo já temos uma ideia de como será o final. 'Em um Bosque Muito Escuro', dessa maneira se torna uma leitura previsível e muito sem graça. O que parecia um suspense eletrizante, torna-se um romance banal.

A escrita de Ruth Ware é boa, de forma que o maior problema na obra, pra mim, foi a estruturação e o seu desenvolver nas páginas. Além disso, temos personagens que não nos chama nenhuma atenção, causa empatia ou que tenha feito com que eu torcesse pela sua vitória em algum momento. A protagonista é lerda (no nível burro máximo de burrices), a coadjuvante, dissimulada e chata, e o restante dos personagens não ajudam em nada a mudar a nossa visão das coisas. Tudo parece muito entediante, para uma sinopse que prometia tanto, e entregou tão pouco.

Em minha opinião a historia deveria começar com um prólogo contando há historia 10 anos antes ou poderia rolar uns flashback,  o que seria mais interessante e estenderia o mistério principal. A falta de informação me deixou muito confusa. Na metade da obra ficam coisas sem explicação. E não vou querer falar do final. Foi horrível.

'Em um Bosque Muito Escuro' foi uma leitura decepcionante, e comigo, as expectativas prometidas não chegaram nem perto de serem atingidas. Eu imaginei algo, li outro. Uma pena, porque eu realmente achei o enredo interessante, mas a experiência não foi nada positiva. Vou me ater a não falar nada mais, e indico para que você tente ter sua própria experiência com a obra. Comigo, infelizmente, não vingou. A classificação será duas estrelas, pois salvo os primeiros capítulos que são interessantes e envolventes..


Ruth Ware cresceu em Sussex, na costa sul da Inglaterra. Ela trabalhou como garçonete, livreira, professora de inglês como língua estrangeira e assessora de imprensa. Ela agora mora no norte de Londres com sua família. Seu thriller de estréia, In a Dark, Dark Wood, foi um best-seller do New York Times, e foi escolhido para o filme pela New Line Cinema.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Expresse-se