Resenha #131 - Scarlet (Crônicas Lunares Vol 2)!





Título: Scarlet
Coleção: Crônicas Lunares Vol 2
Autora: Marissa Meyer
Editora: Rocco
Ano: 2014
Especificações: Brochura | 480 páginas
ISBN: 13: 9788579801914
 Sinopse
Depois de Cinder, estreia de sucesso de Marissa Meyer e primeiro volume da série As Crônicas Lunares, que chegou ao concorrido ranking dos mais vendidos do The New York Times, a autora está de volta com mais um conto de fadas futurista. Scarlet, segundo livro da saga, é inspirado em Chapeuzinho Vermelho e mostra o encontro da heroína ciborgue que dá nome ao romance anterior com uma jovem ruiva que está em busca da avó desaparecida. Em uma trama recheada de ação e aventura, com um toque de sensualidade e ficção científica, Marissa Meyer prende a atenção dos leitores e os deixa ansiosos pelos próximos volumes da série.
Cortesia Editora Rocco 

**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************


S E N S A C I O N A L

'Scarlet' foi uma continuação sufocante, daquelas que você pega e não larga até a última página. E ao final, fica aquele gostinho de "preciso de muito mais". Com um romance envolvente e uma trama incansável, 'As Cronicas Lunares' com certeza já faz parte da minha lista de séries favoritas.

Nesse segundo volume, Marissa Meyer estreita os laços entre os personagens e afunila o mistério em cima da protagonista Cinder, protagonista do primeiro volume.  

Presa e prestes a ter sua vida liquidada, a ciborgue tenta escapar de seu cativeiro, contando com a ajuda de um aliado improvável, ainda desnorteada com as descobertas que fez sobre si mesma. O caminho para as resposta a levará até Scarlet, uma garota durona que mora em outro país. Pelo que Cinder descobriu, a história das duas parece estar interligada e para descobrir mais sobre si, precisará encontrá-la. Mas a vida de Scarlet não está fácil. Sua avó foi sequestrada por uma gangue e ninguém parece ligar. Quando o misterioso Lobo aparece oferecendo ajuda e as respostas de que ela precisa, mesmo motivada a detestá-lo, ela irá ceder em busca de salvar a pessoa que ama, em jornada que talvez não tenha volta.

Narrado em terceira pessoa, esse volume foi incrível por três motivos: Marissa Meyer tem uma escrita leve, de forma que você lê 200 páginas sem nem ao menos cansar.

Segundo: traz a perspectiva de 3 personagens. Diferente do primeiro, aqui iremos acompanhar várias etapas do que está acontecendo, seguindo Cinder, Kai e Scarlet por grande parte da trama (acontecendo capítulos que entram outros personagens como a antagonista, Levana).


E terceiro: tem ação desenfreada uma atrás da outra. Parece que toda a falta de eventos do primeiro, foi proposital para causar no segundo reviravolta por cima de reviravolta, e sério, eu amei isso. Cada momento era mais sufocante do que o outro. Fiquei envolvido e intrigado pelos novos personagens assim que bati os olhos neles e apesar de estar lidando com elementos que são tidos como clichê a todo instante, isso não fica chato ou batido, porque a autora sabe muito bem adequá-los ao seu enredo, cada vez mais apaixonante. 

Já posso descrever Scarlet como minha personagem favorita. Ela é forte, teimosa e muito fiel as pessoas que ama, qualidades que me fizeram identificar com ela logo no primeiro passo dentro da trama. Apesar do instalove que rola, em momento algum achei que a personagem ou a autora focou nesse aspecto. Os romances dentro dessa série guiam um pedaço da história, mas não são centralizados. Nesse segundo principalmente, quando a intriga e o confronto com a antagonista ficou ainda mais claro. E convenhamos, que antagonista. Meyer criou uma verdadeira Rainha Má, de peso, má e muito egoísta. Levana causa as mais negativas sensações em mim, de forma que é antipatia a primeira vista.

Eu tento pensar por mim mesma de vez em quando, em vez de acreditar nas ideias ridículas em que a impressa quer que a gente acredite. As pessoas são tão rápidas em acusar e criticar.

Ainda tivemos o acréscimo de mais uma personagem cômico e pra mim, o melhor! Thorne é sem dúvidas o alívio cômico e o cara despojado que faltava para completar essa história. Seu senso de humor afiado e a ironia sempre presente já me ganharam. Sério! Esse cara é genial. Quero ser como ele.

E sem mencionar os já amados, como Cinder, que cresceu bastante nesse momento da série, mas que eu ainda espero que cresça mais e enfrente os problemas com mais coragem; ou Iko, minha robô favorita <3 Como não amar essa personagem? Impossível!

Amei o tom de 'Scarlet', sem dúvidas. O primeiro volume tem uma pegada bem bobinha e romântica, típica daqueles chick-lit, apresentando elementos um tanto clichês e esperados. Nesse segundo volume não. Apesar do clichês ainda existir, como disse acima, Meyer brinca com o leitor a todo instante justamente usando eles. As cenas ficam mais violentas e pesadas, de forma que o que começou de uma forma, vai tomando outras proporções bem diferentes. E gente, o plot final, é realmente arrebatador! 

Em dois volumes lidos, só tenho que indicar essa série! Uma escrita envolvente, personagens marcantes e um enredo muito bem construído que envolve distopia e reconto, trazendo elementos dos clássicos infantis, mas também inovando com elementos surpreendentes, tecnológicos e todo um cenário hytech.


Marissa vive em Tacoma, Washington, com o seu noivo e dois gatos. Além de uma leve obsessão por livros e escrever, é uma grande degustadora de vinhos e caçadora de antiguidades. CINDER, seu romance de estréia, é uma nova visão futurística da Cinderela em que Cinder é uma cyborgue mecânica.



Nenhum comentário

Postar um comentário

Expresse-se