Resenha #132 - Eu Estou Pensando em Acabar com Tudo!





Título: Eu Estou Pensando em Acabar com Tudo
Autora: Iain Reid
Editora: Fábrica 231
Ano: 2017
Especificações: Brochura | 224 páginas
ISBN: 13: 9788568432969
 Sinopse
No romance de estreia do canadense Iain Reid, Jake conduz o carro em que ele e a namorada, que narra a história, vão à fazenda dos pais do rapaz. Durante a longa viagem por estradas desertas e escuras, a garota, atormentada com a perseguição de um homem misterioso que deixa sempre a mesma mensagem de voz em seu telefone, pensa em encerrar o relacionamento com Jake. Mas talvez seja tarde demais. Reid, que tem dois livros de não ficção elogiados pela crítica e contribui para veículos de prestígio como a revista New Yorker, une, numa narrativa profundamente psicológica, tanto referências de terror clássico, quanto elementos de suspenses menos tradicionais, sustentando a trama para além das limitações inerentes ao gênero. Um thriller denso que esconde, em meio ao medo provocado pela sensação de uma tragédia iminente, alegorias sobre a própria vida ser uma tragédia anunciada.
Cortesia Fábrica 231 (Grupo Editorial Rocco)

**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************


Pensei, pensei e pensei o que vou falar sobre este livro? Uma palavra o define: CONFUSO. E pelo pouco das resenhas que vi, acho que sou a única pessoa que pensa assim. 'Eu Estou Pensando em Acabar com Tudo' é um livro que possui uma boa narrativa, é leve. O que me surpreendeu um pouco foi que muitas resenhas diziam ser uma obra assustadora, e comigo isso não aconteceu. Pelo menos eu não senti medo ou achei algo apavorante em nenhum  momento da leitura. Dessa forma, a trama se torna em uma bola de neve que não sei bem se consegui  entender.

Conhecemos um casal que esta fazendo uma viagem de carro para visitar a família de Jack. O mesmo sente-se muito feliz com seu relacionamento, mas não podemos dizer o mesmo da sua namorada, que não deixa de pensar que seu relacionamento com Jack está próximo de acabar. Como ela pode explicar tudo o que está acontecendo com ela e ao mesmo tempo tentar justificar o fim desse relacionamento? Acontece que a viagem que deveria esclarecer seus sentimentos e fazê-la tomar a decisão final acaba gerando efeito contrário. Chegando lá, ela se depara com mais momentos de confusão, pois acha que os pais e Jack guardam segredos, e acaba cheia de mais perguntas para serem respondidas. Perguntas que pode levá-la a respostas que ela não gostará de descobrir.

Por não sabermos todas as respostas, por não podermos explicar tudo isso, como o espaço, talvez não devêssemos saber todas as respostas. Perguntas são boas. São melhores do que respostas. Se quer saber mais sobre a vida, como funcionamos, como progredimos, são as perguntas que são importantes. É o que impulsiona e alonga nosso intelecto. (p. 41)

Posso dizer que a historia escrita por Iain Reid mexe muito com o nosso psicológico, seja em seus momentos de varias reflexões, ou nas conversas do casal que são sempre cheias de perguntas e enigmas a serem decifrados. Narrado em primeira pessoa, sob a perspectiva da namorada, vamos nos aprofundar em suas dúvidas e medos, enquanto o leitor se vê preso em um breu onde não sabemos exatamente nada, assim como ela.

Nos não podemos e não sabemos o que os outros estão pensando. Não podemos e não sabemos que motivação as pessoas tem para fazer as coisas que fazem. (p. 186)

São poucas certezas que tenho ao finalizar essa história. Iain Reid começou muito bem, com um ritmo viciante, pois a trama era atrativa e as dúvidas faz com que você se identifique com ela logo nas primeiras páginas, gerando empatia por todo o núcleo principal. O principal comigo foi o final. Ao finalizar claramente podemos ter dois tipos de situações: ou você amar, ou vai odiar. Eu não sei escolher uma das duas. Acabei ficando como a personagem narradora da historia, com minhas perguntas perdidas no ar. 

O ritmo de leitura cai muito conforme você vai se aproximando do desfecho. Para mim, o suspense acabou se transformando em algo banal e eu já não conseguia mais me identificar com a protagonista que passa muito tempo questionando, mas nada faz para desvendar os mistérios. Ela parece conformada em só perguntar e nunca ter resposta (dá pra entender isso?). Talvez a química role com você. No geral achei o livro mediano.

Sobre a parte física da edição, a Fábrica 231 nos presenteou com um livro lindo de capa dura e que chama muita atenção, com uma diagramação na capa e contra capa sensacional. O inicio dos capítulos ficou demais com os detalhes que parece escrito à mão. Sem dúvidas é o ponto alto pra mim.

O desfecho do livro e bem inusitado, porém como um todo, a obra não funcionou pra mim, por esse motivo vou classificá-lo com três estrelas.


Iain Reid é canadense e escreveu dois livros de não-ficção que foram premiados e aclamados pela crítica e público, One Bird’s Choice e The Truth About Luck. Seus textos foram publicados em veículos importantes como o The New Yorker, The Globe and Mail e o National Post. Em 2015, o autor recebeu o prêmio RBC Taylor Emerging Writer Award. Este é o seu primeiro romance.



Nenhum comentário

Postar um comentário

Expresse-se